Auckland em 2 dias

Auckland - Nova ZelandiaComo dito no post sobre a Nova Zelândia, ao contrário do que muito pensam, Auckland não é a capital, mas a cidade mais populosa, com mais de 1 milhão de pessoas ou cerca de 25% da população neozelandesa. Sua arquitetura se assemelha muito a das cidades americanas e canadenses, com limpeza, modernidade e organização admiráveis. Não espere, portanto, encontrar monumentos históricos ou antigos, mas se delicie com parques, praias e baías maravilhosas.

aeroporto fica localizado a 20km do centro, com tempo de deslocamento entre 30 minutos de carro/táxi e 50 de ônibus. As opções de translado, considerando a estadia no centro, são:

  • Aluguel de carro (alugue aqui) no aeroporto (sobretudo para os que vão se aventurar pelo interior do país)
  • Táxi: mais confortável que o ônibus, mas também bem mais caros.
  • Shutle: nível intermediário de conforto e tempo de deslocamento entre o táxi e o ônibus.
  • Ônibus Expresso: funciona 24 horas por dia, com intervalos de 10 a 30 minutos conforme horário. Mais caro que o tradicional, mas quase a metade do Shutle.
  • Ônibus Tradicional: linha 380, sendo necessária troca conforme destino. Portanto, não sugiro, embora seja a mais barata.

O melhor local para se hospedar é a Queen Street (St) e suas transversais, pois além de uma chegada facilitada do aeroporto, permite conhecer os principais pontos turísticos a pé. Quando fui, fiquei hospedado em uma casa de família, mas essa região concentra um grande número de hotéis (ótimos!), com o preço certo para o seu bolso (veja no Booking ou TripAdvisor a lista de todos eles). Como sugestões, temos:

Abaixo detalho os principais e imperdíveis pontos turísticos da cidade. Minha sugestão é conhecer o Auckland Museum & Domain partindo da Queen de ônibus e retornando a pé pela Parnell Road até o Viaduct Harbour para pegar o ferry para o pôr do sol em Devenport. No dia seguinte, ficar na área da Queen e Sky Tower.

SkyTower:

Esta imensa torre foi inaugurada no final da década de 90, possui 328 metros de altura e visão panorâmica de 360º para um raio de quase 100km de distância. Tem uma estrutura que lembra as torres de cidades como Toronto e Seattle. Fica localizada na Victoria com a Federal St, a um quarteirão e meio da badalada Queen St e funciona 365 dias por ano com horários de visitação variáveis conforme o período do ano (abre entre 8h30 e 9h e fecha entre 22h e 23h30). O ticket para um adulto custa NZ$ 28 (em 2016) e inclui a visitação aos três níveis de observação. O bilhete é gratuito para os 45 minutos que antecedem ou sucedem o jantar no restaurante Orbit.

A vista realmente é sensacional. O melhor período para a visita é antes de anoitecer: será possível admirar a vista, contemplar o pôr do sol e presenciar as luzes da cidade sendo acesas. Maravilhoso! Durante a visitação, é possível tomar um café no SkyBar ou, sob reserva e sujeito a um dress code (traje) refinado, aproveitar o restaurante Orbit que possui uma vista espetacular e um menu (veja aqui) requintado. Quando fui ainda estava na fase de estudante, então, passei longe.

Skytower - Auckland - Nova ZelandiaVista da cidade

Skytower - Auckland - Nova ZelandiaVista da baía

Skytower - Auckland - Nova ZelandiaVista da baía

Skytower - Auckland - Nova ZelandiaAndando pelo vidro

Skytower - Auckland - Nova ZelandiaTorre à noite

Para os aventureiros, existem duas opções´que estavam inaugurando quando fui: o SkyWalk que consiste em andar ao ar livre pendurado por cabos no entorno da torre e o SkyJump, uma espécie de Bungy Jumping de 192 metros de queda.

