Dicas e Roteiros de Viagem pelo Peru

Machu PIcchu - PeruEmbora muito próximo do Brasil, apenas visitamos o Peru em 2014. Como muitos brasileiros, passamos alguns anos enxergando esse país com um certo preconceito quanto à segurança e tranquilidade de fazer a viagem por meios próprios. No entanto, essa é uma visão extremamente equivocada. O crescimento econômico e os investimentos no turismo possibilitaram uma tranquilidade superior ao de destinos dentro do Brasil e, inclusive, de países como Argentina e Chile. Além disso, outro mito é que o país se resuma ao Machu Picchu. O Peru é muito mais do que isso! Um destaque que não poderia ficar de fora é a gastronomia de nível internacional – exemplificaremos com indicações e fotos de dar água na boca! E, claro, sem esquecer do drink típico andino: o pisco sour.

Mapa - PeruFonte: World Map Finder

Esse pequeno país no noroeste da América do Sul faz fronteira com os estados do Acre e Amazonas. Possui uma população de pouco mais de 30 milhões de habitantes – com grande miscigenação (sobretudo espanhóis e índios) -, sendo que cerca de um quarto reside em Lima, a capital. O idioma oficial é o espanhol, mas o quichua configura-se como uma língua falada por um número significativo de peruanos. O fuso horário em relação à Brasília é de menos 2 horas. Não é necessário visto e a vacinação para febre amarela é recomendada dependendo dos destinos internos, mas não obrigatória.

A moeda é o nuevo sole (em 2016 vale aproximadamente 0,30 USD). Como na Argentina, é importante ter cautela no câmbio para evitar as notas falsas. Para prevenir, recomendamos o pagamento com cartão crédito, débito ou pré-pago (Travel Money) para minimizar a necessidade de câmbio. Para os pequenos gastos como táxi e artesanato local, o saque em bancos ou o câmbio em locais oficiais é a solução (evite sempre o aeroporto!) – solicite notas de pequeno valor. A taxa poderá não ser a melhor, mas paga a tranquilidade. Além disso, cautela com o troco – evite pagar pequenas compras com notas maiores, sobretudo em táxis e comércios informais.

O clima varia muito com a proximidade dos Andes e a altitude. Dessa forma, para garantir uma viagem tranquila, a melhor época para visitação (considerando o passeio de Machu Picchu e Cusco) é de maio até setembro – sendo abril e outubro meses um pouco mais arriscados. Como assim? A partir do início de abril até o fim de outubro, temos um período de maior seca, o que reduz as chances de chuvas e até mesmo bloqueios que impeçam ou atrapalhem a visitação de Machu Picchu e das ruínas incas.

A partir dos grandes centros brasileiros, pode-se chegar de avião com voos da LATAM e TACA/Avianca (nossa opção pelo voo direto do Rio). Para redução de custo, recomendamos a compra de múltiplos trechos (e não Brasil-Peru-Brasil + trechos avulsos internos) para as viagens pelo país.

Esse roteiro elaboramos como complemento à semana na Jamaica, em nossa lua-de-mel. Foram nove dias de viagem: dois dias inteiros em Lima e seis dias inteiros em Cusco, sendo dois em Machu Picchu/Águas Calientes. Dividimos em 3 posts:

Não deixe de ler também nossa dica sobre o Mal de Altitude (Soroche em quechua) e minimize o que pode acabar com sua viagem.

Para os que dispõe de mais tempo, recomendamos incluir (e podemos ajudar!):

  • Puno e Lago Titicaca
  • Arequipa
  • Nazca

Precisa de orientação para montar um roteiro de viagem inesquecível pelo Peru? Gostaria de visitar outras cidades? Quer ajuda com reserva de hotéis, aluguel de carros, passagens de avião, ônibus ou trem? Visite nossa página de Roteiros Personalizados ou deixe sua mensagem abaixo.

Thiago Carvalho

Carioca, casado, 31 anos, médico, amante da natureza e apaixonado por viagem, de Itaipava no fim de semana ao Bungee Jumping na Nova Zelândia. Volta de uma viagem com o roteiro pronto para a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Reprodução ou cópia não autorizada!