Cusco, coração do Império Inca

Após dois maravilhosos dias em Lima, embarcamos na manhã do terceiro dia e chegamos pouco depois do almoço em Cusco, nossa segunda parada no Peru. Cusco – umbigo do mundo em quechua – é uma pequena cidade no sul do Peru com 350 mil habitantes e altitude de 3400 metros. Foi a capital do Império Inca, maior civilização americana pré-colombiana e, portanto, sua riqueza cultural e arquitetônica é imensa. Pena que parte foi destruída com a invasão espanhola: para demonstrar o poder, os espanhóis destruíram os templos e sobre o local construíram igrejas.

O translado do aeroporto de Cusco (5km em 15 minutos) para o hotel estava incluso na diária e, portanto, foi super tranquilo.

Nossa principal recomendação é se hospedar no entorno da Plaza de Armas, uma vez que quase todos os pontos turísticos e principais restaurantes ficam nessa região. Além disso, muitas ruas são em aclive. Portanto, tendo em vista o que descrevemos no post Mal de Altitude, essa escolha não apenas reduzirá as distâncias, mas minimizará os sintomas.

As opções de hotel são inúmeras. Escolhemos o quarto superior do Tierra Viva Cuzco Plaza – excelente localização (a 1 minuto a pé da praça), confortáveis áreas de estar e quartos limpos e espaçosos com mezanino e claraboia com bela vista para o céu. O café da manhã é incluso, embora com pouca variedade. Caso deseje dormir em Machu Picchu, apenas reserve sem incluir a noite em Aguas Calientes que o hotel guardará sua mala (explicamos melhor no post de Machu Picchu).

Tierra Viva - Cusco - Peru

Deixamos as malas no hotel, consultamos inúmeras agências de turismo (assim como no Atacama, não é necessário reservar do Brasil) e acertamos os três passeios que havíamos planejado fazer: Vale Sagrado, City Tour e Maras e Moray. Vale ressaltar que a forma mais barata e adequada de fazer os passeios é pelas agências, já que os guias são fundamentais para a compreensão de cada fragmento da ruína. Se preferir ir de táxi ou mesmo alugar um carro, não se esqueça de contratar um guia em cada ruína. Seguimos, então, com a compra do Boleto Turístico.

Boleto Turistico - Cusco - Peru

O Boleto Turístico (130 soles em 2016) funciona no estilo do City Pass existente em inúmeras cidades como Nova Iorque. No entanto, para a visita de alguns pontos a compra dos chamados circuitos (que incluem alguns dos pontos) é obrigatória, diferente do City Pass tradicional – pode comprar a entrada avulsa para uma única atração. Para os que vão fazer todos os passeios, é imprescindível e possui excelente custo-benefício. Compramos o Integral, com validade de 10 dias.

Visitamos, então, a Plaza de Armas. Essa maravilhosa praça é o coração da cidade. Aproveitamos para conhecer a belíssima Catedral – um suntuoso museu – e o Templo de La Compañia de Jesus. As fotos são proibidas e tudo é pago (e não é barato!), mas vale cada sole.

Plaza de Armas - Cusco - PeruPlaza de Armas

Plaza de Armas - Cusco - PeruCatedral à esquerda e Templo à direita

Catedral - Cusco - PeruFachada da imponente catedral

Plaza de Armas - Cusco - Peru

Visitamos o MAP (Museu de Arte Precolombiana) e recomendamos, sobretudo se não tiver ido no Larco em Lima, porque ajuda a compreender as civilizações que antecederam os incas e dos próprios incas. Se possível vá antes da visita aos templos.

Museu de Arte Precolombiana - Cusco - Peru

Exaustos, fomos ao Inkazuela, ótimo restaurante. A especialidade é sopa – variadas e com ingredientes típicos locais. Como estava frio, foi formidável! E atendeu a recomendação de refeições leves no primeiro dia. O atendimento foi feito pela própria dona – super simpática. Em Cusco, recomenda-se não ingerir frutos do mar, pois não são frescos como em Lima e o risco de surpresas é maior.

