Mergulhando nas águas coloridas da Chapada dos Veadeiros

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros abrange uma área de preservação de mais de 65 mil hectares no estado de Goiás, distribuída pelos municípios de Cavalcante e Alto Paraíso. Criado em 1961, desde 2001 é considerado Patrimônio Mundial pela UNESCO. Além dessa imensa área com acesso pelo distrito de São Jorge, existem inúmeros rios, cachoeiras e poços – muitos dentro de propriedades privadas – no entorno do parque e que tornam a região um dos melhores destinos nacionais para desfrutar de uma bela, variada e conservada fauna e flora.

Além do ecoturismo, a região atrai muitos místicos pela abundância de quartzo e por ser cortada pelo Paralelo 14, o mesmo de Machu Picchu no Peru, que seriam responsáveis por abrigar uma “grande quantidade de energia”.

Qual a melhor época para visitar a Chapada dos Veadeiros?
A Chapada pode ser visitada durante o ano todo, mas o período ideal é na chamada seca (de abril a setembro), quando a chance de chuva é muito menor, garantindo maior mobilidade (o acesso a muitas cachoeiras é por estrada de terra, muitas vezes cruzadas por riachos) e segurança (as chuvas aumentam os riscos nos banhos) e beleza (com água límpida e transparente). O início desse período é mais recomendado, pois a vegetação ainda está verde pelas chuvas recentes. A temperatura costuma ser quente durante o dia, mas no inverno pode fazer frio à noite. Estivemos em maio de 2016 e o período foi perfeito!

Cabe ressaltar que nas férias, finais de semana e feriados prolongados, a região é muito procurada por turistas, principalmente de Brasília. Portanto, recomendamos evitar esses períodos para garantir mergulhos e caminhadas de modo mais tranquilo e um maior contato com a natureza.

Quanto tempo ficar na Chapada dos Veadeiros?
Essa é uma das perguntas mais difíceis de responder, pois os atrativos são inúmeros, mas o tempo mínimo recomendado é de quatro dias inteiros, podendo estendê-lo tranquilamente para uma semana. Tudo dependerá da sua disponibilidade, ritmo e tempo dispensado em cada mergulho e atração. Uma sugestão é destinar um dia adicional para visitar a capital brasileira (veja aqui).

Como chegar à Chapada dos Veadeiros?
Como dissemos, a região fica no estado de Goiás, mas o aeroporto mais próximo é o de Brasília, localizado a 235 km pela excelente estrada BR-010 até Alto Paraíso de Goiás. Caso fique em São Jorge, são mais 36 km de ótimo asfalto pela GO-239. O recomendado é alugar um carro no aeroporto (alugue aqui), embora seja possível fazer o trajeto de ônibus.

Estrada - Chapada dos VeadeirosEstrada para Alto Paraíso

Estrada - Chapada dos VeadeirosEstrada para Cavalcante

Vale destacar que, com exceção do Parque Nacional para os que estiverem hospedados em São Jorge, os acessos às demais cachoeiras são distantes, localizadas dentro de propriedades privadas (e por isso a entrada é paga!), necessitando de deslocamento motorizado. É possível contratar passeios para as atrações, mas além de ser uma alternativa mais onerosa, reduz bastante a flexibilidade.

Onde se hospedar na Chapada dos Veadeiros?
A principal atração – o Parque Nacional – e grande parte das cachoeiras estão em São Jorge, um pequeno distrito a 36 km de Alto Paraíso. No entanto, existem algumas cachoeiras próximas de Alto Paraíso e uma das mais belas e famosas pelo azul turquesa da água (Santa Bárbara) está localizada na cidade de Cavalcante, a 90 km de Alto Paraíso e 105 km de São Jorge. Por isso, nossa recomendação é planejar não apenas as atrações, mas também os dias para cada uma das cachoeiras, otimizando os deslocamentos. Foi justamente o que fizemos!

Nossas sugestões de hospedagem são:

Bambu Brasil - Chapada dos VeadeirosPousada Bambu Brasil

Bambu Brasil - Chapada dos VeadeirosPousada Bambu Brasil

Dependendo do horário do voo, pode ser necessário pernoitar na ida ou na volta em Brasília. Sugerimos o Base Concept Hotel, no aeroporto, reduzindo os deslocamentos.

