Uma surpresa chamada Oslo

Conforme explicado no post sobre a Noruega e os Fiordes, Oslo, a maior cidade do país com aproximadamente 800 mil habitantes, foi um dos destinos que visitamos durante a viagem pela Escandinávia. O norueguês é o idioma oficial, embora a maioria da população fale inglês.

Com indícios de ocupações organizadas desde o início do século X, Oslo é uma cidade milenar que tornou-se a capital da Noruega em 1299, quando foi iniciada a construção da Fortaleza Akershus. Inúmeros incêndios, a Peste Negra e o domínio dinamarquês contribuíram para séculos de pouca expansão. Com a independência norueguesa no século XIX, a cidade experimentou grande crescimento populacional e industrial, fato que se manteve até os dias de hoje, transformando-a em um dos principais centros econômicos da Europa, com alto Índice de Desenvolvimento Humano.

Qual a melhor época para ir em Oslo?

É uma cidade com clima continental úmido, temperatura média baixa no inverno (abaixo de zero grau), poucas horas de sol e grande chance de neve. Portanto, programe-se para ir entre maio e início de setembro, sobretudo junho a agosto, quando as temperaturas são mais amenas (entre 7ºC e 16ºC em maio e setembro e 10ºC e 22ºC entre junho e agosto) e os dias bem longos. Visitamos por um dia e meio em maio de 2017, com um belíssimo dia de sol, seguido de muita chuva!

Quanto tempo ficar em Oslo?

As principais atrações não são muito distantes e nem numerosas, mas requer tempo para visitar com calma. Portanto, sugerimos pelo menos dois dias inteiros para conhecer a cidade, embora o principal possa ser feito em um dia. Oslo foi uma agradável surpresa no final da viagem pela Escandinávia, superando as expectativas que tínhamos pelos relatos de amigos e outros blogs.

Como chegar em Oslo?

Existem quatro opções principais:

  • Avião: embora não existam voos diretos do Brasil para a Noruega, Oslo pode ser a porta de entrada ou saída da sua viagem. O aeroporto está localizado a 42 km do centro, mas é rapidamente acessível pelo trem expresso Flytoget ou em uma das linhas regionais (veja aqui) – ambas com duração de menos de 30 minutos da estação central. Optamos pela segunda opção pelo custo substancialmente menor. Outras alternativas são ônibus ou táxis.
  • Barco: uma alternativa diferente e confortável para os viajantes que vêm da Dinamarca.
  • Carro: excelente opção se deseja conhecer as paisagens do interior da Noruega.
  • Trem: ótima alternativa dependendo do local de origem, como Bergen ou Estocolmo.

Veja dicas de como comprar, economizar e se deslocar de trem na Europa em nosso post “Como viajar de trem na Europa“.

Onde ficar em Oslo?

Se estiver chegando e/ou saindo da cidade de avião ou trem, a região próxima à estação de trem no centro é uma ótima alternativa para hospedagem, permitindo realizar o deslocamento a pé pela cidade, além de facilitar e baratear a chegada e partida. Justamente por isso, escolhemos o Scandic Byporten, pertencente a uma ótima rede hoteleira escandinava. Os quartos são novos, limpos e confortáveis e o café da manhã é excelente. É uma ótima rede, considerando os altos preços para hospedagem na Escandinávia.

A cidade possui diversos hotéis (veja todos aqui). Outras sugestões na região são os quatro estrelas Best Western Plus City Hotel, Thon Hotel OperaThon Hotel TerminusClarion Collection Hotel Folketeateret e Radisson Blu Plaza Hotel, três estrelas Comfort Hotel Xpress Central StationComfort Hotel Grand CentralThon Hotel Panorama.

O que fazer? Roteiro Diário!

Montamos um roteiro de dois dias, deixando as duas regiões mais distantes para o segundo dia, o que permitiria percorrer apenas as atrações do primeiro dia para aqueles que optarem por uma estada mais compacta em Oslo. Começamos na região próxima à estação de trem. Já na saída está a praça Jernbanetorget, uma das mais antigas da cidade, com uma imensa escultura de um tigre no centro, um presente pelos 1000 anos da cidade, em homenagem a um de seus apelidos – Cidade do Tigre.

Jernbanetorget - Oslo - Noruega
Tigre na Jernbanetorget

Siga pela Karl Johans gate, a principal rua de Oslo. No primeiro trecho, restrito a pedestres, diversas lojas e marcas internacionais estão presentes.