Inkazuela - Cusco - Peru

Inkazuela - Cusco - Peru

Inkazuela - Cusco - Peru

Inkazuela - Cusco - Peru

Vale Sagrado

No dia seguinte, acordamos cedo e nos dirigimos ao ponto de encontro para a partida rumo ao Vale Sagrado. Esse passeio compreende três principais ruínas: Pisac, Ollantaytambo e Chinchero. O vale sagrado é um lugar fabuloso, de natureza estonteante e cortado pelo Rio Urubamba. A primeira parada é uma pequena feirinha de artesanato seguida de um mirante com vista espetacular do vale.

Mirante - Valle Sagrado - Cusco - Peru

Mais alguns quilômetros e chegamos às ruínas de Pisac (a 33km de Cusco). É fantástico o sistema criado para o encaixe das pedras (que resiste a terremotos), para trazer água até às plantações e moradias. Os cemitérios também chamam atenção.

Pisac - Valle Sagrado - Cusco - PeruRuínas

Pisac - Valle Sagrado - Cusco - PeruVista do vale e plantações

Pisac - Valle Sagrado - Cusco - PeruCemitérios

Pisac - Valle Sagrado - Cusco - PeruRuínas

Seguimos, então, para Ollantaytambo (a 60km de Pisac), com uma parada no caminho para conhecer a fabricação de itens de prata e para um almoço (embora turístico, não estava ruim). Na história, Ollantaytambo foi um local mais importante que Pisac, com várias construções religiosas, fortificações, estocagem de alimentos relacionada às correntes de vento e o Templo do Sol. Dois pontos nos surpreenderam nesta visita: a capacidade de trazer as pedras de regiões distantes para locais tão altos e a face esculpida na montanha.

Ollantaytambo - Valle Sagrado - Cusco - Peru

Ollantaytambo - Valle Sagrado - Cusco - PeruPedras retas e grandes representando locais sagrados

Ollantaytambo - Valle Sagrado - Cusco - PeruEm contraste com as pedras ovais empilhadas sem a mesma precisão

Ollantaytambo - Valle Sagrado - Cusco - PeruVista do topo

Ollantaytambo - Valle Sagrado - Cusco - Peru

Ollantaytambo - Valle Sagrado - Cusco - PeruTemplo do Sol com destaque para os detalhes na pedra

Ollantaytambo - Valle Sagrado - Cusco - PeruFace do governante inca esculpida

Ollantaytambo - Valle Sagrado - Cusco - PeruFortificações no lado oposto

Conforme explicado no post de Machu Picchu, parte do grupo deixa o passeio e segue para Águas Calientes após o término da visita e outra parte segue para a última parada: Chinchero (a 40km de Ollantaytambo). Este foi o nosso destino, onde vimos o sol se pôr, visitamos uma igreja construída sobre ruínas incas e assistimos à produção e tingimento dos tecidos vendidos nos artesanatos locais.

Trem - Valle Sagrado - Cusco - PeruSaindo de Ollantaytambo

Chinchero - Valle Sagrado - Cusco - Peru

Chinchero - Valle Sagrado - Cusco - Peru

Chinchero - Valle Sagrado - Cusco - Peru

Chegamos em Cusco no início da noite e fomos ao restaurante Incanto, onde provamos o porquinho-da-índia, prato típico local.

Incanto - Cusco - Peru

No dia seguinte, o passeio seria apenas à tarde e, portanto, aproveitamos para visitar o Museu Inka, a Plaza Regocijo, a Igreja La Merced e andar pela Avenida El Sol até a feira de artesanato.

Museo Inka - Cusco - PeruMuseu Inka

Plaza Regocijo - Cusco - PeruPlaza Regocijo

Iglesia La Merced - Cusco - PeruIgreja La Merced

Avenida El Sol - Cusco - PeruAvenida El Sol

Monumento - Cusco - PeruMonumento no caminho

City Tour

À tarde nos dirigimos ao ponto de encontro para o City Tour – diferente do que o nome sugere, na verdade é um tour pelas ruínas de Cusco e do entorno. A primeira parada é dentro da própria cidade: Qoricancha – local onde residia o imperador e foi parcialmente destruído pelos espanhóis para dar lugar ao Convento Santo Domingo. A perfeição das pedras, os conhecimentos astronômicos e os templos de sacrifícios são espetaculares.

Qoricancha - Cusco - PeruPerfeição dos encaixes e alinhamento

Qoricancha - Cusco - PeruVista do exterior: ruínas em contraste com o convento

Seguimos, então, para Sacsayhuman, cuja finalidade não é 100% conhecida (pode ter sido militar ou religiosa). Fato é que apenas pouco mais de 20% do original restou e a perfeição e o tamanho das pedras são únicos.

