Um passeio por Curitiba, casa de diversos imigrantes europeus

Os primeiros relatos de ocupação da atual cidade de Curitiba datam do século XVII, mais precisamente 1661, quando os bandeirantes construíram uma pequena vila durante a busca por ouro na região. O local prosperou pouco nos 150 anos seguintes, até que tornou-se a capital da recém-criada Província do Paraná e cresceu com ajuda da imigração europeia, sobretudo de alemães, italianos, poloneses e ucranianos. Desde então prosperou, transformando-se em uma cidade organizada, moderna e com excelente sistema de educação e transporte públicos, mesmo com a população próxima a 2 milhões de habitantes. O papel fundamental dos imigrantes na formação da sociedade curitibana é claramente representando nos diferentes espaços culturais e memoriais espalhados pela cidade.

Qual a melhor época para visitar Curitiba?
Com um clima temperado, Curitiba possui as quatro estações bem definidas, com verão ameno (média de 20ºC, mas podendo atingir próximo de 30ºC) e inverno frio (média de 13ºC, mas com mínima próxima a 0ºC). As precipitações ocorrem durante todo o ano, sendo mais escassas durante os meses de abril a agosto. Portanto, a cidade pode ser visitada durante todo o ano., mas caso o frio não seja um problema, sugerimos o período entre abril e junho, quando as chances de chuva são menores e as temperaturas agradáveis. Estivemos em abril de 2018 durante pouco mais de três dias na cidade.

Quanto tempo ficar em Curitiba?
O centro histórico e algumas atrações são facilmente percorridas a pé. Já outras, sobretudo alguns parques, são mais distantes, mas o transporte público é excelente e existe um ônibus que faz o circuito turístico (Linha Turismo), otimizando o deslocamento e reduzindo os custos. Portanto, dois dias inteiros (ou um final de semana) são suficientes para conhecer Curitiba. Contudo, se desejar fazer o passeio de trem para o interior, é necessário acrescentar mais um dia.

O que é a Linha Turismo?
Essa linha de ônibus otimiza o trajeto entre as diversas atrações de toda a cidade, percorrendo mais de 40 km em pouco mais de 2 horas. A frequência de passagem dos ônibus varia ao longo do ano (dia útil, final de semana, feriado etc), mas é possível se programar com o folheto entregue no momento da compra do bilhete ou consultando o site oficial. O cartão pode ser comprado diretamente no ônibus e, em abril de 2018, o pagamento deveria ser feito apenas em dinheiro. Vale ressaltar que salvo em situações especiais, a linha não funciona às segundas-feiras.

O que é o passeio de trem e como fazê-lo?
O passeio de trem pela ferrovia Paranaguá-Curitiba é um dos atrativos da cidade, partindo da estação ferroviária da capital paranaense e percorrendo belas paisagens, em uma viagem de 4 a 5 horas, até chegar a Morretes, uma pequena cidade com construções históricas. Existem diversos vagões (e preços!) e, portanto, vale pesar o custo e o seu perfil – o site da operadora é bem detalhado!

Quais são os horários? Os horários variam de acordo com a época do ano, mas as saídas ocorrem pela manhã no sentido Morretes, com retorno para Curitiba no final do dia.

Como contratar o passeio de trem? Existem inúmeras agências de turismo locais que vendem o passeio, combinando a ida (ou volta) de trem e o outro trecho de van ou ônibus. Outra alternativa é contratar diretamente com a empresa que opera a linha ferroviária (Serra Verde Express).

Existe alguma dica? Sim, é claro!

  • Se visitar em alta temporada, considere reservar o passeio!
  • No entanto, acompanhe a previsão do tempo e considere não ir se existir possibilidade de chuva.
  • Faça apenas um dos trechos (ida ou volta) de trem, retornando (ou indo!) de van/ônibus, pois além de ser a mesma paisagem, é muito cansativo!
  • Não deixe de comer o prato típico – barreado – em Morretes (explicamos melhor e exemplificamos com foto no roteiro abaixo!).

