Foz do Iguaçu: Cataratas, Icebar, Duty Free e Jantar no lado argentino

Conforme explicado no post sobre Foz do Iguaçu, nosso primeiro dia (chegamos na noite do dia anterior) começou cedo, rumo ao Parque Nacional Iguazú, onde veríamos as cataratas argentinas com calma! Na verdade, o rio Iguaçu divide a fronteira entre o Brasil e a Argentina e, portanto, no trecho onde há sua grande queda, formando as Cataratas do Iguaçu, foram criados dois parques nacionais: o Parque Nacional Iguazú (do lado argentino), criado em 1934, e o Parque Nacional do Iguaçu (do lado brasileiro). Como são múltiplas quedas d’água em um trajeto sinuoso, a visão e os atrativos são bem distintos, com ótima infraestrutura e igualmente incríveis em ambos os parques!

Como chegar a Puerto Iguazú?
Conforme explicamos no post de Foz do Iguaçu, o deslocamento pode ser feito de carro, táxi, ônibus urbano (saída do terminal rodoviário de Foz, com troca em Puerto Iguazú para deslocamento ao parque) ou transfer de empresa de turismo local.

Como cruzar a fronteira?
As vezes em que cruzamos a fronteira brasileira, não encontramos qualquer fiscalização e, portanto, foi simples e rápido. Passada a imigração brasileira, inicia-se a Ponte Tancredo Neves (também conhecida como Ponte da Fraternidade). Inaugurada em 1985, corta o rio Iguaçu. Não deixe de observar a marcação da fronteira entre os países pelas cores da mureta de proteção, contemplando o rio!

Ponte Tancredo Neves - Foz do Iguacu - BrasilPonte Tancredo Neves e divisão de fronteiras

Ponte Tancredo Neves - Foz do Iguacu - BrasilRio Iguaçu visto da ponte

Cerca de 1 km à frente está o Duty Free Puerto Iguazú, antes de cruzar a fronteira. Funciona diariamente e nossa sugestão é passar na volta, já que fica aberto até mais tarde, evitando perder tempo do parque.

Duty Free - Puerto Iguazu - ArgentinaDuty Free Puerto Iguazú

Alguns metros após o Duty Free, está a imigração argentina. Como o controle é rigoroso, pode-se perder um bom tempo tanto na ida quanto na volta para cruzá-la. Como descrevemos no post de Foz do Iguaçu, não esqueça de abrir os quatro vidros e ter em mãos seu passaporte ou RG válidos, bem conservados e com foto nítida e clara! Após a verificação de identidade, segue-se para uma nova fila com avaliação rápida e randômica dos carros.

Imigracao - Puerto Iguazu - Argentina

Continue nessa mesma rodovia (ruta 12) por 15 km, até o acesso (bem sinalizado) ao parque. O pagamento do estacionamento e do ingresso pode ser feito apenas em espécie em pesos argentinos. Os passeios e alimentação dentro do parque podem ser pagos em cartão. No entanto, a maioria dos brasileiros (incluindo nós) optam por fazer o câmbio em uma guarita na entrada para a estrada que leva ao parque. A taxa de conversão não é a melhor, mas a praticidade de não trocar um valor desnecessário é ótima!

Entrada - Parque Nacional Iguazu - Argentina

Para conhecer todo o parque com calma, é necessário um dia inteiro. Algumas pessoas optam por ir dois dias seguidos (há um desconto de 50% no segundo dia). No entanto, se não chegar tarde, é possível visitá-lo em um dia sem grande dificuldade, caso o preparo físico para caminhadas esteja adequado! Passada a entrada, existe uma grande área com serviços básicos, lojas, cafés e restaurantes.

Servicos - Parque Nacional Iguazu - Argentina

Servicos - Parque Nacional Iguazu - Argentina

Caso deseje fazer algum passeio, como os famosos Aventura Náutica ou Gran Aventura, aproveite para reservar neste momento, pois em dias movimentados podem se esgotar. Esses passeios, que saem do circuito inferior do parque, são organizados pela empresa Iguazu Jungle e equivalem ao Macuco Safari, realizado no parque brasileiro.

Fizemos o Gran Aventura que contempla o Aventura Náutica (passeio de barco por baixo das quedas das cataratas com duração de 12 minutos), uma rápida navegação pelo rio Iguaçu, atracando em uma área de mata fechada, seguido por um passeio por dentro da Floresta Tropical, com observação da flora e fauna, até o centro de visitantes. Reservamos o último horário do dia para conhecermos o parque com calma (deu tempo tranquilo!), uma vez que o passeio termina próximo à entrada do parque.

