Cusco, coração do Império Inca

Conforme explicamos no roteiro do Peru, após a passagem por Lima, seguimos para Cusco – “umbigo do mundo” em quechua -, uma pequena cidade no sul do Peru com 350 mil habitantes e altitude de 3400 metros. Foi a capital do Império Inca, maior civilização americana pré-colombiana e, portanto, sua riqueza cultural e arquitetônica é imensa. Infelizmente, parte foi destruída pela invasão espanhola – com o objetivo de demonstrar o poder, os espanhóis destruíram os templos e sobre o local construíram igrejas.

Qual a melhor época para ir a Cusco?

Pela proximidade com a linha do Equador, a variação de temperatura ao longo do ano é pequena (média de 6-20ºC no verão e 0-18ºC no inverno), mas as chances de chuva não. Enquanto o verão é chuvoso, o inverno é seco. Portanto, o período recomendado é entre maio e setembro, sendo possível abril e outubro. Fomos em abril de 2014 e felizmente não tivemos qualquer problema!

Quanto tempo ficar em Cusco?

O centro histórico não é muito grande e pode ser facilmente percorrido a pé, mas além do mínimo de um dia a ser dedicado para Machu Picchu, a visita às ruínas próximas do centro e ao Vale Sagrado é obrigatória. Por isso, o tempo mínimo que recomendamos é de três dias inteiros, embora recomendemos quatro para incluir Maras e Moray ou cinco (nosso caso!) para dedicar dois dias a Machu Picchu.

Como chegar a Cusco?

A maioria dos visitantes chega de avião vindo de Lima (várias companhias aéreas fazem os diversos voos diários) em uma viagem de pouco mais de uma hora. O translado do aeroporto de Cusco (5km em 15 minutos) para o hotel estava incluso na diária e, portanto, foi super tranquilo. Caso não seja o seu caso, existe a opção do táxi (não deixe de confirmar o preço antes e procure sempre um credenciado!) ou dos aplicativos (como Uber).

Onde ficar em Cusco?

A principal recomendação é se hospedar no entorno da Plaza de Armas, uma vez que quase todos os pontos turísticos e principais restaurantes ficam nessa região. Além disso, muitas ruas são em aclive. Portanto, tendo em vista o que descrevemos no post Mal de Altitude, essa escolha não apenas reduzirá as distâncias, mas minimizará os sintomas. Caso deseje dormir em Machu Picchu (nossa recomendação!), apenas reserve sem incluir a noite em Aguas Calientes que o hotel guardará sua mala (explicamos melhor no roteiro de Machu Picchu).

Escolhemos o Tierra Viva Cuzco Plaza – excelente localização (a 1 minuto a pé da praça), confortáveis áreas de estar e quartos limpos e espaçosos com mezanino e claraboia com bela vista para o céu. O café da manhã é incluso, embora com pouca variedade.

Existem diversas opções de hotel (veja todos aqui). Sugerimos os cinco estrelas Aranwa Boutique Hotel, Belmond Hotel Monasterio, Marriot El Convento e Casa Cartagena Boutique Hotel, os quatro estrelas Ramada by Windham, Andean Wings Boutique Hotel, El Mercado, Hotel Plaza de Armas e Novotel e os três estrelas MOAF Boutique, Tambo del Arriero Hotel e Casa Cavassa Centro Historico.

Boleto Turístico

O Boleto Turístico funciona no estilo do City Pass existente em inúmeras cidades como Nova Iorque. No entanto, para a visita de alguns pontos a compra dos chamados circuitos (que incluem alguns dos pontos) é obrigatória, ou seja, para determinadas atrações não existe ingresso avulso. Para os que vão fazer todos os passeios, é imprescindível e possui excelente custo-benefício. Compramos o Integral, com validade de 10 dias, mas existem boletos mais simples, chamados de parciais, que contemplam as atrações geralmente realizadas em conjunto (ex: City Tour ou Vale Sagrado).