Vale ressaltar que embora tenhamos permanecido em Curitiba por mais de três dias inteiros, a previsão de tempo era péssima e, por isso, optamos por não fazer o passeio. Portanto, nossas dicas e impressões do passeio de trem são baseadas nos relatos de outros viajantes e em conversas com amigos que fizeram o passeio.

Como chegar em Curitiba?
A cidade possui um aeroporto internacional, sendo destino das grandes empresas aéreas brasileiras a partir da maioria das capitais nacionais. Do aeroporto, pode-se chegar à região central de Curitiba de táxi, ônibus ou carro alugado (alugue aqui). Caso esteja hospedado no centro, uma alternativa é o Ônibus Executivo.

Se optar por ir de carro, são 400 km de São Paulo pela BR-116 ou 300 km de Florianópolis pela BR-101.

Onde se hospedar em Curitiba?
A região mais prática para se hospedar é o centro da cidade, pois permite o deslocamento a pé para as atrações históricas e certamente estará próximo de alguma parada da Linha Turismo que mencionamos acima. Esse foi o nosso caso – nos hospedamos no Slaviero Conceptual Palace, um hotel antigo, mas bem conservado, com quartos amplos, confortáveis e limpos e um excelente café da manhã. No entanto, como em muitas outras grandes cidades, o centro é uma região mais deserta e perigosa à noite e com menos opções de restaurantes. Por isso, embora seja mais distante, o Batel é um bairro mais agradável, com hotéis melhores e excelentes restaurantes.

Existem outras alternativas (veja todas aqui). No centro, recomendamos os cinco estrelas Bourbon Convention Hotel e NH Curitiba The Five, os quatro estrelas Hotel LancasterHotel Deville Business, Mabu Business e Blue Tree Towers Saint Michel, e os três estrelas Trevi Hotel e Business, Curitiba Palace Hotel e Hotel Centro Europeu Tourist.

Já no Batel, sugerimos os cinco estrelas Radisson Hotel e Four Points By Sheraton, os quatro estrelas Transamerica Prime Batel, Slaviero Conceptual Full Jazz, Bristol Brasil 500 Hotel, Mercure Batel e Blue Tree Towers Batel, e os três estrelas Batel Rio Hotel e Go Inn Hotel.

O Roteiro
Elaboramos o roteiro dividindo o primeiro dia para a região do centro e Batel e o segundo dia para uma volta na Linha Turismo (ou via outro transporte público/privado) pelas principais atrações. Se optar por três dias, considere o passeio de trem que explicamos acima. Comece na Rua 24 Horas, inaugurada em 1991 com o objetivo de funcionar 24 horas ao dia. No entanto, o projeto fracassou e, após uma recente revitalização, abriga alguns estabelecimentos que funcionam em horário estendido. Repare nos relógios em cada extremidade que marcam as 24 horas do dia no lugar de 12!

Rua 24 Horas - Curitiba - ParanaRua 24 Horas

Cruze a Praça General Osório e siga para a Rua XV de Novembro, antiga Rua da Flores e primeiro calçadão para pedestres do Brasil. Logo no início, na esquina, está o Palácio Avenida, um histórico edifício inaugurado em 1929 e que já abrigou inúmeros estabelecimentos comerciais até tornar-se a sede regional do Banco Bradesco.

Palacio Avenida - Curitiba - ParanaPalácio Avenida

Rua XV de Novembro - Curitiba - ParanaRua XV de Novembro

Continue até a Praça Santos Andrade, onde está uma das construções da Universidade do Paraná, fundada em 1912 e considerada a mais antiga universidade brasileira, e o Teatro Guaíra, um dos maiores complexos culturais da América Latina.

Praca Santos Andrade - Curitiba - ParanaPraça Santos Andrade

Teatro Guaira - Curitiba - ParanaTeatro Guaíra

Universidade Federal do Parana - Curitiba - ParanaUniversidade do Paraná

Vire na Rua Conselheiro Laurindo e siga até o Passeio Público. Inaugurado em 1886, é o mais antigo parque e zoológico da cidade, com quase 70 mil metros quadrados.

