Um final de semana em Teresópolis

Teresópolis é uma das principais cidades da Região Serrana do Rio de Janeiro, com uma população de pouco mais de 170 mil habitantes, localizada a apenas 100km da Zona Sul carioca ou 86km do Aeroporto Internacional, por uma excelente estrada. Foi fundada em 1891 pelo então governador do estado e seu nome é uma homenagem póstuma à imperatriz Teresa Cristina. Destaca-se, sobretudo, pelas paisagens naturais do Parque Nacional da Serra dos Órgãos e algumas boas opções de hotéis e gastronomia.

Qual a melhor época para ir em Teresópolis?

Teresópolis possui um clima ameno, com temperatura média em torno de 18ºC, mas no inverno aproxima-se de zero (média de 10ºC), o que atrai muitos turistas nas férias e nos finais de semana ao longo dessa estação. As chuvas são distribuídas por todo o ano, com maior precipitação entre outubro e abril, sobretudo em dezembro e janeiro.

Quanto tempo ficar em Teresópolis?

O tempo mínimo para conhecer os principais pontos turísticos é um dia, mas para desfrutar de algumas ótimas opções de restaurantes e um agradável passeio pelas trilhas do Parque Nacional da Serra dos Órgãos (PARNASO), recomendamos dois dias.

Como chegar em Teresópolis?

Da capital, pode-se chegar de três maneiras: contratar um passeio em uma agência de turismo local (bate e volta), ir de carro (aeroporto mais próximo é o Galeão) pela Rodovia Washington Luiz (BR-040) e depois seguir pela BR-493 e BR-116, ou de ônibus (saem de alguns pontos do Rio, além da Rodoviária Novo Rio) com destino final na rodoviária municipal, de onde partem linhas diretas para o centro. Vindo de São Paulo, o caminho é pela Rodovia Presidente Dutra e, ao final, BR-040/493/116, e de Minas Gerais pela BR-040/495.

Onde ficar em Teresópolis?

Pela proximidade, visitamos Teresópolis desde a nossa infância e decidimos elaborar um roteiro para os que desejam passar o dia ou o final de semana. A oferta de hotéis no centro não é grande (veja todos aqui), como ocorre em Petrópolis. Se seu intuito for descobrir Teresópolis, recomendamos um dos hotéis mais centrais, como o moderno Intercity, o ótimo e bem localizado Willisau, os mais simples e também bem localizados Athos e Pousada Matitaterê ou o luxuoso e exclusivo Urikana Boutique Hotel, um pouco mais afastado do centro (15 minutos), mas ainda dentro da cidade.

Já se seu objetivo for um retiro ou uma viagem romântica, existem alguns hotéis na estrada que liga Teresópolis à Nova Friburgo. Recomendamos os excepcionais  Le Canton Fazenda Suíça (com ótimas atrações para crianças) e Le Canton Village, ambos a 30 minutos do centro, o Hotel Rosa dos Ventos (veja nossa experiência no nosso aniversário de casamento em “Hotel Rosa dos Ventos: Um recanto de tranquilidade em Teresópolis“) a 45 minutos do centro e o bom custo-benefício do Hotel São Moritz, a 1 hora do centro (veja nossa experiência em “Hotel São Moritz: Paz para uma viagem em família em Teresópolis).

O que fazer? Roteiro Diário!

O passeio começa antes da chegada, ainda na subida da serra. À sua direita você verá a entrada para a sede do PARNASO de Guapimirim (a sinalização é ótima!). O PARNASO foi criado em 1938 e conta com mais de 200km em trilhas, das mais variadas dificuldades, cachoeiras, poços e uma rica fauna e flora. Como abrange vários municípios da Região Serrana do Rio de Janeiro, é dividido em três sedes: Guapimirim, Petrópolis e Teresópolis. A de Guapimirim nunca visitamos, mas destaca-se por cinco poços para banhos (veja as fotos no site oficial na aba Guia do Visitante -> Sede de Guapimirim), além de ser um patrimônio histórico do século XIX.

Parque Nacional da Serra dos Orgaos - Guapimirim
Entrada da sede de Guapimirim

Pouco mais de 10 minutos depois da entrada da sede de Guapimirim, ainda antes de entrar em Teresópolis, também à sua direita, pare no Mirante do Soberbo para apreciar uma das mais belas e famosas paisagens do Rio de Janeiro: o Dedo de Deus, um pico de quase 1700 metros, que recebeu esse nome pelo contorno da cadeia de montanhas que lembra uma mão fechada com o indicador apontado para o céu! Se o dia estiver claro e bonito como conseguimos abaixo, é possível ver a capital fluminense.

Mirante do Soberbo - Teresopolis

Vire então na rotatória à esquerda para ingressar na entrada principal da cidade, passando pelo Pórtico de Teresópolis.

