Dicas e Roteiros de Viagem pela Rússia

A Federação da Rússia é o maior país do mundo e parte do seu território está localizada no nordeste da Europa e o restante no norte da Ásia. Pela imensa extensão territorial faz fronteira com a Finlândia, Noruega, Estônia, Letônia, Lituânia e Polônia, além de Belarus, Ucrânia, Georgia, Azerbaidjão, Cazaquistão, China, Mongólia e Coréia do Norte. Tem uma população próxima a 150 milhões de habitantes, sendo mais de 11 milhões em Moscou, capital e cidade mais populosa desse país.

Os eslavos são os ancestrais dos russos modernos, tendo se organizado em estados no século IX e adotado o Cristianismo ortodoxo do Império Bizantino. Um dos líderes marcantes desse período foi Vladimir, “o Grande”. Contudo, a invasão Mongol no século XIII dizimou grande parte da população, colocando-a sob domínio externo e aniquilando o estado independente.

No entanto, em meados do século XIII, sob a liderança do príncipe Alexander Nevsky, parte do território foi recuperado, abrindo caminho para formação do Grande Ducado de Moscou, pilar para a posterior reunificação russa no século XV com Ivan III, “o Grande”. Em 1547 iniciou o período conhecido como tsarismo com a coroação de Ivan IV, “o Terrível”, responsável por grande expansão territorial que, embora tenha sofrido percalços, conflitos internos relacionados à sucessão e derrotas em batalhas com os estados vizinhos, se prolongou e consolidou durante os séculos seguintes.

Com Pedro, “o Grande”, uma nova era, chamada de Império Russo, teve início, marcada pela construção da cidade de São Petersburgo e a entrada de valores ocidentais, além da própria industrialização no século XIX. Os novos ideais e os eventos políticos internos e externos do início do século XX resultaram na Revolução de 1905 que, embora tenha sido controlada, garantiu maiores direitos à população. No entanto, as perdas econômicas e humanas com a 1ª Guerra Mundial resultaram em novo movimento popular que culminou com a dissolução do Império e proclamação da República em 1918.

Mesmo assim, a insatisfação de parte da população com a situação política e econômica, impulsionada pela ideologia socialista resultou na Revolução de Outubro, com a tomada do poder pelo líder do partido bolchevique Vladimir Lenin, resultando na criação do primeiro estado soviético do mundo, que lideraria a formação da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). O país viveu então uma guerra civil com grandes danos à economia e infraestrutura russas, além da morte de mais de 5 milhões de pessoas pela fome.

Lenin faleceu em 1924 e a consolidação do poder por Joseph Stalin levou à supressão de todos os grupos opositores, mesmo aqueles dentro do partido, dando início a um período de grande repressão com o estabelecimento de campos de trabalho em áreas remotas, para onde milhões de pessoas ditas opositores do governo foram enviadas. Paralelamente o ateísmo foi imposto à sociedade, com a execução de centenas de padres e a destruição ou fechamento de milhares de igrejas.

Durante os 69 anos de existência, a URSS tornou-se uma potência mundial, com papel fundamental durante a 2ª Guerra Mundial, emergindo como superpotência, rivalizando com os Estados Unidos, a despeito da morte de mais de 25 milhões de pessoas durante a guerra e o enorme estrago causado pelas batalhas com o exército nazista. O antagonismo ideológico entre as duas nações deu início ao período conhecido como Guerra Fria, momento de grande investimento no desenvolvimento tecnológico, sobretudo militar.

A morte de Stalin levou a um afrouxamento da repressão que, aliado aos elevados custos para manter a influência mundial, os demais estados socialistas e a corrida armamentista resultou em uma estagnação econômica e social. Este cenário proporcionou a adoção por, Mikhail Gorbachev, da glasnost e perestroika, ou seja, uma reestruturação e abertura da Rússia visando sua recuperação, que elevou as tensões entre os grupos nacionalistas e separatistas, culminando com o fim da URSS.