Passeio Publico - Curitiba - ParanaPasseio Público

Retorne pela Rua Alfredo Bufren até o Paço da Liberdade, uma linda construção de 1916 com detalhes em art noveau e neoclássicos, antiga sede do governo municipal e atual centro cultural.

Paco da Liberdade - Curitiba - ParanaPaço da Liberdade

Logo atrás está a Praça Tiradentes, a mais antiga da cidade e onde está o marco zero, e a Catedral de Curitiba, também conhecida como Catedral Basílica Menor de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais. A atual e imponente catedral em estilo neogótico substitui a simples capela de pau a pique erguida em 1668. As pinturas do interior são lindíssimas!

Praca Tiradentes - Curitiba - ParanaPraça Tiradentes

Catedral - Curitiba - ParanaCatedral de Curitiba

Catedral - Curitiba - ParanaCatedral de Curitiba – Interior

Suba a Rua Barão do Serro Azul até a Rua São Francisco, na área mais antiga da cidade, com os casarões históricos semelhantes aos que encontramos em cidades como Tiradentes ou Paraty. No local, aos domingos, ocorre a imensa Feira da Ordem, uma feira de artesanato regional.

Feira da Ordem - Curitiba - ParanaFeira da Ordem aos domingos

Ao longo da rua, três antigas igrejas merecem atenção:  a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas (ou Igreja da Ordem), concluída em 1737, a Igreja Presbiteriana e a Igreja de Nossa Senhora do Rosário de São Benedito, construída pelos escravos pouco tempo depois da Igreja da Ordem.

Igreja da Ordem - Curitiba - ParanaIgreja da Ordem

Igreja Presbiteriana - Curitiba - ParanaIgreja Presbiteriana

Igreja Nossa Senhora do Rosario de Sao Benedito - Curitiba - ParanaIgreja de Nossa Senhora do Rosário de São Benedito

Atravesse a rua para o Relógio das Flores, em frente ao Palácio Garibaldi, construído em 1904. Atrás estão as Ruínas de São Francisco, parte da fundação que se tornaria a Igreja de São Francisco, nunca concluída.

Relogio das Flores - Curitiba - ParanaRelógio das Flores com Palácio Garibaldi ao fundo

Ruinas de Sao Francisco - Curitiba - ParanaRuínas de São Francisco

Ao lado encontra-se o surpreendente Museu Paranaense. Com entrada gratuita, o antigo palácio de 1929 conta com um ótimo acervo que retrata a história do estado, com destaque para o anexo sobre o grande papel dos imigrantes europeus na ocupação do Paraná. Na quadra seguinte localiza-se a Mesquita Imam Ali ibn Abi Talib, de 1972. É possível agendar uma visita ao interior.

Museu Paranaense - Curitiba - ParanaMuseu Paranaense

Mesquita - Curitiba - ParanaMesquita de Curitiba

Nossa sugestão de almoço é o Armazém Santo Antônio (Rua Solimões, 344), um restaurante em uma antiga e agradável casa com um cardápio variado com diferentes (e chamativas!) opções. Como decidimos não fazer o passeio de trem, pedimos o famoso barreado, um prato típico do litoral paranaense, com mais de 300 anos de história – carne bovina temperada, farinha de mandioca, arroz e banana da terra fatiada. Estava delicioso! Pedimos, ainda, uma porção de bolinho de bacalhau de entrada (sequinho!), uma caipirinha de tangerina com pimenta (no ponto!) e um soufflé de goiabada de sobremesa (fabuloso!).

Armazem Santo Antonio - Curitiba - ParanaArmazém Santo Antônio

Armazem Santo Antonio - Curitiba - ParanaArmazém Santo Antônio – Porção de Bolinho de Bacalhau

Armazem Santo Antonio - Curitiba - ParanaArmazém Santo Antônio – Barreado

Armazem Santo Antonio - Curitiba - ParanaArmazém Santo Antônio – Soufflé de Goiabada

Com energias recuperadas, termine o dia no Batel, um charmoso e moderno bairro da cidade, ao lado do centro e repleto de ótimos restaurantes e mais dois pontos turísticos. O primeiro é a Praça do Japão, construída em 1962 em homenagem aos imigrantes japoneses, com lagos artificiais, cerejeiras vindas do Japão e um memorial. Uma curiosidade é o fato de Curitiba ser a segunda maior colônia nipônica do Brasil, atrás apenas de São Paulo!