Portico - Teresopolis

Siga em frente, observando as placas para virar à direita na entrada para a Granja Comary – nome da fazenda localizada na região do nobre bairro Carlos Guinle – onde fica a propriedade da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), utilizada para concentração da seleção brasileira de futebol. Além de conhecer (por fora!) essa área tão noticiada pela imprensa natural, o mais incrível do passeio é o encantador Lago Comary cercado por belas casas e com vista privilegiada para o Dedo de Deus.

Granja Comary - Teresopolis
Entrada da propriedade da CBF
Granja Comary - Teresopolis
Campo de treinamento da CBF
Granja Comary - Teresopolis
Lago Comary com Dedo de Deus ao fundo

Retorne para a avenida principal e poucos metros à frente, à sua esquerda, verá a entrada para a sede de Teresópolis do PARNASO. Essa é a maior e melhor sede do parque, com grande infraestrutura que permite um belo passeio para todos, desde crianças a idosos, com ou sem preparo físico. A duração do passeio dependerá das suas opções e desejos de lazer e caminhada!

Dentre os atrativos, o Parque conta com uma piscina de águas naturais, poços para banho, área de lazer e piquenique, ótimo centro de visitação, cinco trilhas que permitem contemplar a cidade, a mata e as montanhas. Os graus de dificuldade são variados e o destaque é para a trilha da Pedra do Sino com dificuldade alta e que demanda um dia inteiro e, na maioria das vezes, o pernoite no refúgio (está nos nosso planos!).

A última vez que fomos em Teresópolis, em outubro de 2016, infelizmente havia chovido pouco e o volume de águas estava baixo.

Parque Nacional da Serra dos Orgaos - Teresopolis
Trilha Suspensa com acesso para cadeirantes
Parque Nacional da Serra dos Orgaos - Teresopolis
Barragem – seca!
Parque Nacional da Serra dos Orgaos - Teresopolis
Piscina de águas naturais – seca!
Parque Nacional da Serra dos Orgaos - Teresopolis
Poço do Castelo – banho é permitido!

De volta à avenida principal, você chegará à Feirinha do Alto (Alto é o bairro!). Se estiver de carro, estacione e se perca nessa enorme feira. Iniciada na década de 1970, funciona aos sábados, domingos e feriados e oferece ao visitante inúmeras opções de artesanato, vestuário, lanches e comidas regionais.

Feirinha do Alto - Teresopolis
Feirinha do Alto - Teresopolis

No entorno, dois centros comerciais complementam as opções de compras e alimentação (mais simples!) da região.

Centro Comercial - Teresopolis
Centro Comercial - Teresopolis

De uma das pontas da feirinha sai o Terê-Tour, um passeio turístico em um trenzinho por alguns dos atrativos da cidade. A criançada adora!

Trenzinho - Teresopolis

Não deixe de visitar duas atrações próximas à feirinha, também na rua principal: Fonte Judith e o Viva Itália. A fonte, localizada do outro lado da avenida, foi inaugurada no projeto atual na década de 1960 e o nome é uma homenagem à menina que teria sido curada de uma enfermidade por suas águas. Com azulejos que remontam o estilo português do século anterior, a conservação deixa a desejar!

Fonte Judith - Teresopolis

O Viva Itália é um pequeno complexo gastronômico que conta com três estabelecimentos em um agradável pátio que facilmente poderia ser confundido com uma piazzale italiana: um mercado com produtos de origem italiana, um café e sorveteria e um restaurante. Mesmo que não esteja com fome, vale uma visita. Os sorvetes são excelentes e os produtos de ótima qualidade!

Viva Italia - Teresopolis
Fachada
Viva Italia - Teresopolis
Pequena praça interna

Aproveitamos para almoçar no È Vero, uma temática cantina italiana e não nos decepcionamos. A maior parte dos pratos serve duas pessoas (pedimos o raviolli de cordeiro com funghi e tomate seco – delicioso!) e de entrada existe um buffet (cobrança por quilo – caro!) de antepasto italiano excelente! De sobremesa, tomamos um café e sorvete na própria gelateria do Viva Itália.

E Vero - Viva Italia - Teresopolis
E Vero - Viva Italia - Teresopolis
E Vero - Viva Italia - Teresopolis
E Vero - Viva Italia - Teresopolis

Mais uma excepcional opção para um petisco ou refeição é um outro complexo de características semelhantes, mas de “origem” germânica destinada à apreciação da culinária europeia, acompanhada de diferentes opções de cerveja – a Vila Saint Gallen, da cervejaria Therezopolis, a 900 metros da Feirinha. A pequena vila possui um mercado, uma capela, um pátio, uma cafeteria e três restaurantes: o Abadia destinado à apreciação de fondues e raclettes (aberto apenas à noite e sendo obrigatória a reserva!), o Bistrô 1912 com uma gastronomia mais elaborada e inspiração francesa e a própria cervejaria, dividida em uma área interna e externa (nossa preferida!). Tivemos a oportunidade de visitar os três e o único que não achamos que compensou foi o bistrô, pelo custo-benefício.