Karls Johans Gate - Oslo - Noruega
Karl Johans gate

A apenas duas quadras está a Oslo Domkirke (ou Catedral de Oslo), concluída em 1697. É uma das mais importantes igrejas do país, recebendo cerimônias da realeza e do governo. A pintura do teto é maravilhosa!

Domkirke - Oslo - Noruega
Catedral de Oslo
Domkirke - Oslo - Noruega
Catedral de Oslo – Interior
Domkirke - Oslo - Noruega
Catedral de Oslo – Interior

Em frente encontra-se outra importante praça, a Stortorvet. Inaugurada em 1736, recebeu o mercado a céu aberto da cidade até 1889. Pequenas feiras ainda ocorrem no local, como a que presenciamos em nossa visita.

Stortorvet - Oslo - Noruega

Retorne à estação e vire à direita para chegar à Operahuset Oslo (ou Ópera de Oslo), casa da Ópera e Ballet da Noruega, em uma moderna e futurística construção, inaugurada em 2007. Ao lado, flutuando sobre as águas do fiorde, está a escultura She Lies, também de 2007, em uma estrutura tridimensional de aço e vidro representando um iceberg.

Opera Nacional - Oslo - Noruega
Ópera de Oslo
Opera Nacional - Oslo - Noruega
She Lies

No final da Langkaia, já é possível chegar ao Forsvarsmuseet (ou Museu das Forças Armadas), retratando a história militar do país desde a época viking.

Museu das Forcas Armadas - Oslo - Noruega
Museu das Forças Armadas
Museu das Forcas Armadas - Oslo - Noruega
Museu das Forças Armadas

Atrás do museu está a Akershus Festning (ou Fortaleza Akershus), um castelo medieval erguido em 1290 para defesa e residência da família real da época. Durante o verão é possível conhecer o interior através de visitas guiadas.

Fortaleza Akershus - Oslo - Noruega
Vista de Oslo
Fortaleza Akershus - Oslo - Noruega
Fortaleza Akershus
Fortaleza Akershus - Oslo - Noruega
Fortaleza Akershus
Fortaleza Akershus - Oslo - Noruega
Fortaleza Akershus

Continue para a Rådhuset (ou Prefeitura), que funciona em um imenso prédio de 1950. Em frente encontra-se o Nobels Fredssenter (ou Centro do Nobel da Paz), que funciona no prédio de uma antiga estação de trem de Oslo, erguido no século XIX. É neste local que anualmente é anunciado o Prêmio Nobel da Paz. Vale ressaltar que Alfred Nobel era sueco e o museu em sua homenagem está localizado, portanto, em Estocolmo.

Prefeitura - Oslo - Noruega
Prefeitura
Prefeitura - Oslo - Noruega
Prefeitura
Prefeitura - Oslo - Noruega
Praça em frente à prefeitura
Nobel Peace Center - Oslo - Noruega
Centro do Nobel da Paz

Atrás está localizada a região de Aker Brygge, uma região revitalizada no século XXI repleta de restaurantes e lojas, uma excelente opção para almoço ou jantar.

Akker Brygge - Oslo - Noruega

É dessa região que saem os barcos para a ilha Bygdøy, onde estão cinco museus – Marítimo, Fram, Navio Viking, Kon-Tiki e História Cultural. Conhecemos (e adoramos!) o Museu Fram, que conta a história de um assunto pouco discutido no Brasil –  as expedições pelo Ártico, com destaque para o navio (em exibição) que deu nome ao museu, construído no século XIX, sendo possível entrar em seu interior.

Museu Fram - Oslo - Noruega
Museu Fram
Museu Fram - Oslo - Noruega
Museu Fram – Interior

De volta à Akker Brygge, siga pela Olav Vs gate até o Nationaltheatret (ou Teatro Nacional), construído em 1899 e voltado para artes dramáticas. Em frente estão os prédios mais antigos da Universitetets (ou Universidade de Oslo), estabelecida em 1811. A rua que divide as duas construções é a Karl Johans gate, a principal rua de Oslo, ligando a estação ao Palácio Real.

Karls Johans Gate - Oslo - Noruega
Karl Johans gate
Universidade - Oslo - Noruega
Universidade de Oslo
Teatro Nacional - Oslo - Noruega
Teatro Nacional

À direita encontra-se o Stortinget (ou Parlamento da Noruega), em belo prédio inaugurado em 1866, além de duas belas e agradáveis praças.

