A badalada Saint-Tropez e suas praias de águas cristalinas

Conforme explicado no post sobre a França, a minúscula Saint-Tropez, com uma população em torno de 5 mil habitantes, mas uma vida social intensa e de alto luxo, foi um dos destinos que visitamos durante a viagem pela Côte d’Azur, a Riviera Francesa. O francês é o idioma oficial, embora não seja difícil se comunicar em inglês após uma breve introdução com poucos termos básicos em francês.

Os primeiros vilarejos na região foram estabelecidos durante o Império Romano, mas nunca alcançaram grande desenvolvimento ao longo dos quase 2 mil anos de existência, constituindo-se em uma pequena vila de pescadores com uma base militar. No entanto, as filmagens ocorridas durante a chamada Nouvelle Vague (décadas de 1950 e 1960) do cinema francês tornaram a cidade mundialmente conhecida, sendo a atriz Brigitte Bardot uma de suas protagonistas.

Qual a melhor época para ir em Saint-Tropez?

É uma cidade com clima Mediterrâneo, com dias longos, secos e quentes no verão (máxima em torno de 28ºC) e frios no inverno (mínima próxima a 6ºC). Portanto, é possível visitar a cidade durante o ano todo, mas é mais alegre e movimentada no período de junho a setembro. Estivemos em setembro de 2011 e desfrutamos de um lindo dia!

Como tempo ficar em Saint-Tropez?

Dependerá muito do seu objetivo na cidade. Se busca mergulhar nas águas cristalinas do Mediterrâneo ou conhecer o agradável centro histórico, um dia será suficiente. No entanto, se deseja aproveitar a badalação diurna e noturna, mundialmente famosa, recomendamos pelo menos dois dias inteiros. Como dedicamos apenas ao turismo, passamos apenas o dia, antes de seguir para Marselha.

Como chegar em Saint-Tropez?

A principal e mais simples maneira de chegar à cidade é de carro durante um passeio pelos destinos da Riviera Francesa, uma vez que a cidade não possui aeroporto e as praias no entorno são mais afastadas. No entanto, é possível combinar ônibus e trem a partir de outras cidades como Nice.

Onde ficar em Saint-Tropez?

Como explicado anteriormente, não dormimos em Saint-Tropez, mas a cidade é famosa pelos luxuosos hotéis (veja todos aqui). Sugerimos os cinco estrelas Hotel ByblosPan Dei Palais, Hôtel de ParisKube Hotel e Hotel Villa Cosy, os quatro estrelas La Bastide d’AntoineLe Mouillage, Le Pre de la Mer e La Ferme D’Augustin, e os três estrelas Hotel des Lices, Les Lauriers, La Bastide Du Port e Les Capucines.

O que fazer? Roteiro!

Sugerimos dedicar a manhã ao compacto, mas charmoso centro histórico de Saint-Tropez. O Vieux Port (ou Porto Antigo) ancora os iates dos milionários que visitam (ou moram!) na região, dividindo espaço com os pequenos barcos pesqueiros da população local.

Saint-Tropez - Franca
Chegada ao centro histórico e Vieux Port
Saint-Tropez - Franca
Vieux Port
Saint-Tropez - Franca
Vieux Port – pequenos barcos no primeiro plano contrastando com iates no segundo

Ao longo do porto, diversos restaurantes e lojas de souvenirs ocupam os antigos casarões. Contorne a baía até o lado oposto para visitar o farol e a muralha marítima com uma das quatro torres de defesa da cidade, a Tour du Portalet, erguida no século XV.

Saint-Tropez - Franca
Farol de Saint Tropez
Saint-Tropez - Franca
Muralha marítima da cidade com a torre de defesa Portalet
Saint-Tropez - Franca
Vieux Port e seus antigos casarões
Saint-Tropez - Franca
Águas transparentes mesmo na região do porto

No caminho para a Citadelle (ou Citadela), antiga fortaleza do século XVI localizada no alto da colina, desbrave as diversas ruelas transversais – algumas repletas de lojas de grife internacionais, outras com ateliês e pequenos cafés e bistrôs.

Saint-Tropez - Franca
Ruelas do centro histórico a caminho da citadela

Após um delicioso almoço em um dos convidativos restaurantes do centro, dedique a tarde às praias que ficam no entorno de Saint-Tropez, como a Pampelonne, esse famoso tesouro de águas cristalinas.

Praia - Saint-Tropez - Franca
Pampelonne
Praia - Saint-Tropez - Franca
Pampelonne

Gostou do roteiro e das dicas? Faça suas reservas pelas caixas de pesquisa na lateral, nos links ao longo do post ou clique para reservas de hospedagem no Booking. Você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a manter o site. Obrigado!

Thiago Carvalho

Carioca, casado, 33 anos, médico, amante da natureza e apaixonado por viagem, de Itaipava no fim de semana ao Bungee Jumping na Nova Zelândia. Volta de uma viagem com o roteiro pronto para a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Alerta: Conteúdo Protegido!