Queen St:

Queen St - Auckland - Nova Zelandia

Passear a pé pela Queen St. e suas transversais, com inúmeras opções de lojas e restaurantes, incluindo alguns dos mais bem conceituados, como o turco Cafe Midnight Express (na Victoria St em frente a SkyCity), o menu degustação do The Grove (na Wyndham St, transversal da Queen St) e as ostras do Depot (na Federal St, paralela da Queen St). Se tiver um tempo sobrando, vale uma passada na Galeria de Arte (na Kitchener St, transversal da Queen St), aberta diariamente de 10 às 17h com entrada gratuita.

Auckland Museum, Parnell & Domain:

O museu é certamente um dos melhores do país e funciona diariamente de 10 às 17h, com ingressos para adultos (em 2016) a partir de NZ$25 (apenas o museu) até NZ$45 (incluindo uma performance maori – vale se não for para Rotorua). Possui diversos espaços, desde a história do povo Maori (habitantes nativos) até à memória da participação do país na I Guerra Mundial.

Como o museu está localizado atrás do histórico bairro de Parnell, no alto de um pequeno morro e dentro de um parque (Auckland Domain), vale uma caminhada pelos dois espaços, o que renderá belas fotos e incríveis vistas da cidade. Para os que gostam de caminhadas, fica a 30 minutos a pé da Queen St.

Parque e Museu - Auckland - Nova ZelandiaMuseu & Parque

Parque - Auckland - Nova ZelandiaVista do Parque

Parque - Auckland - Nova ZelandiaVista do Parque

Parnell Road - Auckland - Nova ZelandiaParnell Road

Parnell Road - Auckland - Nova ZelandiaParnell Road

Viaduct Harbour & Davenport:

Seguindo até o fim da Queen St, chegamos ao Viaduct Harbour, uma enorme marinha que fala por si só o motivo de Auckland ser conhecida também como cidade das velas. Caminhe pela região, estique até o Fish Market e garanta lindas fotos.

Porto - Auckland - Nova ZelandiaVista da SkyTower do porto

Porto - Auckland - Nova ZelandiaÁrea dos galpões do porto

Terminada a visita, vá até o histórico Auckland Ferry Building, de preferência no período da tarde, e compre um ferry para Devenport – saídas de 30 em 30 minutos de 6 às 23h na maior parte dos dias no custo (ida e volta) de Nz$12 (em 2016). Essa pequena cidade tem casas e comércio pitorescos que já compensam a visita, uma linda praia (Cheltenham Beach) a menos de 2km a pé – mas o ponto alto é a bela vista de Auckland, sobretudo no fim da tarde, do Mount Vitoria (a 800m do desembarque).

Mount Victoria - Auckland - Nova Zelandia

Praias próximas:

Um passeio que muitos optam por fazer é alugar um carro e dar uma esticada a algumas praias próximas a Auckland, tanto no North Shore quanto na costa oeste. Sinceramente, o tempo gasto para esse passeio seria mais bem aproveitado conhecendo-as no caminho para Cape Reinga ou mesmo substituindo-as pela totalmente selvagem Ninety-Mile Beach.

Gostou do roteiro e das dicas? Faça suas reservas pelas caixas de pesquisa na lateral, nos links ao longo do post ou clique para reservas de hospedagem no Booking ou aluguel de carros no RentalCars. Você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a manter o site. Obrigado!


Precisa de orientação para montar um roteiro inesquecível pela Nova Zelândia? Quer ajuda em reservas de hotéis, passagens de avião ou aluguel de carros? Quer montar um roteiro 100% personalizado e tornar sua viagem inesquecível? Visite nossa página de Roteiros Personalizados ou deixe sua mensagem abaixo.

Gostou do post? Compartilhe!

Thiago Carvalho

Carioca, casado, 30 anos, médico, amante da natureza e apaixonado por viagem, de Itaipava no fim de semana ao Bungee Jumping na Nova Zelândia. Volta de uma viagem com o roteiro pronto para a próxima.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Reprodução ou cópia não autorizada!