Não existe compra antecipada nem online, mas não se preocupe porque não se esgota e pode ser comprada em praticamente qualquer atração ou diretamente na Central de Informações Turísticas, na Av El Sol 103, no centro histórico de Cusco.

Boleto Turistico - Cusco - Peru

Como reservar os passeios?

Existem duas principais opções para os passeios:

  • Passeios/Excursões: é o mais comum e não há muita diferença entre a grande maioria das agências (salvo no custo!), uma vez que os turistas de agências distintas se misturam nos ônibus e vans que saem para as atrações.
  • Particular: através de táxi ou indicação no hotel. A grande vantagem é a maior flexibilização e otimização do tempo. No entanto, além do custo ser mais elevado, existe o risco do motorista não ser um bom guia. Caso isto aconteça, recomendamos a contratação do guia em cada uma das atrações, uma vez que as explicações são fundamentais para a compreensão das construções – lembre-se que a grande maioria é composta de ruínas!

O que fazer? Roteiro Resumido!

Conforme descrevemos anteriormente, recomendamos pelo menos três e idealmente quatro dias para a cidade. Existem cinco principais grupos de atrações/passeios em Cusco e dividimos o roteiro desta forma!

Centro Histórico

Recomendamos começar a visita com o Centro Histórico, permitindo uma aclimatização da altitude em seu próprio tempo em um passeio de curtas distâncias. Comece pela Plaza de Armas. Essa maravilhosa praça é o coração da cidade. Aproveitamos para conhecer a belíssima Catedral Basílica de Cusco, construída entre 1560 e 1654 em estilo gótico-renascentista onde funciona um suntuoso museu de arte colonial, e o Templo de La Compañia de Jesus, construída no mesmo período em estilo barroco. As fotos são proibidas e tudo é pago (e não é barato!), mas vale cada sole.

Plaza de Armas - Cusco - Peru
Plaza de Armas
Plaza de Armas - Cusco - Peru
Catedral à esquerda e Templo à direita
Catedral - Cusco - Peru
Fachada da imponente catedral
Plaza de Armas - Cusco - Peru

Continue pela Cuesta del Almirante até o MAP (Museu de Arte Precolombiana), cuja visita é imperdível, sobretudo se não tiver ido no Larco em Lima, porque ajuda a compreender as civilizações que antecederam os incas e os próprios incas. Se possível vá antes da visita aos templos.

Museu de Arte Precolombiana - Cusco - Peru

No retorno, visite o Museu Inka, com uma rica coleção da civilização homônima, cruze a Plaza de Armas até outra importante praça, a Plaza Regocijo.

Cusco - Peru
Estreitas e inclinadas ruas de Cusco
Museo Inka - Cusco - Peru
Museu Inka
Plaza Regocijo - Cusco - Peru
Plaza Regocijo

A uma quadra, pela Calle Espinar, está a Basilica de La Merced, erguida no século XVI. Com o terremoto de 1650, foi reconstruída com traços barrocos, neoclássicos e renascentistas.

Iglesia La Merced - Cusco - Peru
Basilica La Merced

Vire na Mantas e termine o passeio pela Avenida El Sol na altura da feira de artesanato, uma ótima (e barata!) opção para a compra de artesanatos locais.

Avenida El Sol - Cusco - Peru
Avenida El Sol
Monumento - Cusco - Peru
Monumento no caminho

Caso sobre tempo, recomendamos ir até o Monumento Pachacuteq, onde funciona um museu em homenagem ao grande imperador inca que construiu a cidade de Cusco.

Pachacuteq - Cusco - Peru
Monumento Pachacuteq

Vale Sagrado

O passeio compreende três principais ruínas ao longo de um dia: Pisac, Ollantaytambo e Chinchero. O vale sagrado é um lugar fabuloso, de natureza estonteante e cortado pelo Rio Urubamba. A primeira parada é uma pequena feirinha de artesanato seguida de um mirante com vista espetacular do vale.