Saint Gallen- Teresopolis
Fachada da Vila St. Gallen
Saint Gallen- Teresopolis
Pátio interno com a loja e o café
Saint Gallen- Teresopolis
Capela
Saint Gallen- Teresopolis
Área externa da cervejaria
Saint Gallen- Teresopolis
Brinde!
Saint Gallen- Teresopolis
Tira-gosto: linguicinhas com molho à base de cerveja
Abadia - Saint Gallen - Teresopolis
Restaurante Abadia, no sótão
Abadia - Saint Gallen - Teresopolis
Fondue de carne e queijo de cabra (diferente e fabuloso!) quando fomos com meus pais
1912 - Saint Gallen - Teresopolis
Steak no Bistrô 1912 – não valeu o custo-benefício!

Depois da visita à vila, siga para o centro até a Igreja Matriz Santa Tereza, inaugurada na década de 1940 após demolirem sua antecessora pelo péssimo estado de conservação. A igreja possui estilo gótico e vitrais que retratam passagens do Evangelho. No caminho, repare à sua esquerda na sede da Prefeitura de Teresópolis. Em estilo neocolonial, ocupa o Palácio Teresa Cristina, inaugurado em 1927, e passou por algumas remodelações nas décadas seguintes.

Prefeitura - Teresopolis
Prefeitura
Igreja Matriz - Teresopolis
Igreja Matriz

Aproveite a parada para andar pelas ruas do centro e conhecer o gracioso Palacete Granado, uma construção de 1913, construído pelo comendador português José Granado, onde, após sua morte, já funcionou o Colégio Teresa Cristina e, atualmente, é a sede cultural do SESC.

Palacete Granado - Teresopolis

Caso não tenha almoçado ainda, outras duas sugestões de restaurante próximos à igreja são o delicioso Tempero com Arte (R. Pref. Sebastião Teixeira, 262) e o temático Vagão (Av. Lúcio Meira, 855). Ainda não fomos no segundo, que possui mais uma característica de bar, onde as pessoas sentam dentro de um “vagão” de trem. Já o primeiro, conhecemos em abril de 2016, quando comemos um delicioso cordeiro com purê de aipim e molho de tomate seco e um risoto de brie e parma, com uma apetitosa bruschetta queijo de cabra com parma de entrada.

Vagao Beer - Teresopolis
Fachada do Vagão
Tempero com Arte - Teresopolis
Fachada do Tempero com Arte
Tempero com Arte - Teresopolis
Bruschetta de entrada
Tempero com Arte - Teresopolis
Cordeiro
Tempero com Arte - Teresopolis
Risoto

Siga para a última atração, a Cascata do Imbuí, localizada em bairro homônimo. Siga as placas e vire à direita logo após o Golfe Clube de Teresópolis. Deste ponto em diante, fique atento à sua direita, pois a sinalização não está muito boa. A cascata é uma bela queda d’água que teve seu entorno revitalizado recentemente, mas sofre com o despejo de dejetos que depreciam esta beleza natural.

Cascata do Imbui - Teresopolis
Cascata do Imbui - Teresopolis

Por fim, não poderíamos deixar de falar sobre um restaurante que amamos, mas fica mais afastado do centro: o Dona Irene. Frequento esse restaurante há mais de 20 anos e nunca me decepcionei! Atualmente funciona em uma casa no bairro do Bom Retiro, na Rua Tenente Luiz Meirelles, 1800. Com uma culinária russa, a reserva prévia é recomendada e nesse momento se escolhe o prato principal. O restante segue o ritual da aristocracia russa com quatro etapas: os frios (destaque para o filé de arenque!), a fabulosa sopa de beterraba, uma entrada quente que varia de acordo com o dia e o prato principal previamente escolhido. Segue-se, ainda, uma sobremesa. O restaurante não é barato e o menu degustação possui um preço fixo (disponível no site, assim como o cardápio!). No valor está inclusa uma dose de vodka artesanal (deliciosa!). Duas dicas: se forem quatro ou seis pessoas, solicite a reserva da sala Dona Irene; e a bebida é à parte, mas não cobram a rolha!

Gostou do roteiro e das dicas? Faça suas reservas pelas caixas de pesquisa na lateral, nos links ao longo do post ou clique para reservas de hospedagem no Booking. Você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a manter o site. Obrigado!