Parlamento - Oslo - Noruega
Parlamento da Noruega
Karls Johans Gate - Oslo - Noruega
Praça na Karl Johans gate

Já na direção oposta, chega-se ao Det Kongelige Slott (ou Palácio Real) no lindo parque Slottsparken. Construído em estilo neoclássico na primeira metade de século XIX, é a residência oficial da realeza da Noruega. É aberto à visitação guiada durante um curto período no verão. Aproveite para caminhar pelo agradável e florido parque no entorno do Palácio.

Palacio Real - Oslo - Noruega
Palácio Real
Slottsparken - Oslo - Noruega
Slottsparken
Slottsparken - Oslo - Noruega
Slottsparken

Paralela a Karl Johans gate, a Kristian IVs gate abriga dois importantes museus da cidade – o Historisk museum (ou Museu Histórico), com exposições sobre a vida dos povos que habitaram a atual Noruega desde a Idade da Pedra até a Era Viking, além de tesouros noruegueses e etnografia; e a imperdível Nasjonalgalleriet (ou Galeria Nacional), com um compacto mas excelente acervo de grandes pintores e escultores europeus como Picasso, Monet, Rodin, além de um excelente acervo do ilustre pintor norueguês Edvard Munch, incluindo uma de suas mais famosas obras – “O Grito”.

Museu Historico - Oslo - Noruega
Museu Histórico
Galeria Nacional - Oslo - Noruega
Galeria Nacional de Oslo
Galeria Nacional - Oslo - Noruega
Galeria Nacional – O Grito

Continue pela Universitetsgata até a St. Olavs plass, virando à direita na St. Olavs Gate para chegar à St. Olav domkirke (ou Catedral de São Olav), uma suntuosa igreja em estilo gótico construída no século XIX.

St Olavs Plass - Oslo - Noruega
St. Olavs plass
St Olavs Domkirke - Oslo - Noruega
Catedral de St. Olav

Bem próxima está a imensa Trefoldighetskirken (ou Igreja da Santíssima Trindade), também em estilo gótico do século XIX, com uma linda construção octogonal.

Trinity Church - Oslo - Noruega
Igreja da Santíssima Trindade

Atrás da Catedral de St. Olav encontra-se o Vår Frelsers Gravlund, um cemitério aberto em 1808 em decorrência das epidemias de cólera e de desnutrição causadas pelas Guerras Napoleônicas. Diversas figuras importantes estão enterradas no local, com destaque para o pintor Edvard Munch.

Cemiterio - Oslo - Noruega
Cemitério
Cemiterio - Oslo - Noruega
Edvard Munch

Ao lado está a Gamle Aker kirke (ou Igreja Antiga), uma igreja medieval erguida por volta de 1080 em estilo romanesco com diversas modificações nos quase mil anos de sua história em decorrência de incêndios.

Gamle Church - Oslo - Noruega
Igreja Antiga

Desça pela Telthusbakken, uma charmosa e antiga rua de Oslo, que mantém as características de cidade pequena do passado, com suas casas de madeira coloridas, semelhantes a alguns exemplos que vimos durante a visita ao interior da Noruega.

Telthusbakken - Oslo - Noruega
Telthusbakken

No outro extremo está mais uma área verde da capital norueguesa, o Kuba Park. Localizado em um bairro residencial, é um bom exemplo de área de lazer frequentada pelos habitantes da capital. Se estiver com tempo sobrando, vale uma caminhada, incluindo a Aamodt Bru, uma histórica ponte do século XIX, reconstruída no século XX.

Kuba Park - Oslo - Noruega
Kuba Park
Aamodt Bru - Oslo - Noruega
Aamodt Bru

Termine o dia em um dos agradáveis restaurantes de Akker Brygge. Nossa sugestão é o Louise. Pedimos de entrada um mix de perna de veado com patê de rena, cogumelos e geleia de cranberry e um sopa de peixe com mexilhões. Em seguida, duas carnes regionais – de veado e um corte de gado norueguês, ambos acompanhados com cogumelos, purê de batatas e cebola. Para fechar, sorvete de gjetost (um queijo típico da cidade de Undredal – veja aqui) e um doce que lembra o crème brulée – caramelo salgado com marshmallow de limão e chocolate cristalizado acompanhado de sorvete de laranja.

