Foz do Iguaçu, um mix de belezas naturais e arquitetônicas na fronteira de três países

Parque Nacional das Cataratas - Foz do Iguacu - ParanaA cidade de Foz do Iguaçu está localizada no sudoeste do estado do Paraná, na fronteira com Argentina e Paraguai, a quase 700km da capital paranaense Curitiba, sendo a principal base para a visita às majestosas cataratas. Em pouco mais de cem anos de fundação, apresentou grande desenvolvimento e expansão com a construção da hidrelétrica de Itaipu na década de 1960, quando a população praticamente quadruplicou.

Atualmente, possui uma população acima de 260 mil habitantes, sendo o terceiro destino mais visitado por estrangeiros no Brasil, e reunido dois atrativos considerados maravilhas do mundo em aspectos opostos e, ao mesmo tempo, complementares – as Cataratas do Iguaçu (uma das 7 Maravilhas da Natureza) e a Usina de Itaipu (uma das candidatas às 7 Maravilhas do Mundo Moderno)!

Quando visitar Foz do Iguaçu?
Foz do Iguaçu pode ser visitada durante o ano todo, mas a paisagem e temperatura são bem distintas dependendo do período da visita. Por possuir um clima subtropical úmido e alta amplitude térmica, a temperatura média no verão é de 26ºC e 15ºC no inverno, mas pode atingir máximas de 40ºC no verão e 30ºC no inverno, e mínimas próximas a zero no inverno e em torno de 15ºC no verão.

Além disso, o volume de chuvas varia bastante durante o ano, sendo maior no verão e menor no inverno. O impacto é facilmente constatado no volume das águas das cataratas, sendo habitualmente máximo e mais lamacento no verão e mínimo e cristalino no inverno, sobretudo em julho. Dessa forma, o espetáculo está presente durante todo o ano, não existindo uma época melhor do que a outra para a visitação. Visitamos em outubro de 2016, esperando encontrar uma água mais cristalina.

Quais documentos levar para Foz do Iguaçu?
Se pretende cruzar a fronteira, não deixe de levar seu passaporte ou sua carteira de identidade (RG) com foto e em bom estado de conservação. É importante lembrar que ambos devem estar válidos.

Existe uma polêmica quanto às carteiras de identidade com mais de 10 anos de emissão sem data de vencimento. A minha tinha 11 anos e não tive qualquer problema. Pesquisamos antes da viagem, inclusive na embaixada argentina, e a necessidade é apenas que esteja válida, bem conservada e com foto que represente sua fisionomia atual.

Como realizar os passeios em Foz do Iguaçu?
Todas as atrações são muito distantes e, portanto, não é possível realizá-las a pé. Por essa razão, existem quatro alternativas:

  • Ônibus urbano: o sistema de ônibus de Foz permite ir a praticamente todas as atrações, exigindo, por vezes, uma pequena caminhada. É o mais barato, mas mais lento.
  • Empresas de Turismo: contratação de passeios com saídas diárias para as grandes atrações, que também podem implicar em alguma complementação via táxi ou ônibus urbano para determinados pontos turísticos menos visitados. O custo não é baixo e a flexibilidade de horário é muito ruim, sobretudo para os que desejam maximizar seu tempo em Foz, combinando atrações de rápida visitação com as de mais longa, como por exemplo, Parque Nacional (lado brasileiro) com Marco das Três Fronteiras.
  • Táxi: permite a visita com grande flexibilidade a todos os pontos, sem grandes preocupações. No entanto, os preços em outubro de 2016 estavam abusivos e superavam muito os da locação de carro.
  • Aluguel de Carro (alugue aqui): em nossa opinião o melhor custo-benefício e flexibilidade. A cidade é bem sinalizada, facilitando o deslocamento.
    • Cruzar a fronteira para o Paraguai: proibida com o veículo alugado. Portanto, é possível estacionar o carro no lado brasileiro próximo à fronteira e contratar um taxista brasileiro ou cruzar a ponte a pé e fazer o deslocamento do outro lado com algum taxista paraguaio.
    • Cruzar a fronteira para a Argentina: simples, necessitando apenas que seja avisado à locadora, que concordará com a saída do carro. É recomendado a confecção de um seguro chamado Carta Verde, que cobre danos a terceiros nos países vizinhos. Cabe ressaltar que, na nossa travessia, não foi solicitado o seguro, mas existem relatos de pessoas que foram multadas por não portarem o seguro ao serem abordadas por policiais argentinos, mesmo circulando dentro dos 50 km da fronteira, situação que teoricamente isentaria da obrigatoriedade. Como o custo não é tão elevado, sugerimos a contratação do seguro para evitar problemas!
      • Nem todas as locadoras disponibilizam o seguro. Em 2016, era possível apenas na Igufoz (emissão na hora) ou Localiza (com aviso prévio). No entanto, há um escritório (Av. Mercosul s/n, logo após a rotatória na Av. das Cataratas, do lado direito no sentido Foz -> Argentina) que faz a emissão na hora.