Mirante - Valle Sagrado - Cusco - Peru

Alguns quilômetros após estão as ruínas de Pisac (a 33km de Cusco). É fantástico o sistema criado para o encaixe das pedras (que resiste a terremotos), para trazer água até às plantações e moradias. Os cemitérios também chamam atenção.

Pisac - Valle Sagrado - Cusco - Peru
Ruínas
Pisac - Valle Sagrado - Cusco - Peru
Vista do vale e plantações
Pisac - Valle Sagrado - Cusco - Peru
Cemitérios
Pisac - Valle Sagrado - Cusco - Peru
Ruínas

A parada seguinte é Ollantaytambo (a 60km de Pisac), com uma outra parada no caminho para conhecer a fabricação de itens de prata e para um almoço (embora turístico, não estava ruim!). Na história, Ollantaytambo foi um local mais importante que Pisac, com várias construções religiosas, fortificações, estocagem de alimentos relacionada às correntes de vento e o Templo do Sol. Dois pontos nos surpreenderam nesta visita: a capacidade de trazer as pedras de regiões distantes para locais tão altos e a face esculpida na montanha.

Ollantaytambo - Valle Sagrado - Cusco - Peru
Ollantaytambo - Valle Sagrado - Cusco - Peru
Pedras retas e grandes representando locais sagrados
Ollantaytambo - Valle Sagrado - Cusco - Peru
Em contraste com as pedras ovais empilhadas sem a mesma precisão
Ollantaytambo - Valle Sagrado - Cusco - Peru
Vista do topo
Ollantaytambo - Valle Sagrado - Cusco - Peru
Vista na subida
Ollantaytambo - Valle Sagrado - Cusco - Peru
Templo do Sol com destaque para os detalhes na pedra
Ollantaytambo - Valle Sagrado - Cusco - Peru
Face do governante inca esculpida
Ollantaytambo - Valle Sagrado - Cusco - Peru
Fortificações no lado oposto

Conforme explicado no roteiro de Machu Picchu, parte do grupo deixa o passeio e segue para Águas Calientes após o término da visita e outra parte segue para a última parada: Chinchero (a 40km de Ollantaytambo). Este foi o nosso destino, onde vimos o sol se pôr, visitamos uma igreja construída sobre ruínas incas e assistimos à produção e tingimento dos tecidos vendidos nos artesanatos locais.

Trem - Valle Sagrado - Cusco - Peru
Saindo de Ollantaytambo
Chinchero - Valle Sagrado - Cusco - Peru
Igreja de origem espanhola sobre as ruínas incas
Chinchero - Valle Sagrado - Cusco - Peru
Igreja de origem espanhola sobre as ruínas incas
Chinchero - Valle Sagrado - Cusco - Peru
Produção artesanal

City Tour

Diferente do que o nome sugere, este passeio (duração de meio dia!) é um tour pelas ruínas de Cusco e do entorno. A primeira parada é dentro da própria cidade: Qoricancha – local onde residia o imperador e que foi parcialmente destruído pelos espanhóis para dar lugar ao Convento Santo Domingo. A perfeição das pedras, os conhecimentos astronômicos e os templos de sacrifícios são espetaculares.

Qoricancha - Cusco - Peru
Perfeição dos encaixes e alinhamento
Qoricancha - Cusco - Peru
Vista do exterior: ruínas em contraste com o convento

O passeio continua, então, em Sacsayhuman, cuja finalidade não é 100% conhecida (pode ter sido militar ou religiosa). Fato é que apenas pouco mais de 20% do original restou e a perfeição e o tamanho das pedras são únicos.

Sacsayhuaman - Cusco - Peru
Sacsayhuaman - Cusco - Peru
Vista panorâmica
Sacsayhuaman - Cusco - Peru
Vista de Cusco

Depois de algumas explicações, a parada é Q’enqo, templo de sacrifícios. A sensação é mística e a construção foi feita de forma que a pedra onde ocorriam as oferendas permanecesse sempre gelada. Incrível!