Em 1991, Boris Yeltsin tornou-se o primeiro presidente eleito da Rússia e, desde a dissolução da URSS, o país se modernizou sem perder muitos dos seus traços culturais, consolidando-se como uma potência econômica e militar, com grande influência política mundial até os dias de hoje.

Mapa - Russia
Fonte: WorldMapFinder

A moeda é o rubro e, assim como na maioria dos países europeus, não existe necessidade de visto para permanência menor do que 90 dias, nem vacinação obrigatória para brasileiros. No entanto, embora não tenhamos tido qualquer problema na imigração, lemos muitos relatos de que pode ser exigente e ter uma comunicação restrita, portanto, não deixe de levar os comprovantes de todas as reservas de hotéis e seguro de saúde, além de comprovação da capacidade financeira para permanência no país (dinheiro, cartão de crédito etc).

Na gastronomia, destaca-se de entrada o borscht (sopa de beterraba de origem ucraniana), o chebureki (pastel), a solyanka (sopa picante) e a salada Olivier (salada russa!), Já como prato principal, os destaques são o frango à Kiev (frango empanado recheado geralmente com manteiga e/ou ervas), o estrogonofe (de sabor bem distinto do nosso!), o pojarski (carne de frango ou vitela) e o vareniki ou pelmeni (variações de massa recheada). Para sobremesa, o ponto alto são os diferentes bolos e tortas como de melNapoleão (creme), Praga (chocolate), Pigeon (creme e biscoito) e Anna Pavlova (merengue). A vodka, sobretudo a artesanal, é a bebida alcoólica preferida da população.

idioma oficial é o russo e, diferentemente da maioria dos países europeus, grande parte da população não fala ou não deseja falar inglês. Para tornar ainda mais difícil, o alfabeto é o cirílico e, assim, a compreensão do que está escrito em placas e letreiros torna-se muito difícil, mesmo em algumas estações de metrô. A boa notícia é que com o aumento do turismo nos últimos anos e a realização da Copa do Mundo de 2018, algumas placas foram traduzidas pelo menos para o nosso alfabeto e os restaurantes apresentam cardápio em inglês ou com fotos. Dessa forma, o “apontar” resolve bastante!

A principal dica para evitar problemas é se hospedar em hotéis de grandes redes internacionais, onde haverá mais facilidade de comunicação e eventual resolução de intercorrências, e optar por andar a pé ou deslocar-se com transporte público, sabendo as estações/pontos de partida e destino em cirílico (anote ou tire foto!) e/ou o número de paradas no trajeto!

fuso horário possui imensa variação pela extensão territorial – abrange 11 fusos distintos -, mas os principais destinos turísticos – Moscou e São Petersburgo – estão a 5 horas  a mais em relação à Brasília, variando conforme o horário de verão. Pelo menos motivo, o clima varia muito com a região, mas as duas cidades apresentam um inverno rigoroso com temperaturas negativas e neve e um verão quente de dia e ameno à noite.

Pela proximidade com a Finlândia e os Países Bálticos, geralmente o roteiro inclui cidades dos demais países. Dessa forma, o deslocamento pode ser realizado de trem ou avião, não existindo voos diretos a partir do Brasil.

Estivemos na Rússia em agosto de 2017 em uma viagem muito especial que se estendeu até a República Tcheca!

Gostou do roteiro e das dicas? Faça suas reservas pelas caixas de pesquisa na lateral, nos links ao longo do post ou clique para reservas de hospedagem no Booking. Você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a manter o site. Obrigado!

Thiago Carvalho

Carioca, casado, 32 anos, médico, amante da natureza e apaixonado por viagem, de Itaipava no fim de semana ao Bungee Jumping na Nova Zelândia. Volta de uma viagem com o roteiro pronto para a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Alerta: Conteúdo Protegido!