Praca Japao - Curitiba - ParanaPraça do Japão

O segundo ponto turístico é o Castelo do Batel (Av. do Batel, 1323), um belíssimo palácio construído em 1924 por um rico agricultor, que teve muitos usos ao longo do século XX até tornar-se um centro de eventos no início do século XXI.

Castelo do Batel - Curitiba - ParanaCastelo do Batel

Vale lembrar, ainda, do luxuoso Shopping Pátio Batel (Av. do Batel, 1868), uma alternativa para compras. No entanto, Curitiba é conhecida pelas excelentes docerias espalhadas pela cidade e uma pequena área do shopping, chamada Mercado Gastronômico, reúne a filial de duas delas – O Famoso Brigadeiro e Fada Formiga. Provamos o brigadeiro (kit com quatro: morango, limão, doce de leite e pistache) após o churrasco (veja abaixo!) e amamos!

Shopping Patio Batel - Curitiba - ParanaShopping Pátio Batel

Shopping Patio Batel - Curitiba - ParanaShopping Pátio Batel – Interior

O Famoso Brigadeiro - Curitiba - ParanaO Famoso Brigadeiro

O Famoso Brigadeiro - Curitiba - ParanaO Famoso Brigadeiro – Morango, Limão, Doce de Leite, Pistache

Se desejar jantar na região do Batel temos algumas sugestões. A Churrascaria Batel Grill (Av. N. Sra. Aparecida, 78) é uma das melhores da cidade! Com um buffet de altíssima qualidade para frios, quentes e japonês, agrada mesmo aqueles que não gostam tanto – ou não comem – carne. Conferimos e aprovamos!

Churrascaria Batel - Curitiba - ParanaChurrascaria Batel Grill

Já em homenagem aos imigrantes italianos, existem diversas opções muito recomendadas. Provamos duas: o Barolo Trattoria (Av. Silva Jardim, 2487) e o Porcini Trattoria (Rua Buenos Aires 277). O Barolo é um dos mais badalados da cidade e vale a pena reservar. No entanto, ficamos decepcionados tanto com a qualidade da entrada (bruschetta de alcachofra) quanto do prato (ravioli de abóbora com molho de gorgonzola que mais parecia uma massa boiando no molho) e do atendimento (péssimo!). Saímos frustrados!

Barolo Tratattoria - Curitiba - ParanaBarolo Trattoria

Já o Porcini superou todas as expectativas. Almoçamos durante a Páscoa e pedimos (de um cardápio especial) o camarão empanado no coco acompanhado de risoto de brie e aspargos frescos ao molho de laranja e maracujá e peixe grelhado ao molho de uvas verdes e passas acompanhado de arroz cremoso de amêndoas e figos puxados no vinho branco. Uma explosão deliciosa de sabores!

Porcini Tratattoria - Curitiba - ParanaPorcini – camarão empanado no coco e risoto de brie e aspargos frescos ao molho de laranja e maracujá

Porcini Tratattoria - Curitiba - ParanaPorcini – peixe ao molho de uvas verdes e passas e arroz cremoso de amêndoas e figos no vinho branco

No segundo dia, sugerimos comprar o cartão para a Linha Turismo, que explicamos no início do post, e começar pelo Jardim Botânico, um dos principais e mais bonitos cartões-postais de Curitiba. Inaugurado em 1991 com mais de 275 mil metros quadrados, conta com inúmeras espécies do mundo inteiro, sendo destaque o Palácio de Cristal, uma imensa estufa de ferro e cristal inspirada no de Londres, e o Jardim das Sensações, uma pequena área que convida o visitante a aguçar seus sentidos através de diversas texturas e aromas distintos.