Jantar - Oslo - Noruega
Restaurante Louise
Jantar - Oslo - Noruega
Mix de perna de veado com patê de rena, cogumelos e geleia de cranberry
Jantar - Oslo - Noruega
Sopa de peixe com mexilhão
Jantar - Oslo - Noruega
Carne de veado acompanhada de cogumelos, purê de batatas e cebola
Jantar - Oslo - Noruega
Corte de gado norueguês, ambos acompanhados com cogumelos, purê de batatas e cebola
Jantar - Oslo - Noruega
Sorvete de gjetost
Jantar - Oslo - Noruega
Caramelo com marshmallow de limão e chocolate cristalizado acompanhado de sorvete de laranja

Para o segundo dia, sugerimos três imensas áreas verdes, com tempo livre para curtir a cidade ou dedicar a outros museus. Comece pelo Frognerparken, onde está o fabuloso Vigelandsparken (ou Parque Vigeland). Essa área no centro do Frogner é constituída por mais de 200 esculturas do artista Gustav Vigeland, esculpidas entre 1924 e 1943. É um verdadeiro museu a céu aberto.

Vigeland Park - Oslo - Noruega
O Menino com Raiva – uma das mais famosas
Vigeland Park - Oslo - Noruega
Escultura do parque
Vigeland Park - Oslo - Noruega
Ponte – 58 esculturas precisamente alinhadas ao longo de 100 metros
Vigeland Park - Oslo - Noruega
Esculturas do parque
Vigeland Park - Oslo - Noruega
Parque Vigeland com o incrível Monolito ao fundo, uma coluna de 14 metros com 36 grupos de esculturas formando o “círculo da vida”
Vigeland Park - Oslo - Noruega
Frognerparken
Vigeland Park - Oslo - Noruega
Frognerparken
Oslo - Noruega
Andando por Oslo

Siga para o Botaniske hage (ou Jardim Botânico), fundado em 1814, onde está o Naturhistorisk Museum (ou Museu de História Natural) e o Tøyen Park. Infelizmente a chuva atrapalhou nossa visita! Entre os dois está o Munchmuseet (ou Museu do Munch). O acervo em exposição é variável, mas excelente. No entanto, se o tempo for curto, recomendamos priorizar a visita à Galeria Nacional, onde certamente estarão algumas de suas maiores obras.

Jardim Botanico - Oslo - Noruega
Jardim Botânico
Jardim Botanico - Oslo - Noruega
Jardim Botânico – Museu de História Natural ao Fundo
Museu Munch - Oslo - Noruega
Museu Munch
Museu Munch - Oslo - Noruega
Museu Munch

Não sobrou tempo para ir a um restaurante no segundo dia. No entanto, provamos mais duas iguarias regionais – o queijo gamalost, um queijo da época viking, cujo processo de cura demora mais de um mês, rico em proteínas e com menos de 5% de gorduras. Silvia odiou! Eu achei o sabor peculiar, mas faltou uma geleia ou acompanhamento. Independentemente do gosto, sempre achamos que vale a experiência!

Gamalost - Oslo - Noruega
Queijo Gamalost
Gamalost - Oslo - Noruega
Queijo Gamalost

A outra dica culinária é menos diferente, mas uma ótima opção para um rápido e barato lanche – a panqueca de batata com salsicha, vendida nas ruas de Oslo e lojas de conveniência.

Panqueca com salsicha - Oslo - Noruega
Panqueca de batata com salsicha

Gostou do roteiro e das dicas? Faça suas reservas pelas caixas de pesquisa na lateral, nos links ao longo do post ou clique para reservas de hospedagem no Booking. Você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a manter o site. Obrigado!

Thiago Carvalho

Carioca, casado, 33 anos, médico, amante da natureza e apaixonado por viagem, de Itaipava no fim de semana ao Bungee Jumping na Nova Zelândia. Volta de uma viagem com o roteiro pronto para a próxima.

