Pelos parques coloridos da litorânea Gotemburgo

Conforme explicado no post sobre a Suécia, uma das cidades que visitamos foi Gotemburgo, segunda maior cidade sueca, com população próxima a 600 mil habitantes e o sueco é o idioma oficial, embora a maioria da população fale inglês.

Gotemburgo foi fundada em 1621 pelo Rei Gustaf II Adolf, como uma colônia de troca com a Holanda, assumindo uma posição estratégica como única porta de entrada para o Mar do Norte e o Atlântico. Pela localização, sofreu forte influência holandesa, alemã e escocesa, com papel fundamental dos engenheiros holandeses no projeto dos canais que cortam a cidade, semelhante aos encontrados em Amsterdam.

Os séculos seguintes foram marcados por um significativo crescimento e Gotemburgo tornou-se um importante centro de comércio marítimo, favorecida pelo fato de ser a única cidade na costa oeste. O resultado foi a transformação em uma cidade moderna e industrializada que, atualmente, abriga o maior porto da Escandinávia, sendo um importante pólo universitário e sede de grandes empresas como Volvo e Astra Zeneca.

Qual a melhor época para visitar Gotemburgo?
É uma cidade com clima oceânico, temperatura média baixa no inverno (abaixo de zero grau), poucas horas de sol e grande chance de neve. Portanto, considere ir entre maio e início de setembro, sobretudo junho a agosto, quando as temperaturas são mais amenas (entre 7ºC e 18ºC em maio e setembro e 12ºC e 20ºC entre junho e agosto) e os dias bem longos. Visitamos em maio de 2017, quando aproveitamos um lindo dia de temperatura agradável.

Quanto tempo ficar em Gotemburgo?
O centro histórico é compacto e o deslocamento entre as principais atrações pode ser facilmente realizada a pé em um dia. No entanto, sugerimos dois dias inteiros para visitar e aproveitar a cidade com a calma que ela merece. Chegamos à noite de trem, vindo de Malmo, e partimos no final do dia seguinte para Estocolmo. Consideramos que foi corrido para conhecer tudo que gostaríamos.

Como chegar em Gotemburgo?
Existem quatro opções principais:

  • Avião: localizado a 25 km do centro de Gotemburgo e acessível através de táxi ou ônibus.
  • Barco: uma alternativa diferente para os viajantes que partem da Dinamarca.
  • Carro: excelente opção se deseja conhecer as paisagens do interior da Suécia ou Dinamarca.
  • Trem: ótima e rápida alternativa se estiver viajando pela Suécia.

Onde se hospedar em Gotemburgo?
Se estiver chegando e/ou saindo da cidade de trem, a região próxima à estação central é uma ótima alternativa para hospedagem, permitindo realizar o deslocamento a pé e uma fácil chegada e partida. Justamente por isso, escolhemos o Scandic No 25, pertencente à uma ótima rede hoteleira escandinava. Os quartos são simples, mas novos, limpos e confortáveis e o café da manhã é excelente.

A cidade possui inúmeros hotéis (veja todos aqui). Outras sugestões na região são o cinco estrelas Dorsia Hotel & Restaurant, os quatro estrelas Clarion Hotel Post, Radisson Blu Scandinavia HotelHotel Eggers, Hotel Opera, Scandic Europa, Hotel Pigalle e First Hotel G e os três estrelas Hotel Royal e STF Göteborg City Hotel.

O Roteiro
Montamos um roteiro passando por todas as principais atrações da cidade e que fizemos em apenas um dia. No entanto, como dissemos, recomendamos dividir em dois dias para desfrutar com calma dos museus e parques.

Comece o dia no Trädgårdsföreningen, um belíssimo parque bem próximo à estação de trem. Fundado em 1842, duas áreas são destaques: a Casa das Palmeiras e o Jardim de Rosas, com mais de 4000 rosas de 1900 espécies.

Parque Tradgardsforeningen - Gotemburgo - SueciaUma das entradas do Trädgårdsföreningen

Parque Tradgardsforeningen - Gotemburgo - SueciaTrädgårdsföreningen

Parque Tradgardsforeningen - Gotemburgo - SueciaTrädgårdsföreningen

Parque Tradgardsforeningen - Gotemburgo - SueciaTrädgårdsföreningen – Casa das Palmeiras ao lado

Após cruzar todo o parque, vire à esquerda na Kungsportsavenyen, a principal avenida de Gotemburgo. Desenhada em meados do século XIX para a classe média, possui inúmeros restaurantes e lojas.