Contudo, pelo custo e tempo adicionais (1h a mais no total) e pelo fato de já termos feito inúmeras trilhas dentro de florestas tropicais, não achamos que valeu a pena o Gran Aventura. Recomendamos (e muito!) fazer a Aventura Náutica: simplesmente deliciosa!

Dicas e Observações:

  • O preço do passeio argentino (em outubro de 2016) era significativamente inferior ao brasileiro e, em nossa opinião, com barcos mais seguros e estáveis (eram maiores!).
  • Não esqueça de levar toalha e ir de sunga/biquíni ou levar uma outra muda de roupas, pois você sairá completamente molhado.
  • A empresa responsável fornece uma espécie de bolsa de lona impermeável para abrigar os pertences.
  • Uma curiosidade é que não é permitido ingressar nos barcos descalço, mas o tênis pode ser retirado uma vez que tenha embarcado.
  • O passeio é proibido para menores de 12 anos, gestantes e indivíduos com doenças cardíacas, neurológicas, pulmonares ou deficiências que possam dificultar uma resposta a situações de emergência.

Como tínhamos a saída no circuito inferior agendada para o final do dia, começamos pela parte mais superior, a Garganta del Diablo. Da área de serviços, pegue o trem na Estação Central ou caminhe pelo chamado Sendero Verde (650 metros/30 minutos), em meio à fauna e flora. Você chegará à Estação Cataratas, de onde sai o trem para a Garganta Del Diablo e as trilhas para o Circuito Superior e Inferior.

Trem - Parque Nacional Iguazu - Argentina

Atente que para a Garganta del Diablo é necessária troca de trem (e fila!) na Estação das Cataratas. Portanto, se perder o trem, pode significar um tempo precioso aguardando o seguinte. Seguimos, então, para a Garganta del Diablo. A trilha de 2,2km é muito tranquila e agradável, por uma passarela em cima do rio Iguaçu, em seu trecho antes do desfiladeiro que forma as cataratas. Como é reta, pode ser facilmente percorrida (ida e volta) em 1h. A paisagem do rio calmo antes das majestosas cataratas é impressionante.

Garganta del Diablo - Parque Nacional Iguazu - ArgentinaPassarela e o calmo rio Iguaçu

A “Garganta” em si é o final da passarela, onde o rio despenca pelo desfiladeiro de mais de 80 metros com um estrondoso rugido, formando uma imensa névoa d’água – espetacular! Prepare-se para ficar molhado.

Garganta del Diablo - Parque Nacional Iguazu - ArgentinaInício da queda

Garganta del Diablo - Parque Nacional Iguazu - ArgentinaQueda

Garganta del Diablo - Parque Nacional Iguazu - ArgentinaGarganta del Diablo

Retorne pela passarela. Cuidado com o quatis, animal com aspecto dócil, mas que podem atacar e ferir os visitantes. Para evitar acidentes, não estabeleça contato e, em hipótese alguma, alimente-os.

Quati - Parque Nacional Iguazu - Argentina

De volta à Estação Cataratas, seguimos pelo Circuito Superior. Essa trilha de 1750 metros também é plana e não oferece qualquer dificuldade para ser percorrida, passando pelo topo das cataratas e possibilitando uma bela visão panorâmica das cataratas do lado argentino, da Ilha San Martin no meio e até mesmo do parque brasileiro. Não deixe de observar o belo arco-íris formado pelo vapor d’água em contato com a luz do sol. Outro espetáculo da natureza!

Circuito Superior - Parque Nacional Iguazu - Argentina

Circuito Superior - Parque Nacional Iguazu - Argentina

Circuito Superior - Parque Nacional Iguazu - Argentina

Circuito Superior - Parque Nacional Iguazu - Argentina

Retornamos novamente até a Estação Cataratas e seguimos para o Circuito Inferior, nossa última parada. Com 1,7km de extensão e acesso mais difícil, sobretudo na porção final pelas escadas, essa trilha presenteia os visitantes com uma bela visão das quedas d’água vistas de ângulos progressivamente mais inferiores. Lindíssimo!

Circuito Inferior - Parque Nacional Iguazu - Argentina

Circuito Inferior - Parque Nacional Iguazu - Argentina

Circuito Inferior - Parque Nacional Iguazu - Argentina

Circuito Inferior - Parque Nacional Iguazu - Argentina

Circuito Inferior - Parque Nacional Iguazu - Argentina

No final está a base para saída dos passeios de barco – Aventura Náutica e Gran Aventura – e translado para a Isla San Martin, que permite uma bela visão frontal do lado argentino. Infelizmente o nível da água interfere na segurança da visitação à ilha e, como havia chovido bastante nos dias anteriores, o acesso estava interditado.