Seguro Carta Verde - Foz do Iguacu - ParanaLetreiro

Quanto tempo ficar em Foz do Iguaçu?
O tempo mínimo recomendado para Foz do Iguaçu é de três dias completos se a opção for por carro/táxi ou quatro dias completos se for fazer de ônibus urbano ou excursão. Dessa forma, é possível conhecer a cidade em um feriado prolongado (ex: chegada na quarta-feira à noite e retorno no domingo no final do dia).

Como chegar a Foz do Iguaçu?
A maior parte dos turistas, inclusive de Curitiba, chegam de avião, e o aeroporto está localizado a 15 km do centro. As principais companhias brasileiras oferecem voos para a cidade (procure aqui). Grandes capitais como Rio de Janeiro e São Paulo possuem voos diretos. Caso não pretenda alugar um carro, o deslocamento do aeroporto ao centro pode ser realizado de táxi ou ônibus.

Onde se hospedar em Foz do Iguaçu?
A cidade oferece centenas de hotéis (veja todos aqui). Caso não deseje alugar um carro, recomendamos a hospedagem no centro para facilitar o deslocamento à bares, restaurantes e serviços básicos. Caso contrário, dependerá do seu perfil e preferência entre alguns grandes hotéis em estilo resort (mais afastados) ou os hotéis centrais mais próximos dos serviços.

Como a princípio não iríamos alugar carro, reservamos um hotel no centro para permitir o deslocamento a pé para alguns restaurantes. Seguimos a indicação de um de nossos leitores e ficamos no Pietro Angelo Hotel. Achamos o custo-benefício ótimo: embora seja um hotel simples, o quarto e o banheiro eram amplos e limpos, o café da manhã era muito bom, a localização excelente e o estacionamento gratuito e organizado.

Outras sugestões no centro são: Hotel Bella Italia, Águas do Iguaçu Hotel, Del Rey Hotel, Bogari Hotel, Viale Tower Hotel e o mais barato Che Lagarto Hostel Suites, um albergue com quartos duplos com banheiro privativo e ótimas avaliações.

Já mais afastados e com mais comodidades em estilo resort, nossas recomendações são: os cinco estrelas Wish Resort, Bourbon Cataratas Convention & Spa Resort,  Recanto Cataratas Thermas Resort e Mabu Thermas Grand Resort ou o mais simples, mas ótimo San Juan Eco Resort.

Por fim, se desejar usufruir de belezas da natureza como o nascer ou pôr do sol, ou caminhar pela trilha do Parque Nacional das Cataratas (lado brasileiro) com maior privacidade, antes da abertura dos portões do parque, uma ótima (e caríssima!) opção é o Belmond Hotel das Cataratas. A principal desvantagem é a maior distância para as demais atrações e restaurantes.

O Roteiro Resumido
Montamos duas sugestões de roteiro (clique nos links/fotos para o roteiro completo do dia). A primeira reflete a nossa experiência em outubro de 2016, com deslocamento em carro alugado (de táxi seria semelhante).

Parque das Cataratas Argentino - Foz do Iguacu - Parana Dia 1: Parque Nacional das Cataratas (lado argentino), Icebar, Duty Free & Jantar em Puerto Iguazú
Parque das Aves - Foz do Iguacu - Parana Dia 2: Parque das Aves, Parque Nacional das Cataratas (lado brasileiro) & Marco das Três Fronteiras
Templo Budista - Foz do Iguacu - Parana Dia 3: Hidrelétrica de Itaipu, Templo Budista, Mesquita & Ciudad del Este

Se optar por excursão ou ônibus, nossa sugestão é:

  • Dia 1: Parque Nacional das Cataratas (lado argentino) & Duty Free
  • Dia 2: Parque das Aves & Parque Nacional das Cataratas (lado brasileiro)
  • Dia 3: Ciudad del Este pela manhã e CityTour (Mesquita, Templo, Marco das Três Fronteiras) à tarde
  • Dia 4: Hidrelétrica de Itaipu

Gostou do roteiro e das dicas? Faça suas reservas pelas caixas de pesquisa na lateral, nos links ao longo do post ou clique para reservas de hospedagem no Booking ou aluguel de carros no RentalCars. Você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a manter o site. Obrigado!