É necessária a contratação de guias para visitar a Chapada dos Veadeiros?
Não é obrigatória. A maioria das trilhas e cachoeiras é de fácil acesso e bem sinalizada, sobretudo as principais. A única exceção é o Complexo da Cachoeira Santa Bárbara que, por ficar dentro de uma comunidade quilombola, exige a contratação de um guia por grupo.

O que é necessário levar para a Chapada dos Veadeiros?
Fizemos uma pequena lista do que achamos fundamental:

  • Conversar com seu médico sobre a necessidade de vacinação para Febre Amarela;
  • Calçado confortável, como tênis ou específico para trilhas;
  • Short e blusa leve para o dia e calça para noite (sobretudo no inverno);
  • Bastante água e pequenos snacks/sanduíches para serem consumidos durante o dia e nas trilhas;
    • Obs: compramos tudo no supermercado de Alto Paraíso!
  • Boné e protetor solar;
  • Mochila leve e anatômica para carregar toalha, pequenas refeições e bebida;
  • Sapatilha para mergulho: as cachoeiras possuem pedras nas margens e no fundo e as sapatilhas simplificam a caminhada, tornando-a mais segura;
  • Roupas de banho e toalhas compactadas, de preferência as específicas para camping e trilhas, que são mais leves, menores e secam com maior facilidade (vendidas em lojas de esportes);

Onde comer na Chapada dos Veadeiros?
Não existem muitas opções de restaurantes, sendo a maioria bem simples, servindo comida caseira, massas e pizzas. Em Alto Paraíso, os destaques são o simples, barato, mas saboroso Zu Bistrô (R. das Nascentes, 118), o Cravo e Canela (Av. Ary Valadão Filho, 1363) e o Jambalaya (R. Colibris, 1). Tivemos a oportunidade de ir no primeiro e adoramos: pedimos o risoto de figo com gorgonzola e  o de damasco com gruyère.

Zu Bistro - Chapada dos VeadeirosZu’s Bistrô

Em Cavalcante, as opções são ainda mais reduzidas. Estávamos exaustos e fomos em uma pizzaria próxima ao hotel, mas a Cervejaria Aracê é muito recomendada e famosa.

Já em São Jorge, o Santo Cerrado é imperdível, com entradas excelentes, drinks criativos e opções de risotos (carro chefe da casa) de dar água na boca, além de apresentações noturnas e um pôr do sol espetacular do deck superior. Não costumamos repetir restaurantes em viagens, mas abrimos uma exceção! Além dos drinks (uva com manjericão, rapadura, melancia, baunilha…) e da cerveja Aracê de baru (uma castanha do cerrado), provamos a caponata de berinjela e o frango assado com pão caseiro recheado com tomate e queijo de entrada, os risotos Caipira e Santo Cerrado e, de sobremesa, o Romeu e Julieta com queijo coalho. Tudo fantástico!

Santo Cerrado - Chapada dos VeadeirosFrango assado com pão caseiro recheado com tomate e queijo

Santo Cerrado - Chapada dos VeadeirosPôr do sol da varanda do restaurante

Santo Cerrado - Chapada dos VeadeirosCerveja Aracê de Baru

Santo Cerrado - Chapada dos VeadeirosPanelinha de Risoto para dois

Santo Cerrado - Chapada dos VeadeirosRomeu e Julieta com queijo coalho e drink de rapadura

Além dessas indicações, recomendamos um almoço no Rancho do Waldomiro, uma pequena barraca de sapê nas margens da rodovia GO-239 que liga Alto Paraíso a São Jorge (nesse sentido, do lado direito, no km 18!). O prato é a matula, uma comida regional dos tropeiros goianos, feita com carne frita conservada em banha de lata, acompanhada de arroz, tutu de feijão, abóbora, farofa, mandioca frita e salada. Existe uma versão vegetariana! Para acompanhar, inúmeras opções de cachaças artesanais, como de mangaba e gengibre! Recomendamos apenas cuidado com o horário de funcionamento!