Jardim Botanico - Curitiba - ParanaJardim Botânico – Palácio de Cristal

Jardim Botanico - Curitiba - ParanaJardim Botânico – Palácio de Cristal

Jardim Botanico - Curitiba - ParanaJardim Botânico

Jardim Botanico - Curitiba - ParanaJardim Botânico

Jardim Botanico - Curitiba - ParanaJardim Botânico – Jardim das Sensações

Jardim Botanico - Curitiba - ParanaJardim Botânico – Jardim das Sensações

Retorne para o ônibus, que passará pela Rodoferroviária, Mercado Municipal, com artigos do mundo inteiro, algumas atrações históricas do dia anterior – Teatro Guaíra, Universidade do Paraná, Paço da Liberdade e Passeio Público -, o Memorial Árabe, onde funciona uma biblioteca especializada, o Centro Cívico, com os prédios administrativos de Curitiba e do Paraná, até chegar à nossa próxima parada, o Museu Oscar Niemeyer. Projetado pelo arquiteto homônimo em 1967, foi inaugurado apenas em 2002, e é conhecido como Museu do Olho em alusão à construção. Seu acervo é dedicado às artes visuais e arquitetura. Infelizmente estava fechado no dia em que estivemos no local.

Mercado Municipal - Curitiba - ParanaMercado Municipal

Memorial Arabe - Curitiba - ParanaMemorial Árabe

Museu Oscar Niemeyer - Curitiba - ParanaMuseu Oscar Niemeyer

Ao lado está outra parada, o Bosque do Papa, um agradável parque curitibano com inúmeras araucárias. Foi criado em homenagem ao Papa João Paulo II e abriga o Memorial Polonês, com casas que ilustram o modo de viver e a arquitetura das residências polonesas do século XIX.

Bosque Polones - Curitiba - ParanaBosque do Papa

Bosque Polones - Curitiba - ParanaBosque do Papa

Uma dica: logo na saída oposta do bosque, à direita, existe uma pequena casa de chá e confeitaria chamada Kawiarnia Krakowiak. O interior é simplesmente uma graça e as opções do cardápio são diversas, mas, como ainda era cedo, nos rendemos ao famoso Kremòwka papieska (ou Doce do Papa), uma espécie de folhado recheado com creme que era um dos doces preferidos de João Paulo II. Outra dica do local são os pierogis, um prato típico polonês que amamos (e repetimos!) durante a visita à Polônia, tanto Varsóvia como Cracóvia.

Kawiarnia Krakowiak - Curitiba - ParanaKawiarnia Krakowiak

Kawiarnia Krakowiak - Curitiba - ParanaKawiarnia Krakowiak – Interior

Kawiarnia Krakowiak - Curitiba - ParanaKawiarnia Krakowiak – Kremòwka papieska

De volta ao ônibus, a próxima parada é outro parque, o Bosque Alemão. Inaugurado em 1996 em uma área de mata fechada que já pertenceu à família Schaffer, possui um oratório utilizado para concertos musicais, além de uma trilha e réplica da fachada de uma antiga construção germânica do início do século XX.

Bosque Alemao - Curitiba - ParanaBosque do Alemão – Portal de entrada – réplica da construção germânica

Bosque Alemao - Curitiba - ParanaBosque do Alemão

Bosque Alemao - Curitiba - ParanaBosque do Alemão – Oratório

Os próximos pontos da Linha Turismo são a Universidade Livre do Meio Ambiente, um espaço que promove educação ambiental, e o Parque São Lourenço, uma área verde nativa. Optamos por seguir direto para a Ópera de Arame. Inaugurado em 1992, esse imenso teatro de aço coberto por placas transparentes é cercado por um lago artificial, recebe diversos eventos culturais e abriga um restaurante e lanchonete.

Opera de Arame - Curitiba - Parana

A parada seguinte é o Parque Tanguá, inaugurado em 1996 em uma área previamente utilizada para extração de pedras. Com mais de 230 mil metros quadrados de verde, além de um lago e uma cascata, é uma opção excelente de lazer para os curitibanos.