Kungsportsavenyn - Gotemburgo - SueciaKungsportsavenyen

No outro extremo está localizada a Götaplatsen, uma importante praça onde está o Göteborgs konstmuseum (ou Museu de Arte de Gotemburgo), o Stadsteater (ou Teatro Municipal) e a Stadsbiblioteket (ou Biblioteca Municipal), além da famosa estátua de Poseidon no centro.

Gotaplatsen - Gotemburgo - SueciaGötaplatsen

A aproximadamente 1 km da praça, pela Berzeliigatan e, posteriormente, pela Södra Vägen, está o Museu Universeum. Esse museu de ciências para todas as idades é muito recomendado por diferentes viajantes. Infelizmente não houve tempo para visitá-lo, mas, sobretudo se estiver com crianças, recomendamos dedicar um tempo para conhecê-lo.

Museu Universeum - Gotemburgo - SueciaMuseu Universeum

De volta à Götaplatsen, siga pela Geijersgatan até o Vasaparken. Esse pequeno parque está situado entre a Göteborgs Universitet (ou Universidade de Gotemburgo), uma das maiores e mais prestigiadas universidades da Escandinávia, e a Vasakyrkan, fundada em 1909, em estilo neoromanesco.

Vasa Church - Gotemburgo - SueciaVasakyrkan

Vasa Church - Gotemburgo - SueciaVasakyrkan – Interior

Vasaparken - Gotemburgo - SueciaVasaparken

Universidade - Gotemburgo - SueciaUniversidade de Gotemburgo

Um dos cenários mais simples, mas que por algum motivo mais encantou na cidade foi em frente do prédio da Universidade: os prédios residenciais simétricos e alinhados, em meio às árvores, cada um com uma cor de telhado proporcionam um cenário inesquecível!

Gotemburgo - Suecia

Continue pela Vasagatan, virando à esquerda na Sprängkullsgatan para chegar ao Skansen Krona. Essa fortaleza construída no final do século XVII no alto de um rochedo possui paredes de 4 a 5 metros de espessura. Além da bela construção medieval, é possível apreciar uma bela vista da cidade.

Skansen Kronan - Gotemburgo - SueciaSkansen Krona

Skansen Kronan - Gotemburgo - SueciaSkansen Krona – vista da cidade

A 500 metros da fortaleza, pela Prinsgatan, está a viva Oscar Fredriks kyrkogata (ou Igreja de Oscar Fredriks). Concluída em 1893 em estilo neogótico, possui lindos detalhes interiores, com destaque para os vitrais.

Oscar Fredriks Kyrka - Gotemburgo - SueciaOscar Fredriks kyrkogata

Oscar Fredriks Kyrka - Gotemburgo - SueciaOscar Fredriks kyrkogata – Interior

Seguindo pela Linnégatan e virando à direita na Haga Nygata, está o bairro Haga, uma região da cidade repleta de ruas de pedestre, bares e lojas muito charmosas. É uma ótima pedida para um almoço!

Linnegatan - Gotemburgo - SueciaLinnégatan

Haga - Gotemburgo - SueciaHaga

No final da Haga Nygata está o Haga Kyrkoplan, mais um espaço verde da cidade, com a Hagakyrkan, uma igreja do século XIX próxima ao centro.

Haga Kyrka - Gotemburgo - SueciaHagakyrkan

Retorne à Sprängkullsgatan e cruze a ponte para visitar o Feskekörka (ou Igreja dos Peixes). Esse mercado de frutos do mar bem frescos foi inaugurado em 1874 e recebeu esse nome pelo estilo gótico que se assemelha a algumas igrejas. É uma excelente opção para um almoço rápido, gostoso e barato se estiver com pouco tempo como nós.

Fish Church - Gotemburgo - SueciaFeskekörka

Fish Church - Gotemburgo - SueciaFeskekörka – Interior

Fish Church - Gotemburgo - SueciaFeskekörka – Massa com salmão

Retorne até a ponte, vire à esquerda na Hvitfeldtsplatsen e, em seguida, à direita na Kungsgatan até chegar na Domkyrkan, a catedral de Gotemburgo. Construída em estilo clássico em 1624, foi reconstruída duas vezes em decorrência de incêndios que afetaram a sua estrutura. Não deixe de visitar seu interior!