Q'enqo - Cusco - Peru
Local de sacrifícios
Q'enqo - Cusco - Peru
As ruínas de Q’enqo

A penúltima parada foi Tambomachay, templo religioso famoso pelas fontes de água sagrada e acesso a trilhas incas. Essas trilhas permitiam viagens pelas montanhas entre as mais variadas edificações, incluindo Machu Picchu.

Tambomachay - Cusco - Peru
Fontes Sagradas
Tambomachay - Cusco - Peru
Brincando com as lhamas
Tambomachay - Cusco - Peru
Matando a fome com o milho gigante com queijo

Por último, uma breve parada em Puca Pucara, entreposto inca que controlava o acesso à região.

Puca Pucara - Cusco - Peru

Moray e Salineras de Maras

Muitos visitantes não fazem esse passeio (dura meio dia!), mas consideramos imperdível! A primeira parada foi Moray, um centro de estudos agrícolas inca que cultivava diversos alimentos em microclimas criados artificialmente pelos degraus elaborados no solo.

Moray - Cusco - Peru

A segunda parada foi em Salineras de Maras, construídas no período inca com a canalização da água salgada das montanhas represadas para extração do sal. Além de engenhoso, belíssimas! Existem várias lojinhas de artesanato que vendem souvenirs à base do sal extraído.

Salineras de Maras - Cusco - Peru
Salineras de Maras - Cusco - Peru

Onde comer em Cusco?

Ao longo dos quatro dias na cidade, foi possível experimentar diferentes pratos e sabores, conforme descreveremos abaixo. Vale lembrar que, diferentemente de Lima, recomenda-se não ingerir frutos do mar, pois não são frescos como na capital e o risco de surpresas é maior.

1º Dia: Inkazuela

A especialidade deste ótimo restaurante é a sopa – variadas e com ingredientes típicos locais. Como estava frio, foi formidável! E atendeu a recomendação de refeições leves no primeiro dia. O atendimento foi feito pela própria dona – super simpática.
Endereço: Plazoleta Nazarenas 167
Site: http://restaurantinkazuela.com/

Inkazuela - Cusco - Peru
Inkazuela - Cusco - Peru
Inkazuela - Cusco - Peru
Inkazuela - Cusco - Peru

2º Dia: Incanto

Este restaurante ítalo-peruano é um dos mais badalados, com uma gastronomia saborosa. Provamos o porquinho-da-índia, um prato típico local. Não achamos nada demais, mas estava tudo gostoso!
Endereço: Santa Catalina Angosta 135

Cusquena - Cusco - Peru
Cerveja cusqueña
Incanto - Cusco - Peru
Porquinho-da-índia

3º Dia: Inka Grill

Este é um restaurante turístico, mas a entrada com bolinhos e chips de batata e os famosos aji de gallina e carne de alpaca como pratos típicos estavam deliciosos. Não nos arrependemos!
Endereço: Portal de Panes 115

Inka Grill - Cusco - Peru
Entradas
Inka Grill - Cusco - Peru
Aji de galinha e Carne de Alpaca

4º Dia: Chicha

Uma ótima opção para fechar em alto estilo, sendo recomendado reservar. O fabuloso jantar faz justiça ao chefe que assina o cardápio – ninguém menos que Gastón Acurio, um dos mais renomados do país. Foi um ótimo presente, já que estávamos comemorando meu aniversário!

Chicha - Cusco - Peru
Chicha - Cusco - Peru
Drinks espetaculares (o roxo do famoso chicha) acompanhando um leitão com risoto, batatas e milho e uma deliciosa massa recheada

Gostou do roteiro e das dicas? Faça suas reservas pelas caixas de pesquisa na lateral, nos links ao longo do post ou clique para reservas de hospedagem no Booking. Você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a manter o site. Obrigado!

Thiago Carvalho

Carioca, casado, 32 anos, médico, amante da natureza e apaixonado por viagem, de Itaipava no fim de semana ao Bungee Jumping na Nova Zelândia. Volta de uma viagem com o roteiro pronto para a próxima.

