Patagônia Chilena: A graciosa Puerto Natales e a beleza dos glaciares

Conforme explicamos no post do Chile, na nossa última visita ao país, após o passeio pelo maravilhoso Atacama, visitamos a Patagônia Chilena. Depois da breve visita à Punta Arenas, onde fica o aeroporto mais perto, seguimos de carro (alugue aqui) para Puerto Natales. A estrada é excelente e super bonita, mas a distância é um pouco longa: 280km feitos em 3 horas. A vantagem foi a flexibilidade no horário de saída e a possibilidade de pequenas paradas ao longo da viagem para contemplar as belas paisagens! Alguns viajantes optam por alugar o carro diretamente na cidade para poupar esse longo trajeto! Vale ressaltar que, recentemente, a LATAM começou a operar voos diretos a partir de Santiago na alta temporada (dezembro a fevereiro), o que encurtou o deslocamento para aqueles que não desejam aproveitar as atrações de Punta Arenas!

Estrada Punta Arenas para Puerto Natales - Patagonia Chilena

Estrada Punta Arenas para Puerto Natales - Patagonia Chilena

Estrada Punta Arenas para Puerto Natales - Patagonia Chilena

Estrada Punta Arenas para Puerto Natales - Patagonia ChilenaNosso carro – Categoria D – Elantra ou similar

Logo na entrada da cidade, avistamos a estátua do Milodón – um animal (conhecido como a preguiça gigante!) de três metros que viveu há 10 mil anos na região, cujos fósseis foram encontrados no final do século XVIII.

Puerto Natales - Patagonia Chilena

Era o final da tarde e aproveitamos o dia um pouco mais longo na região para darmos uma volta no centro e pagarmos o já reservado (e imperdível!) passeio de barco pelos Glaciares Balmaceda e Serrano, que fizemos no dia seguinte.  A cidade é pequena, com pouco mais de 15 mil habitantes, mas muito bem cuidada e agradável. O gostoso é passear pelas ruas, sentar na Plaza de Armas, visitar a  simples Parroquia de Natales (na própria praça!) e terminar com uma caminhada apreciando as geladas montanhas às margens da baía, com algumas famosas esculturas como al Viento e La Mano.

Puerto Natales - Patagonia Chilena

Plaza das Armas - Puerto Natales - Patagonia Chilena

Plaza das Armas - Puerto Natales - Patagonia Chilena

Igreja - Puerto Natales - Patagonia Chilena

Baia - Puerto Natales - Patagonia Chilena

Baia - Puerto Natales - Patagonia Chilena

Baia - Puerto Natales - Patagonia Chilena

Ficamos hospedados no Hotel Martin Gusinde, a poucos passos da praça e da baía – novinho, com estacionamento e amplos e confortáveis quartos e banheiros. Outras opções são: El Muelle Hotel Boutique e Hotel Costaustralis (veja aqui). Se desejar uma experiência mais afastada da cidade com belas paisagens no entorno, as sugestões seriam o The Singular Patagonia Hotel e o Weskar Lodge.

As ruas são repletas de charmosos restaurantes, tornando a escolha difícil. Acabamos seguindo a sugestão do hotel – Mares Patagonicos (e não nos arrependemos!): pisco e calafate sour de aperitivo, a típica centolla (caranguejo gigante – King Crab) temperada de entrada e filet ao molho de cogumelos e congro com batatas, espinafre e presunto. Tudo divino!

Restaurante - Puerto Natales - Patagonia Chilena

Restaurante - Puerto Natales - Patagonia Chilena

Restaurante - Puerto Natales - Patagonia Chilena

Restaurante - Puerto Natales - Patagonia Chilena

Restaurante - Puerto Natales - Patagonia Chilena

Acordamos cedo, fizemos o check-out e seguimos para o ponto de encontro do passeio Balmaceda e Serrano. Essa navegação lembra a de El Calafate, com uma fauna mais rica e glaciares menores (mas igualmente lindos!). Contudo, as condições meteorológicas são mais instáveis nessa região e, portanto, a chance de cancelamento é maior e a necessidade de estar preparado para chuva e vento primordiais!

Existem duas empresas (Agunsa e 21 de Mayo), mas quando fomos apenas a 21 de Mayo estava disponível. Os barcos são bem diferentes: a Agunsa navega com catamarãs fechados e a 21 de Mayo com barcos mais abertos. A saída da agência ocorreu às 7h30, realizando o translado até Puerto Bories, onde embarcamos pelas águas verdes do Fiordo de Ultima Esperanza, contemplando aves, pássaros e leões marinhos (escondidos pela fraca chuva e intenso frio característicos da Patagônia!) até a primeira parada: Glaciar Balmaceda.

Passeio Glaciares Balmaceda e Serrano - Patagonia Chilena

Passeio Glaciares Balmaceda e Serrano - Patagonia Chilena

Passeio Glaciares Balmaceda e Serrano - Patagonia ChilenaLeões marinhos escondidos

Passeio Glaciares Balmaceda e Serrano - Patagonia Chilena

Passeio Glaciares Balmaceda e Serrano - Patagonia Chilena

Passeio Glaciares Balmaceda e Serrano - Patagonia Chilena

Passeio Glaciares Balmaceda e Serrano - Patagonia ChilenaChegando ao Balmaceda

Passeio Glaciares Balmaceda e Serrano - Patagonia Chilena

Após um breve momento para fotografar o “pequeno” glaciar, navegamos por alguns minutos até atracar para uma visita de quase 2h, através de um belo bosque, ao Glaciar Serrano.

