Dicas e Roteiros de Viagem pela França

República da França está predominantemente localizada na Europa Ocidental, mas possui territórios em outros locais e continentes. Faz fronteira com Bélgica e Luxemburgo ao noroeste, Alemanha e Suíça no leste, Itália e Mônaco no sudeste, Andorra e Espanha no sudeste, além de estar bem próxima da Inglaterra ao norte. Possui uma população próxima a 67 milhões de habitantes, sendo mais de 2 milhões em Paris, a aclamada capital e cidade mais populosa do país.

Os primeiros relatos de ocupação do atual território francês datam de centenas de milhares de anos, mas o desenvolvimento aconteceu há cerca de 5 mil anos atrás. No entanto, a organização territorial – muito semelhante à atual – aconteceu há 2 mil anos, com a expansão celta para o território chamado de Gália.

A invasão pelo Império Romano e, com sua queda, por diferentes povos, estagnou o desenvolvimento francês até o início da reunificação no século V, apenas concluída 700 anos mais tarde, com um revés pela Guerra dos Cem Anos com a Inglaterra e a Peste Negra que assolou grande parte da Europa. Os séculos seguintes foram de grande desenvolvimento cultural com o Renascimento e uma marcante expansão política, sobretudo durante o reinado de Luis XIV.

Contudo, seus sucessores fracassaram em dar continuidade a esse desenvolvimento, abrindo espaço para a Revolução Francesa em 1789, determinando o fim da nobreza e a instituição dos princípios democráticos, culminando com o surgimento da Primeira República Francesa em 1792. Inúmeros países europeus declararam então guerra à França, o que facilitou a tomada do poder por Napoleão Bonaparte, que se tornou Imperador e não apenas expulsou os invasores como expandiu as fronteiras durante as duas primeiras décadas do século XIX.

Com a derrota de Napoleão em Waterloo, a monarquia foi restaurada e os princípios democráticos suprimidos, o que durou até a Revolução de 1848, quando foi proclamada a Segunda República Francesa. Contudo, a República foi substituída por nova fase imperial que durou duas décadas até a proclamação da Terceira República Francesa. Até a 1ª Guerra Mundial, o período chamado de Belle Époque foi marcado por grande prosperidade, paz e otimismo, com importante expansão territorial na África e Ásia.

Embora vitoriosa na Grande Guerra, as perdas humanas e materiais foram imensas e o período até a 2ª Guerra Mundial foi de muita incerteza, culminando em menor resistência do que o esperado à invasão nazista. Com a ajuda dos Aliados, a França emergiu da guerra como uma grande potência econômica e política, garantido, até os dias atuais, seu papel de destaque não apenas na Europa, mas no cenário mundial, como uma das maiores economias do mundo em um estado com ótima saúde e educação, alto padrão e expectativa de vida ao seu povo.

No entanto, as crises recentes causaram aumento significativo no desemprego e no endividamento público, resultando em diversas reformas. Paralelamente, o país tem sofrido sucessivos ataques terroristas, gerando polarização política e aumento da xenofobia, o que entra em choque com os princípios defendidos pela Revolução. Contudo, nada disso ofusca os encantos do litoral, as belíssimas e históricas construções e a excepcional culinária!

Mapa - França
Fonte: WorldMapFinder

A França faz parte da União Europeia (UE) desde sua fundação e adotou como moeda o euro. Assim como nos demais países do bloco, não existe necessidade de visto para permanência menor do que 90 dias nem vacinação obrigatória para brasileiros.

Na gastronomia, existem muitas diferenças entre as regiões francesas, mas em todas o requinte é a palavra-chave, sempre respeitando a sequência entrada (entrée), prato principal (plat principal) e sobremesa (dessert). Os destaques ficam para os queijos (é possível degustar um tipo por dia sem conseguir provar todos em um ano!), os crepes, os escargots (tipo de caracol cozido), o pato (magret de canard = peito; confit de canard = coxa), o coelho (lapin), os frutos do mar (no litoral) e a carne vermelha (steak au poivre = com pimenta, steak tartare = crua temperada; boeuf bourguignon = com vinho tinto). De sobremesa, o mille-feuilles (mil folhas), o croissant, o pain au chocolat (pão recheado de chocolate), o macaron (tipo biscoito) e o crème brûlée (creme de leite com açúcar queimado) dão o toque final! A bebida mais apreciada é o vinho, com incontáveis opções e preços, todos de ótima qualidade!

idioma oficial é o francês. No entanto, não se desespere, é cada vez mais fácil se comunicar em inglês, sobretudo se introduzir o diálogo com um básico de francês! O fuso horário é de mais 5 horas em relação à Brasília, variando conforme o horário de verão. O clima varia com a região do país mas, em geral, possui estações bem demarcadas, sendo o norte mais frio do que o sul. A temperatura é baixa no inverno, podendo ser negativa em grande parte do país e quente no verão, atingindo acima de 30ºC na região do Mediterrâneo.

O roteiro pode ser apenas pela França, seja sua capital ou as diversas regiões, ou para os países vizinhos como Bélgica, Alemanha, Itália, Espanha e Inglaterra. Dessa forma, o deslocamento pode ser realizado de trem ou avião, existindo diversas companhias que oferecem voos diretos a partir do Brasil.

Estivemos na França em inúmeras oportunidades, tendo visitado desde a Côte D’Azur até a Normandia, passando pela Provence, Bourgogne, Alsace, Val du Loire e Champagne, além, é claro, de Paris.

Gostou do roteiro e das dicas? Faça suas reservas pelas caixas de pesquisa na lateral, nos links ao longo do post ou clique para reservas de hospedagem no Booking. Você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a manter o site. Obrigado!

Thiago Carvalho

Carioca, casado, 32 anos, médico, amante da natureza e apaixonado por viagem, de Itaipava no fim de semana ao Bungee Jumping na Nova Zelândia. Volta de uma viagem com o roteiro pronto para a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Alerta: Conteúdo Protegido!