Domkyrkan - Gotemburgo - SueciaCatedral

Domkyrkan - Gotemburgo - SueciaCatedral – Interior

Continue pela rua de pedestres no fundo da catedral e, se tiver um tempo, não deixe de sentar em algum dos agradáveis cafés. Por incrível que pareça, os escandinavos estão entre os povos que consomem a maior quantidade de café por pessoa e um dos motivos é a quantidade de café servido – diferente do nosso “cafezinho”, as xícaras são imensas e o café dificilmente é expresso! Para acompanhar, nossa sugestão é o Prinsesstårta (ou Torta da Princesa), um típico bolo sueco feito de nata e marzipan.

Gotemburgo - SueciaRua de Pedestres

Cafe - Gotemburgo - SueciaCafé com Prinsesstårta

Cruzando mais um canal, na direção esquerda em relação à catedral, você chegará à Gustaf Adolfs torg, uma importante praça em homenagem ao fundador da cidade, onde está situada a Prefeitura.

Gustav Adolfs Torg - Gotemburgo - SueciaPraça Gustav Adolfs

Bem próximo está o Göteborgs stadsmuseum (ou Museu da Cidade de Gotemburgo), estabelecido em um prédio do século XVIII, com o objetivo principal de contar a história da cidade.

Museu da Cidade de Gotemburgo

Se for um fã de barcos, vire à direita na Smedjegatan e siga até o Maritiman, museu com mais de uma dezena de barcos, comerciais e militares, incluindo um submarino, todos interligados entre si. De modo interativo, a visita conta um pouco da história de cada embarcação.

Museu Maritiman - Gotemburgo - SueciaMaritiman

As duas últimas atrações turísticas são gigantescas, mais distantes do restante e o principal motivo de sugerirmos dois dias para Gotemburgo. Como gostamos de fazer todo o deslocamento a pé e o dia estava lindo, encaixamos entre o Vasaparken e a Skansen Kronan. No entanto, se preferir otimizar seu tempo, vá de transporte público. Além disso, para os amantes da natureza, o ideal é dedicar grande parte do segundo dia para passear pelos bosques e estufas do Göteborgs botaniska trädgård (ou Jardim Botânico). Aberto em 1923 e com mais de 16 mil espécies de plantas é imperdível!

Jardim Botanico - Gotemburgo - SueciaJardim Botânico – Entrada

Jardim Botanico - Gotemburgo - SueciaJardim Botânico

Jardim Botanico - Gotemburgo - SueciaJardim Botânico

Jardim Botanico - Gotemburgo - SueciaJardim Botânico

Em frente está o Slottsskogen, outro imenso parque público com diversos lagos e áreas de lazer. Para as crianças há um pequeno zoológico.

Slottsskogen - Gotemburgo - SueciaSlottsskogen

Slottsskogen - Gotemburgo - SueciaSlottsskogen

Partimos para Estocolmo (veja aqui), com vontade de ter permanecido um dia a mais na cidade!

Gostou do roteiro e das dicas? Faça suas reservas pelas caixas de pesquisa na lateral, nos links ao longo do post ou clique para reservas de hospedagem no Booking ou aluguel de carros no RentalCars. Você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a manter o site. Obrigado!


Precisa de orientação para montar um roteiro inesquecível? Quer ajuda em reservas de hotéis, aluguel de carros, passagens de avião, ônibus ou trem? Quer montar um roteiro 100% personalizado e tornar sua viagem inesquecível? Visite nossa página de Roteiros Personalizados ou deixe sua mensagem abaixo.

Thiago Carvalho

Carioca, casado, 31 anos, médico, amante da natureza e apaixonado por viagem, de Itaipava no fim de semana ao Bungee Jumping na Nova Zelândia. Volta de uma viagem com o roteiro pronto para a próxima.

22 Resultados

  1. Mari Zoghbi disse:

    Uau! Não conhecia esse lugar e adorei! Curti muito o nome do parque heheh quando eu for vou ter que levar um print aqui do seu blog porque não vou saber falar nem escrever esse nome. Adorei o post

  2. Erik Trovão disse:

    Como sempre, mais uma excelente descrição de passeio. Amei as fotos dos parques da cidade e algumas curiosidades, como o fato do sueco gostar tanto de café! Não fazia ideia! Uma dúvida: os valores de trem no interior da Suécia são muito caros?