22 Resultados

  1. Luisa Galiza disse:

    Vocês sempre com fotos lindas! Agora, que engraçado, eu esperava que fosse mais frio.. Não sei porque, a impressão era que mesmo em época de temperaturas mais amenas fosse tipo, muuuito frio! haha

  2. nicole disse:

    adoro esses roteiros super detalhadinho de vocês! meu pai voltou da noruega encantado, disse que foio lugar mais lindo que ele já foi, e só por esse pedacinho deu pra entender!!! agora tem uma coisa, só encararia esses pratos se eu não soubesse o que era! hahahaha…

    • Olá Nicole.
      Sim, a Noruega é simplesmente fabulosa! As paisagens dos fiordes e das pequenas vilas nas margens são incríveis. Parece cena de filme.
      Hehehe. Já diziam os sábios que a ignorância pode ser uma virtude, né?
      Mas posso garantir que estavam todos deliciosos.

  3. Manuela disse:

    Eu fiquei enlouquecidamente apaixonada por Oslo quando fui, no nível de querer me mudar pra lá! Ler seu post foi reviver minha viagem… Nossos roteiros tiveram algumas pequenas diferenças de atrações, mas o principal é o mesmo. Muito massa!

  4. Liany A Garves disse:

    Uau que coisa linda! Mas preciso admitir que mesmo com frio meu sonho de viagem à Noruega é em novembro porque morro de vontade de ver a Aurora Boreal. Oslo é linda demais né! Me encantei pelas igrejinhas e pela Telthusbakken. E essa ponte super fotogênica Aamodt Bru?? Amei

  5. Wagner Nogueira disse:

    Sou apaixonado pela Noruega! É lindo demais por lá! Eu ficaria um tempão mas concordo que dois dias é ok pra conhecer Oslo. Seu roteiro é muito detalhado, até onde virar a esquerda rs. Sou assim montando os meus também. Ajuda muito. Se eu quiser de novo, só imprimir seu post e ir hehe. Valeu!

  6. Tiago Belmont disse:

    Seu roteiro ficou muito bom e as fotos ficaram ótimas tb, deu para viajar com vcs 😉 Só fico pensando se 7º é uma temperatura amena como farei para conhecer a Aurora Boreal no inverno hahahaha. Mas acho que no inverno não vou curtir tanto a cidade como vcs conseguiram… vou salvar seu post q está super bem explicadinho 😉

  7. Anna Claudia disse:

    Que cidade incrível! Eu sempre quis conhecer Oslo e toda a região da Escandinávia. Parece ser realmente outro mundo. Pelas fotos da pra perceber a limpeza do lugar. Acho que o sapato suja menos do que se andar dentro de casa kkkkkkk. Adorei saber que o quadro “O Grito” está lá. Sem dúvida será um dos pontos altos da viagem pra mim. Bom saber que dois dias de viagem dá pra conhecer o principal de Oslo. Abraço.

    • Olá Anna. Sim, o “Grito” é, certamente, um dos pontos altos da cidade, que pode ser conhecida em dois dias sim.
      A Escandinávia é, de todos os lugares que já conhecemos, um local diferente em termos de povo, educação e limpeza, principalmente Copenhague.
      Quando tiver tempo, não deixe de inclui-la no seu roteiro.
      Grande abraço.

  8. Mari Zoghbi disse:

    Muito legal esse post, está bem completo, eu não conhecia nada de Oslo, agora já está em minha lista de lugares para conhecer em um futuro próximo. A cidade é linda e parece ter uma estrutura bem legal. E esses pratos que colocou aí em?! Deu até fome.

    • Olá Mari, que bom que gostou!
      Sendo sincero, tínhamos várias restrições a conhecer a cidade e quase não incluímos durante a nossa passagem pela Noruega.
      No entanto, teria sido um enorme equívoco e, portanto, super recomendamos conhecer a cidade (e a culinária, hehehe!).

  9. Igor Augusto disse:

    Tenho um desejo muito grande de conhecer os fiordes noruegueses, então a Noruega é um destino certo. Claro, passar por Oslo é obrigatório! Creio que não será uma surpresa como foi pra você depois de ler esse post. Obrigado pelas dicas!

  10. Renata Telles disse:

    Olha confesso que nunca me imaginei em Oslo, mas seu post está tao detalhado e encantador que o país acabou de entrar na minha listinha 🙂 Fiquei com vontade de conhecer parte da historia desse país!

  11. Sthefania disse:

    Estou amando esses roteiros escandinavos. Depois de ler tantos detalhes até me imagino em Oslo seguindo o roteirinho de vocês. Gostei muito da comida (só penso nisso meu Deus). Dois dias foi o tempo suficiente mesmo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Alerta: Conteúdo Protegido!