Sacsayhuaman - Cusco - Peru

Sacsayhuaman - Cusco - Peru Vista panorâmica

Sacsayhuaman - Cusco - PeruVista de Cusco

Depois de algumas explicações, seguimos para Q’enqo, templo de sacrifícios. A sensação é mística e a construção foi feita de forma que a pedra onde ocorriam as oferendas permanecesse sempre gelada. Incrível!

Q'enqo - Cusco - PeruLocal de sacrifícios

Q'enqo - Cusco - PeruAs ruínas de Q’enqo

A terceira parada foi Tambomachay, templo religioso famoso pelas fontes de água sagrada e acesso à trilhas incas. Essas trilhas permitiam viagens pelas montanhas entre as mais variadas edificações, incluindo Machu Picchu.

Tambomachay - Cusco - PeruFontes Sagradas

Tambomachay - Cusco - PeruBrincando com as lhamas

Tambomachay - Cusco - PeruMatando a fome com o milho gigante com queijo

Por último, uma breve parada em Puca Pucara, entreposto inca que controlava o acesso à região.

Puca Pucara - Cusco - Peru

Retornamos no início da noite para Cusco e fomos no Inka Grill. Parece (e é) um restaurante turístico, mas a entrada com bolinhos e chips de batata e os famosos aji de gallina e carne de alpaca como pratos típicos estavam deliciosos.

Inka Grill - Cusco - PeruEntradas

Inka Grill - Cusco - PeruAji de galinha e Carne de Alpaca

No dia seguinte pegamos um táxi bem cedo até a estação e fomos para Machu Picchu, retornando apenas na noite seguinte (veja mais aqui). Chegamos cansados e fizemos uma breve refeição com uma merecida cerveja Cusqueña.

Cusquena - Cusco - Peru

Moray e Salineras de Maras

Descansamos e de manhã cedo partimos para o último passeio. Muitos visitantes não fazem esse passeio, mas consideramos imperdível! A primeira parada foi Moray, um centro de estudos agrícolas inca que cultivava diversos alimentos em microclimas criados artificialmente pelos degraus elaborados no solo.

Moray - Cusco - Peru

A segunda parada foi em Salineras de Maras, construídas no período inca com a canalização da água salgada das montanhas represadas para extração do sal. Além de engenhoso, belíssimas! Existem várias lojinhas de artesanato que vendem souvenirs à base do sal extraído.

Salineras de Maras - Cusco - Peru

Salineras de Maras - Cusco - Peru

No retorno, demos uma volta pela cidade e fomos até o Monumento Pachacuteq, museu em homenagem ao grande imperador inca que construiu a cidade de Cusco.

Cusco - PeruEstreitas e inclinadas ruas de Cusco

Pachacuteq - Cusco - PeruMonumento Pachacuteq

À noite fechamos a visita em alto estilo no Chicha (já reservado previamente) com um fabuloso jantar que faz justiça ao chefe que assina o cardápio – ninguém menos que Gastón Acurio. Foi um ótimo presente, já que estávamos comemorando meu aniversário!

Chicha - Cusco - Peru

Chicha - Cusco - PeruDrinks espetaculares (o roxo do famoso chicha) acompanhando um leitão com risoto, batatas e milho e uma deliciosa massa recheada

Gostou do roteiro e das dicas? Faça suas reservas pelas caixas de pesquisa na lateral, nos links ao longo do post ou clique para reservas de hospedagem no Booking ou aluguel de carros no RentalCars. Você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a manter o site. Obrigado!


Precisa de orientação para montar um roteiro inesquecível para Cusco, Machu Picchu e Peru? Quer ajuda em reservas de hotéis, passagens de avião, ônibus ou aluguel de carros? Quer montar um roteiro 100% personalizado e tornar sua viagem inesquecível? Visite nossa página de Roteiros Personalizados ou deixe sua mensagem abaixo.

Gostou do post? Compartilhe!

Thiago Carvalho

Carioca, casado, 30 anos, médico, amante da natureza e apaixonado por viagem, de Itaipava no fim de semana ao Bungee Jumping na Nova Zelândia. Volta de uma viagem com o roteiro pronto para a próxima.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Reprodução ou cópia não autorizada!