20 Resultados

  1. Maiara Barbosa disse:

    Fazer o caminho pelo Vale Sagrado de carro é de boas? Ouço muita gente que opta pelo passeio com agência e guia. O que vocês acham mais econômico e que vale mais a pena?

  2. Luisa disse:

    Ah como eu amo essa cidade!! E a catedral da Praça das Armas, como é linda por dentro? As feirinhas que acontecem ao redor dela tbm, é uma experiência antropológica…. 🙂

  3. Tiago disse:

    Ótimo post e roteiro incrível, fiz um bem parecido com o de vcs quando estive lá. Essa dica do Boleto Turístico é boa mesmo, economizei bastante com ele, só não deu tempo de fazer td que podia e acabei não indo ao Monumento Pachacuteq. Ah! Também comemorei meu niver pela cidade, não tem coisa melhor do que estar viajando para marcar essa data rs

  4. Rayane disse:

    Cusco está na minha lista de desejos há um tempinho já e quero riscar da lista o mais rápido possível.
    Adorei seu post, super completo!
    O City Tour é igual o free walking tour ou é pago?

    • Muito obrigado Rayane, você não vai se arrepender.
      Na verdade, o city tour é totalmente diferente do que conhecemos como city tour. Na verdade, é um passeio (pago!) pelas principais ruínas de cusco e de seu entorno e não uma visita às principais atrações da cidade.
      Qualquer dúvida é só falar!

  5. Suzy Freitas disse:

    Gente, que post super completo! Uma trip pelo Peru é uma de minhas prioridades na América do Sul. Já estou há algum tempo tentando tirar férias no período mais indicado para visitar o País – fora da temporada de chuvas – mas ainda não consegui. Vou salvar este post e certamente voltarei ao blog para consultar outras atrações do país no momento de montar meu roteiro. Parabéns pelo trabalho!

  6. Aline Pires disse:

    Fiquei encantada com esse roteiro e com a riqueza de detalhes. Tenho muita vontade de conhecer Cusco e viajei nas suas descrições. Achei muito bacana a dica do Boleto Turístico.

  7. Mariliza Domingos disse:

    Fiquei surpreendida com Cusco, o passeio do vale sagrado, das 3 ruínas já inclui no meu roteiro. Que lugar hein ? fiquei encantada com a paisagem, linda demais. O que achei mais curioso foi cemitério, e a forma que eles previnem contra terremoto. Interessante!
    Ah sobre culinária, gosto bastante da comida peruana. Dicas anotadíssimas, não vejo a hora de ir.

  8. Carla Macedo disse:

    Tive em Cusco em Agosto/18 e ler seu post, me refez relembrar grandes aventuras e ótimos momentos. Realmente o local além de ser lindo, é repleto de histórias, sobretudo uma cultura muito presente. O post está mega completo, parabéns!

  9. Leandra de Castro disse:

    Vou confessar que até então Cusco não me chamava atenção como destino. Mas depois de ler o post e ver as fotos, achei muuuito atrativo. Que lugares lindos. Acho que vou gostar de Cusco e já vou dar uma lida nas dicas sobre altitude. Muito boas as dicas!

  10. STHEFANIA PEIXOTO disse:

    Ai que saudades do Peru. Foram nas feirinhas e compraram muito artesanato? Tudo no Peru é lindo demais. Queria saber mais sobre o hotel que vocês ficaram. Acharam que foi uma boa escolha? Quando eu fui não fiquei bem hospedada e algumas amigas estão pedido essa dica.

    • Oi Stephania, com certeza! Trouxemos várias lembranças que enfeitam nossa casa…
      Quanto ao hotel, simplesmente adoramos! O café era simples, mas o restante ótimo.
      Além disso, ficava a poucos passos dos principais pontos da cidade e, sobretudo até acostumar com a altitude, foi excelente.
      Qualquer dúvida é só falar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Alerta: Conteúdo Protegido!