Passeio Glaciares Balmaceda e Serrano - Patagonia Chilena

Passeio Glaciares Balmaceda e Serrano - Patagonia Chilena

Passeio Glaciares Balmaceda e Serrano - Patagonia Chilena

Passeio Glaciares Balmaceda e Serrano - Patagonia Chilena

De volta ao barco, serviram um aperitivo para nos esquentar: pisco com gelo dos glaciares.

Passeio Glaciares Balmaceda e Serrano - Patagonia Chilena

Por fim, seguimos até a Estancia Perales onde desfrutamos de um típico (e saboroso!) almoço patagônico: sopa de entrada, o famoso cordeiro patagônico com batatas, uma taça de vinho e sobremesa. Embora turístico, estava gostoso! Com energia recarregada, aproveitamos para caminhar pela estancia e contemplar as belas paisagens!

Passeio Glaciares Balmaceda e Serrano - Patagonia Chilena

Retornamos à cidade por volta das 17h e partimos rumo ao Parque Torres del Paine. A 25 km da cidade (na direção do parque), há a Cueva del Milodón, uma gigantesca caverna onde acredita-se ter vivido o Milodón há milhares de anos. A visita clássica é uma breve parada no caminho do parque. Conforme enfatizamos no post de Punta Arenas, Ushuaia e de El Calafate, é possível juntar as duas patagônias na mesma viagem e o acesso terrestre para El Calafate (a 270km) é bem sinalizado na estrada que segue para Torres del Paine.

Vale ressaltar que para os que estão sem carro e não vão fazer nenhum trekking dentro do parque, ou seja, irão apenas visitá-lo, as agências de turismo de Puerto Natales oferecem passeios com um dia de duração (bate e volta!) visitando os principais pontos. Já para os que ficarão hospedados no parque, mas estão sem carro, consulte seu hotel para avaliar a melhor maneira de deslocamento, pois alguns ficam em áreas remotas, por onde os ônibus que fazem o translado não passam. Apenas para dimensionar o tamanho do parque, os caminhos que cortam essa área chegam a centenas de quilômetros!

Gostou do roteiro e das dicas? Faça suas reservas pelas caixas de pesquisa na lateral, nos links ao longo do post ou clique para reservas de hospedagem no Booking ou aluguel de carros no RentalCars. Você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a manter o site. Obrigado!


Precisa de orientação para montar um roteiro inesquecível pela região de Puerto Natales e Patagônia Chilena? Quer ajuda em reservas de hotéis, passagens de avião, ônibus ou aluguel de carros? Quer montar um roteiro 100% personalizado e tornar sua viagem inesquecível? Visite nossa página de Roteiros Personalizados ou deixe sua mensagem abaixo.

Gostou do post? Compartilhe!

Silvia Carvalho

Carioca, casada, 29 anos, médica, sempre com uma máquina fotográfica na bolsa, apaixonada por viajar e degustar as comidas típicas locais.

Você pode gostar...

18 Resultados

  1. tikdeviagem disse:

    que gacinha essa cidadezinha, super fofa, pelas ftos já é linda, ao vivo então…
    esses pratos… aguei aqui! parecem deliciosos!
    adorei o post!!

  2. Sempre quando se fala em preguiça, eu logo me lembro daquela da Era do Gelo…rs.
    Que legal gente! Eu adoro conhecer esses lugares cinzas e frios através das viagens de vcs! Eu AMO esse clima!
    Amei o post!
    Bjos

  3. Livia Melo disse:

    A Patagônia tem cada vez mais me seduzido. Confesso que ainda não é prioridade, mas quanto mais eu leio sobre e vejo fotos, mais vontade de ir eu tenho! Muito linda a viagem de vcs e adorei o roteiro!!

  4. Dhebora disse:

    Também não passamos por Puerto Natales, mas parece ser incidente também. Essa região dos glaciares muito me fascina.
    O prato de king crab de vocês parece estar bem mais apetitoso do que o que eu provei rs

  5. Gabriela disse:

    Gente, não sei babei mais nas fotos de glaciar ou dos pratos, hahah! Adorei as dicas!

  6. Que delícia! Passeio bom é assim, cheio de paisagens incríveis e comilança! Aliás, esses pratos realmente parecem apetitosos! Deu água na boca!

  7. Paulo Venoso disse:

    Esses roteiros que vocês fazem é demais, sempre viajo junto nos posts, essas ruazinhas é um charme e sem contar nesse glaciar espetacular, muito bom adoro esses posts

  8. zelinda areas disse:

    Mais um roteiro incrível! Adorei o passeio de vocês e claro, as fotos 🙂

  9. Jorginho disse:

    Patagonia cada vez mais me faz pensar sobre ser meu próximo destino. As fotos e as dicas estão otimas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Reprodução ou cópia não autorizada!