Thiago Carvalho

Carioca, casado, 34 anos, médico, amante da natureza e apaixonado por viagem, de Itaipava no fim de semana ao Bungee Jumping na Nova Zelândia. Volta de uma viagem com o roteiro pronto para a próxima.

22 Responses

  1. vanessa disse:

    Bom dia
    Vou a Teresópolis esse final de semana, mas vou de ônibus, como fazer um roteirinho pra conhecer a cidade?

  2. ana carolina disse:

    eu vou no dia 24/07 quarta e volto na quinta dia 25/07, a feirinha nao funciona dia de semana?

  3. Aninha disse:

    Em resumo, acabei de almoçar e terminei de ler seu post com fome de novo! Como come-se bem nessa cidade, gente!

    Sou doida pra fazer a trilha do Cartão Postal em Teresópolis e acho que esse final de semana rola em breve!

  4. Renata disse:

    Nossa, lendo seu post lembrei tantooo da minha adolescencia. Viajava muito pra Terê!! Aliás, amava esse restaurante Vagão. Vc conseguiu reunir otimas dicas!

  5. Liany Garves Nogueira disse:

    Sabe que morro de vontade de conhecer Teresópolis e ainda não consegui ir. Eu queria mesmo fazer a travessia porque amo uma trilha, mas com certeza somente visitar a cidade, ver essas vistas incríveis e aproveitar os restaurantes e cachoeiras como vocês fizeram já é um ótimo passeio. Vou tentar ir em breve!

  6. Danielle disse:

    Adoro Terê! Sempre quando vou, é para relaxar e comer bem kkk.. mas sou doida para fazer as trilhas. Dizem que a da Pedra do Sino só pode fazer no inverno devido as chuvas. Imagina o frio que não deve ser lá em cima? Medo .. kkk…

  7. Suzy Freitas disse:

    Estive na região serrana do Rio há mais de dez anos e amei! As paisagens e a gastronomia são formidáveis. Infelizmente, na época, não fiz os passeios no Parque Nacional da Serra dos órgãos. Você sabe informar se tem alguma trilha que seja indicada para pessoas acima de 50 anos, com problemas na coluna e joelho? Agradeço desde já.

  8. Ana disse:

    Muito legal a matéria sobre Teresópolis, porém eu gostaria de convidá-los para conhecer mais desse lugar incrível.
    Teresópolis tem muito mais a oferecer.
    Com o título de Capital Nacional do Montanhismo, nós temos outros roteiros muito especiais, para os amantes da Natureza as opções são infinitas, além do Parnaso, temos o Três Picos e o Parque Municipal Montanhas de Teresópolis, temos também roteiros rurais incríveis, que valem à pena conhecer, a Arabotânica para quem gosta de plantas.
    Fica o convite para que vocês voltem e descubram que é preciso muito mais que dois dias para conhecer Terê.
    Tenho certeza que vocês vão amar!

    • Equipe Roteiros Inesquecíveis disse:

      Olá Ana, obrigado pelo feedback.
      Com certeza existe muito em Teresópolis, além dos pontos turísticos principais.
      Nosso planejamento de roteiro é para uma primeira visita no tempo médio disponível de um viajante e jamais seria possível esgotar os encantos de qualquer cidade para a qual tenhamos ido.
      Agradecemos imensamente as dicas e em uma próxima visita iremos desbravar o máximo possível, trazendo um novo post com o passeio adicional.

      • Alessandra disse:

        Olá! Amei o post, as dicas. Vou em 20/052022 com uma criança de 9 anos. Como vamos de ônibus queria dica de uma agência local para realizar os passeios de trilha e de visita ao mirante por exemplo. Obrigada!

        • Equipe Roteiros Inesquecíveis disse:

          Olá Alessandra.
          Agradecemos pelo feedback e esperamos que curtam bastante a viagem.
          Infelizmente apenas recomendamos serviços que tenhamos testado nós mesmos e, por isso, não teríamos nenhuma agência para indicar.
          Qualquer dúvida estamos à disposição.

  9. CILENE DIAS disse:

    Queria saber se dá pra fazer um tour pela cidade com guias turísticos.

    • Equipe Roteiros Inesquecíveis disse:

      Olá Cilene.
      É possível sim, tendo como opção menos custosa um trem que sai da Feirinha e passa pelos principais pontos turísticos.
      Qualquer dúvida estamos à disposição.

  10. claudia rangel disse:

    adorei o roteiro de vcs. o melhor que encontrei de acordo com mi ha necessidade . muito bem explicado todos os detalhes. obrigada 👍👍👍

    • Equipe Roteiros Inesquecíveis disse:

      Olá Claudia, agradecemos pelo feedback e ficamos felizes que tenha gostado!
      Tenha uma boa viagem.

error: Alert: Content selection is disabled!!