Parque Tangua - Curitiba - ParanaParque Tanguá – Mirante

Parque Tangua - Curitiba - ParanaParque Tanguá – Lago com mirante ao fundo na parte superior

Parque Tangua - Curitiba - ParanaParque Tanguá – Cascata

Continuando o passeio, as duas próximas paradas são no Parque Tingui. Desça na segunda parada para conhecer o belíssimo Memorial Ucraniano. Inaugurado em 1995, é uma homenagem da cidade aos imigrantes ucranianos que vieram para Curitiba no século XIX, com construções típicas da época, além da réplica da mais antiga igreja da Ucrânia no Brasil.

Memorial Ucraniano - Curitiba - ParanaMemorial Ucraniano

Memorial Ucraniano - Curitiba - ParanaMemorial Ucraniano

Pulamos as duas próximas paradas – Portal Italiano e Santa Felicidade -, que estão localizadas na antiga colônia italiana dos imigrantes que vieram da região de Vêneto e Trentino. Próxima à parada Santa Felicidade encontra-se uma vinícola e o famoso restaurante Maladosso, o maior restaurante das Américas, com mais de 4500 lugares. Como havíamos programado um jantar no Barolo Trattoria, decidimos seguir direto para o Parque Barigui. Em uma área de quase 1 milhão e 500 metros quadrados, é um dos preferidos da população para desfrutar os dias ensolarados, tendo sido uma solução para conter os alagamentos frequentes na região antes de sua criação em 1972. Infelizmente, como havia chovido bastante no dia anterior, algumas áreas estavam um pouco alagadas.

Parque Barigui - Curitiba - ParanaParque Barigui

Fechando as dicas gastronômicas, um local alternativo, mas que vale muito a pena para encerrar a noite ou simplesmente abrir o apetite no final da tarde antes do jantar é o BarBaran (Alameda Augusto Stellfeld, 799), um dos melhores botecos de Curitiba, com pratos da cozinha ucraniana (provamos o holoptchi de trigo sarraceno e varenek de batata com repolho), além de servir o famoso pão com bolinho – um pão recheado por um bolo de carne. Vale a parada!

BarBaran - Curitiba - ParanaBarBaran

BarBaran - Curitiba - ParanaBarBaran – Pão com bolinho tradicional

BarBaran - Curitiba - ParanaBarBaran – Holoptchi de trigo sarraceno e Varenek de batata com repolho

Gostou do roteiro e das dicas? Faça suas reservas pelas caixas de pesquisa na lateral, nos links ao longo do post ou clique para reservas de hospedagem no Booking ou aluguel de carros no RentalCars. Você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a manter o site. Obrigado!


Precisa de orientação para montar um roteiro inesquecível? Quer ajuda em reservas de hotéis, aluguel de carros, passagens de avião, ônibus ou trem? Quer montar um roteiro 100% personalizado e tornar sua viagem inesquecível? Visite nossa página de Roteiros Personalizados ou deixe sua mensagem abaixo.

Silvia Carvalho

Carioca, casada, 31 anos, médica, sempre com uma máquina fotográfica na bolsa, apaixonada por viajar e degustar as comidas típicas locais.

24 Resultados

  1. Luisa Galiza disse:

    Esse passeio de trem é da vidaaaaa! Eu fiz uma vez mas preciso repetir porque o céu estava bem nublado e as nuves tamparam parte da paisagem…..

  2. Tiago disse:

    Fui a Curitiba a alguns anos atrás e fiz o passeio de trem, mas no dia uma composição de um trem industrial descarrilhou já qse chegando em Morretes e o trem turístico teve que voltar… fiquei mais de 5 hrs dentro do trem (ida e volta direto), sem chegar a Morretes e apesar da empresa ter sido super atenciosa e devolvido o dinheiro de todos, fiquei com aquela impressão chata de todo o cansaço do dia. Preciso voltar urgentemente!!! rs

  3. Anna Claudia disse:

    Eu gosto muito de Curitiba! Já foi, há um tempo atrás, considerada a melhor capital do país para se viver. Quando eu morava em Maringá, ia muito a Curitiba e agora que moro em MS estou sentindo falta. A única coisa que não gosto muito de lá é que faz muito frio e dificilmente eu conseguia pegar Curitiba ensolarada!