  3. Sthefania disse:

    Café eu tb amo, mas não achei Tao fácil comer em Budapeste quando fui e pensei que poderia enfrentar o mesmo problema na Suécia. Você achou fácil de se adaptar à comida de lá?

  4. Viviane Rabelo disse:

    Que lugar incrível, realmente um dia parece ser bem pouco para conhecer esse monte de coisa. Imagino o quanto deve ser maravilhoso pessoalmente, pena ser gelado. O jardim botânico me encantou.

  5. Danielle disse:

    A Suécia entrou para a minha lista de desejos quando um amigo fez mestrado nesse país encantador. Um lugar que eu achava tão distante para um brasileiro devido o clima e moeda forte, mas logo me encantei quando vejo e leio posts como esse, com tantos lugares maravilhosos oara visitar e aprender um pouco mais dessa civilização especial e exemplar

  6. Igor Augusto disse:

    Encantado com a arquitetura dessa cidade da qual nunca tinha ouvido falar. Bonito mesmo! Não posso deixar de falar… adorei as árvores floridas no Jardim Botânico! 🙂

  7. Sil Mendes disse:

    Adorei o post. Vc acha que vale a penas fazer uma road trip por essa região ? Quantos dias mais ou menos vc indicaria?

    • Olá Sil, muito obrigada!
      Indicaríamos 2 dias por Gotemburgo, podendo ser 3 se desejar ir em todos os museus, mas não recomendaríamos alugar um carro.
      O deslocamento para os demais destinos (tanto na Dinamarca como no resto da Suécia) pode ser feito com muita tranquilidade de trem.
      Qualquer dúvida seguimos à disposição.

  8. Andréa Azevedo disse:

    A Suécia me parece um país muito interessante. Dizem que é o país da vida perfeita (apesar do frio… rsrsrs). Pelas suas fotos achei essa cidade bem bonita, se vocês não dissessem que é a 2a maior do país, juraria que era uma cidade pequena!

    • Olá Andréa. Com certeza é um país incrível a despeito do frio, assim como os demais da Escandinávia.
      Gotemburgo tem esse charme de cidade pequena nas áreas mais centrais, comum a muitas cidades europeias. Além disso, temos que lembrar que a Suécia é um país de população bem pequena, logo as maiores cidades se aproximam de nossas cidades pequenas.

  9. Carla Macedo disse:

    Uauuuuuuu! É casa lugarzinho que existe no mundo, que dá vontade de morar. Não conhecia a existência de Gotemburgo, mas com certeza já coloquei no rol de locais para ir. O post está megamente completo, parabéns!

  10. Aline Laudelina Pires disse:

    Um amiguinho da minha filha voltou para Suécia e na época que ele voltou ela me pediu para um dia ir visitá-lo, toda vez que vejo algo sobre a Suécia lembro deles.
    Quem sabe um dia não iria curtir esses parques lindos ao vivo e a cores rs

  11. Keyla Mina disse:

    Olá,
    A muito não via um site com comentários tão detalhados. Adorei!
    Estarei por lá em Maio deste ano, vcs teriam alguma sugestão de restaurantes ou comida típica especificamente? Vi que vcs come datam sobre o bolo, café, e frutos do mar. Algum prato específico inesquecível?
    Um grande abraço!
    Cheers

    • Olá Keyla, muito obrigado!
      Ficamos felizes que tenha gostado.
      Como foi muito fugaz nossa passagem por Gotemburgo (um dia), não tivemos muito tempo de explorar restaurantes, como fizemos em Malmo e Estocolmo.
      Por isso, optamos por comer um bolo típico sueco que ainda não havíamos comido em Malmo (nosso destino anterior) e aproveitar o Mercado de Peixes, uma parada que sempre gostamos de desfrutar porque é um contato bem próximo com a culinária do cotidiano da população local.
      No entanto, experimentamos alguns pratos típicos em Estocolmo (https://www.roteirosinesqueciveis.com/2018/02/roteiro-estocolmo/) e Malmo (https://www.roteirosinesqueciveis.com/2018/02/roteiro-malmo/), sendo que as almôndegas com geleia de lingonberry, o Smörgåsbord, um buffet com as várias iguarias, e os pescados – destaque para o salmão e arenque – são os mais famosos. Com relação à bebidas, a cerveja, o Akvavit e a vodka são as bebidas alcoólicas preferidas da população.
      Qualquer dúvida, estamos à disposição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Alerta: Copia nao autorizada!