Gran Aventura - Parque Nacional Iguazu - ArgentinaSaída do Gran Aventura e Aventura Náutica, no circuito inferior

Gran Aventura - Parque Nacional Iguazu - ArgentinaNo barco

Gran Aventura - Parque Nacional Iguazu - ArgentinaBela captura do arco-íris

Gran Aventura - Parque Nacional Iguazu - ArgentinaEntrando debaixo das cataratas

Gran Aventura - Parque Nacional Iguazu - ArgentinaPasseio pela Floresta Tropical

Famintos, mas revigorados após o agradável passeio de barco, retornamos para a cidade de Puerto Iguazú. Pouco antes da chegada, fomos abordados em uma espécie de “pedágio informal” com a cobrança compulsória de uma taxa para estrangeiros, cobrada de carros com placas brasileiras (R$ 4,00/pessoa).

Alguns quilômetros à frente, está o Icebar (ruta 12, km 5), semelhante ao de Gramado. A entrada inclui as roupas térmicas (não esqueça de ir de calça e sapato fechado) e 30 minutos de diversão no bar de gelo, onde aprecia-se as esculturas refrescando-se com bebidas inclusas. Não é muito nosso perfil e, portanto, não fomos!

Icebar - Puerto Iguazu - Argentina

Existem excelentes restaurantes em Puerto Iguazú. Paramos o carro e, após uma volta por algumas ruas, escolhemos (e amamos!) o La Rueda (Av. Córdoba 28). Pedimos lagostins crocantes com surubim de entrada, seguido do surubin garganta del diabo (recheado com mussarela de búfala e tomate seco com palmitos e batata) e do bife de lomo com papa a la crema con salsa dijon. Ambos espetaculares! De sobremesa, crepe de doce de leite (argentino!) flambado com licor.

Dica: experimente o surubim, um peixe de água doce típico na região.

La Rueda - Puerto Iguazu - ArgentinaLa Rueda

La Rueda - Puerto Iguazu - ArgentinaLagostins com surubim

La Rueda - Puerto Iguazu - ArgentinaSurubim com palmitos, tomate seco, mussarela de búfala e batatas

La Rueda - Puerto Iguazu - ArgentinaBife de lomo com batatas

La Rueda - Puerto Iguazu - ArgentinaCrepe de doce de leite

Além da ótima gastronomia, alguns visitantes optam por um city tour pela cidade, com parada no Marco das Três Fronteiras (lado argentino). A vista é muito semelhante à do brasileiro e é preciso avaliar se compensa o tempo dispensado para o passeio.

Marco Tres Fronteiras - Puerto Iguazu - Argentina

Retornamos, então, para Foz do Iguaçu, sem grandes filas (pelo horário) ou dificuldades para cruzar a fronteira argentina. Como não queríamos comprar nada, aproveitamos para uma breve parada no Duty Free (funciona até 21h) e nos decepcionamos: além de ser bem menor do que o esperado, a variedade e preço de produtos não surpreende nem encanta!

Duty Free - Puerto Iguazu - Argentina

Duty Free - Puerto Iguazu - Argentina

Não havia qualquer fiscalização na fronteira brasileira, assim como na ida. Seguimos para o hotel para descansar, pois faríamos o lado brasileiro do Parque das Cataratas no dia seguinte (veja aqui).

Gostou do roteiro e das dicas? Faça suas reservas pelas caixas de pesquisa na lateral, nos links ao longo do post ou clique para reservas de hospedagem no Booking ou aluguel de carros no RentalCars. Você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a manter o site. Obrigado!


Precisa de orientação para montar um roteiro inesquecível pela região de Foz do Iguaçu? Quer ajuda em reservas de hotéis, passagens de avião, ônibus ou aluguel de carros? Quer montar um roteiro 100% personalizado e tornar sua viagem inesquecível? Visite nossa página de Roteiros Personalizados ou deixe sua mensagem abaixo.

Gostou do post? Compartilhe!

Thiago Carvalho

Carioca, casado, 30 anos, médico, amante da natureza e apaixonado por viagem, de Itaipava no fim de semana ao Bungee Jumping na Nova Zelândia. Volta de uma viagem com o roteiro pronto para a próxima.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Reprodução ou cópia não autorizada!