Rancho do Waldomiro - Chapada dos VeadeirosRestaurante

Rancho do Waldomiro - Chapada dos VeadeirosMatula

O Roteiro
Permanecemos 6 dias inteiros (5 noites) na Chapada, sempre acordando cedo e passeando durante o dia todo até o entardecer. Estar em carro alugado e ter distribuído a hospedagem nas três cidades (1 dia em Alto Paraíso, 1 dia em Cavalcante e 3 dias em São Jorge), maximizou nosso tempo e permitiu imensa flexibilidade, já que em algumas cachoeiras permanecemos por um curto período enquanto em outras ficamos por horas.

É possível programar até duas atrações por dia, deixando a principal para a manhã e a secundária para o período da tarde. Nossa sugestão de roteiro, priorizando os imperdíveis nos quatro primeiros dias, é:

  • Dia 1: Deslocamento para a Chapada | Cachoeira dos Cristais (noite em Cavalcante)
  • Dia 2: Santa Bárbara, Capivara +/- Candaru (noite em Alto Paraíso)
  • Dia 3: Loquinhas | Complexo São Bento (Almécegas I, Almécegas II e São Bento) | Almoço no final da tarde no Rancho do Waldomiro e contemplação dos Jardins de Maytrea (noite em São Jorge)
  • Dia 4: Parque Nacional (Saltos e Corredeiras) | Vale da Lua (noite em São Jorge ou retorno para Brasília)
  • Dia 5: Parque Nacional (Carioquinhas e Canyon 2) | Morada do Sol (noite em São Jorge)
  • Dia 6: Mirante da Janela | Encontro das Águas (dos rios)
  • Dia 7: Catarata dos Couros + Retorno para Brasília

Destrinchamos nesse post cada uma das trilhas e cachoeiras que fizemos com informações sobre a estrada, trilha, tempo de deslocamento e fotos. Dentre as listadas, apenas não fizemos o Mirante da Janela, tendo sido viável em menos tempo por termos feito o Parque Nacional em 1 dia. É possível, mas bem cansativo (entramos às 8h e saímos às 17h, completando mais de 20 km de trilhas). Vale ressaltar que sempre fiz trilhas e corro meia maratona e a Silvia se preparou previamente!

Gostou do roteiro e das dicas? Faça suas reservas pelas caixas de pesquisa na lateral, nos links ao longo do post ou clique para reservas de hospedagem no Booking ou aluguel de carros no RentalCars. Você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a manter o site. Obrigado!


Precisa de orientação para montar um roteiro inesquecível pela Chapada dos Veadeiros? Quer ajuda em reservas de hotéis, passagens de avião, ônibus ou aluguel de carros? Quer montar um roteiro 100% personalizado e tornar sua viagem inesquecível? Visite nossa página de Roteiros Personalizados ou deixe sua mensagem abaixo.

Gostou do post? Compartilhe!

Thiago Carvalho

Carioca, casado, 30 anos, médico, amante da natureza e apaixonado por viagem, de Itaipava no fim de semana ao Bungee Jumping na Nova Zelândia. Volta de uma viagem com o roteiro pronto para a próxima.

Você pode gostar...

12 Resultados

  1. Gabriela disse:

    Ai que delíííícia! Tô mirando na Chapada dos Veadeiros pro meu próximo feriado. Adorei as dicas!

  2. nicole disse:

    eu quero muito conhecer a chapada!!! esse post só me deixou com mais vontade! adorei muito!!!

  3. Anna disse:

    Quantas dicas boas!!! Ano passado visitei a Chapada Diamantina, esse ano a viagem de ecoturismo foi pro Jalapão… mas agora a trip de 2018 não tem mais escapatória não: é Chapada dos Veadeiros na lista! cada dia me encanto mais por esse lugar!

  4. Sou louca pela Chapada, confesso que tinha visto alguns post do local, mas nada tão completo. Bom saber o melhor período para visitar. Vou me programar para conhecer as belas cachoeiras azuis da Chapada. Adorei as dicas, vou salvar aqui . abraços

  5. Marthon Livramento disse:

    Ai por que eu não fui só depois de vcs…
    Vcs comeram super bem…rs. Eu não tinha dicas de lugares e não passei tão bem assim..
    Adorei.

  6. Viajento disse:

    Nossa, não sabia que eram tantas coisas pra se fazer lá. Quero muito programar uma viagem para a região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Reprodução ou cópia não autorizada!