  4. Aninha Lima disse:

    Eu amei Curitiba e adorei relembrar dessa cidade deliciosa com vcs!
    Acho q tomaram a decisão acertada quanto ao passeio de trem. Eu não achei nada demais e até cansativo! Mas Morretes, a cidade destino, é super charmosinha… Além do Barreado ser maravilhoso!!

  5. Mariliza Domingos disse:

    Eu amei conhecer Curitiba e vivo dizendo para o Paulinho que a cidade que eu escolheria para viver. Cidade limpa, organizada e cheias de opções, pena que foi uma passadinha rápida. Espero retornar em breve!! Quero experimentar esse brigadeiro hum fiquei com água na boca, muito bomm!! Dica anotada! O passeio de trem também, achei bem legal. Preciso ir!!

  6. Paulo Venoso disse:

    Já fui para Curitiba uma vez e fiquei apenas 2 dias, achei a cidade fantástica, mas não imaginava que teria tantas coisas assim rsrs, visitei o jardim botânico e opera de arame, pensei que era as principais atrações de lá, mas agora que vi que não conheci realmente nada rsrs, bosque do papa , bosque do alemão e o parque tanguá achei tudo lindo, preciso voltar para fazer um roteiro desses, adorei as dicas.

  7. Rayane Azevedo disse:

    Já fui 3 vezes à Curitiba, quando morava em Floripa. Só que sempre foi pra vida noturna da cidade… hahaha Conheci pouquíssimas coisas e me arrependo super!
    Preciso voltar urgentemente pra lá… O post foi uma mega inspiração… super completo e cheio de detalhes!

  8. Igor Augusto disse:

    Quanto mais eu vejo sobre Curitiba, maior a certeza de que quero visitar essa cidade. Uma das mais belas do Brasil, hein? O Jardim Botânico é icônico, assim como o Teatro de Arame. Não sabia dessa Praça do Japão, gostei! E esse Memorial Ucraniano? A maior chiqueza! Belo post!

  9. Danielle disse:

    Amooooo Curitiba! Sempre quando vou, fico 2 dias e acaba sendo super corrido!! Já fui 2x e quero voltar!!
    Às vezes acho que todas as estações do ano acontecem no mesmo dia kkkkk… loucura o tempo na cidade!!
    Passei em quase todos os pontos que você mencionou, menos a mesquita.
    Em qual lugar você gostou mais?

    • Olá Danielle, com certeza o tempo é maluco! Vivenciamos um pouquinho dessa experiência no período na cidade, hehe.
      O local que mais gostamos foi o Memorial Ucraniano por ser diferente de tudo que já havíamos visto antes, mesmo nas viagens pelo leste europeu. E você?

  10. Alexandre Nunes disse:

    Conheci Curitiba no carnaval desse ano e foi incrível. Amei fazer o passeio de trem e comer o famoso barreado. Tive sorte de nao ter chovido nenhum dia. Post show e repleto de dicas super úteis. abraços

  11. Renata Telles disse:

    Olhaaa eu moro em Sao Paulo e sempre quis conhecer Curitiba, sei que é uma viagem curta de bus! Agora com seu post e suas dicas ja fiquei super empolgada pra organizar minha trip!! Parabensss pelo post, dicas muito uteis!!

  12. Caroline Rivera disse:

    Que post mais completo. Parabéns!
    Curitiba tem muuuuita coisa pra fazer mesmo, que máximo!

    AS dicas que mais gostei: Rua 24 horas, Catedral de Curitiba, o Jardim Botânico (claro!) e o Museu Oscar Niemeyer iradooo.

    E a comida lá deve ser uma delícia hein! Aiii preciso conhecer!!!

    Amei o post.

    Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Reprodução ou cópia não autorizada!