Precisa de orientação para montar um roteiro inesquecível pela região de Foz do Iguaçu? Quer ajuda em reservas de hotéis, passagens de avião, ônibus ou aluguel de carros? Quer montar um roteiro 100% personalizado e tornar sua viagem inesquecível? Visite nossa página de Roteiros Personalizados ou deixe sua mensagem abaixo.

Gostou do post? Compartilhe!

Thiago Carvalho

Carioca, casado, 30 anos, médico, amante da natureza e apaixonado por viagem, de Itaipava no fim de semana ao Bungee Jumping na Nova Zelândia. Volta de uma viagem com o roteiro pronto para a próxima.

Você pode gostar...

18 Resultados

  1. Já quero saber:
    Qual lado é mais bonito? O lado argentino ou brasileiro?
    Se tudo der certo nós conheceremos em Junho!
    Adorei o post!
    Bjos

    • Olá Camila.
      Ficamos felizes que tenha gostado. E podem ficar tranquilos que vão amar quando forem.
      Junho é um ótimo mês, pois embora a vazão seja menor, as águas são mais claras e límpidas e chove menos.
      Quanto ao lado, são distintos e recomendamos sem dúvida alguma ir nos dois. Enquanto o brasileiro permite uma visão mais global da imensidão das cataratas que o argentino, além de um contato bem próximo nas passarelas (sobretudo na época de menor vazão, já que podem estar fechadas no verão), o argentino garante mais ângulos diferentes das quedas.
      Não deixem de conhecer o restante fora dos dois parques como sugerimos nos posts! Imperdível!
      Grande beijo.

  2. Livia disse:

    Adorei o post! Não conheço Foz ainda mas sei que tem passeios incríveis, está na minha wish list com certeza =)) Ficou show! Parabéns!! Beijo

  3. Oi, Gente! Muita boas as sugestões de roteiros. Eu também sou do time Águas Cristalinas, rsrs. Imagino que seja super impactante ver aquele volume absurdo de água da época de chuva. Mas prefiro àgua transparente do que com cor de Toddynho. Tenho uma pergunta: sabem se lá já tem Uber?

  4. Dhebora disse:

    Eu amei conhecer as Cataratas!! Estivemos por lá no verão, época de cheia… o volume de água era absurdo! Fora o barulho das quedas d’água. Lugar sensacional!!!

  5. viajei_compartilhei disse:

    Muito boas dias meu amigo. Resumido e bem explicado. Soube que os passeios do lado argentino são mais baratos que fazê-los no lado brasileiro. Verdade?

    • Que bom que gostou! Na verdade, não foi essa a nossa impressão. Como a distância é maior, os custos do translado são maiores e a entrada ao parque não é nenhuma diferença significativa. No entanto, se for fazer os passeios “extras” no parque como o barco que leva embaixo das quedas, aí sim é mais barato mesmo!!!

  6. Tikdeviagem disse:

    Nossa adorei! Post super completinho e com varias dicas boas! Fiquei até com vontade de ir pra foz!

  7. Legal Reviver Foz!
    Tive a chance de conhecer em 2014, não fiz tudo que esta ai, mas os principais, e adorei esta cidade.
    O bom é que tem gostinho de quero mais..
    Valeu!!!

  8. Mariliza Domingos disse:

    AS maravilhas do nosso Brasil !! Maraaaaaaaaaa!!
    Adorando as dicas, super detalhado. Ainda não conheço, mas está em minha listinha, incrível esse lugar.
    Abraços

  9. Trip A Doiss disse:

    Muito lindo !! As maravilhas do nosso Brasil !!!!
    Adoramos as dicas, ainda não conhecemos, será super útil.
    Parabéns pelo Post! Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Reprodução ou cópia não autorizada!