Nova York: Visitando o Central Park

Conforme explicamos no post de Nova York, chegamos no final da manhã e como estava um lindo dia, aproveitamos para conhecer o Central Park, localizado a 500 metros do nosso hotel. O Central Park, inaugurado em meados do século XIX, é um grande pulmão verde de mais de 300 hectares no meio de Manhattan, entre a 59th e 110th St na transversal e a 5th e 8th Ave na perpendicular. Embora pareça natural, foi planejado e seus lagos são artificiais!

Esse imenso parque, um oásis no meio dos milhares de arranha-céus de Nova York, possui algumas atrações e monumentos imperdíveis. O parque pode ser percorrido a pé, de bicicleta ou nas famosas carruagens. Optamos por ir a pé pela maior flexibilidade, o que rendeu cerca de 5km passando por todas as principais atrações. Com um mapa em mãos (veja aqui) e atentos às placas de sinalização, entramos pela 59th St. com a 6th Ave e seguimos em direção ao The Pond (lagoa) para chegar à Gapstow Bridge, construída em 1874 inicialmente em madeira.

Central Park - Nova York - Estados UnidosUm dos muitos arcos do Central Park

The Pond - Central Park - Nova York - Estados UnidosThe Pond, uma das mais belas vistas do Central Park pelo grande e próximo contraste!

Gapstow Bridge - Central Park - Nova York - Estados UnidosGapstow Bridge

Gapstow Bridge - Central Park - Nova York - Estados UnidosGapstow Bridge

Próximo ao The Pond, está o Central Park Zoo, um pequeno zoológico que faz sucesso entre as crianças. Continuamos em direção ao The Mall, um passeio que liga a Olmsted Flower Bed (um canteiro!) até o Bethesda Terrace, com inúmeras árvores de ambos os lados, garantindo uma deliciosa sombra enquanto apreciamos o trabalho de pintores e gravuristas. Sentamos para matar a sede e recuperar as energias com um snack. A largura dos caminhos é precisa, permitindo que as carruagens do século XIX entrassem para o desembarque da alta sociedade para uma promenade.

The Mall – um pretzel para matar a fome

Ao fim do The Mall, chegamos ao Bethesda Terrace, construído entre 1859 e 1863, composto de um terraço superior e outro inferior conectados por escadas. No meio encontramos a Bethesda Fountain (fonte), com a escultura Angel of Waters (anjo das águas) para comemorar a abertura do aqueduto que abastecia Nova York em 1842, às margens do Central Park Lake e próximo do Loeb Boathouse – casa de aluguel de barcos, construída em 1954 para substituir sua antecessora de 1873.

Bethesda Terrace - Central Park - Nova York - Estados UnidosBethesda Terrace – escadas

Bethesda Terrace - Central Park - Nova York - Estados UnidosBethesda Terrace

Bethesda Fountain - Central Park - Nova York - Estados UnidosBethesda Fountain

Great Lake - Central Park - Nova York - Estados UnidosGreat Lake e Loeb Boathouse ao fundo

Contornando o Lake, chegamos à famosa Bow Bridge – infelizmente em reformas -, ponte de ferro do século XIX.

Bow Bridge - Central Park - Nova York - Estados UnidosBow Bridge

Lake - Central Park - Nova York - Estados UnidosThe Central Park Lake

Lake - Central Park - Nova York - Estados UnidosThe Central Park Lake

Durante o contorno do Lake, em direção ao Belvedere Castle, não deixe de desviar à esquerda para visitar o Strawberry Fields, tributo ao eterno Beatle John Lennon, que foi assassinado no exterior de sua residência, próximo desse ponto. O nome é uma homenagem à canção Stramberry Fields Forever.

Strawberry Fields - Central Park - Nova York - Estados Unidos

Strawberry Fields - Central Park - Nova York - Estados Unidos

Mais à frente, viramos à direita para o Belvedere Castle – com projeto original de 1865 e modificado em 1983 -, que permite uma bela visão sobre o Turtle Pond (lagoa das tartarugas), Delacorte Theater e Great Lawn – um grande gramado construído na década de 1930, onde a população se diverte com piqueniques, conversas e jogos ao ar livre. Nessa transversal que corta o Central Park pode-se virar à esquerda e conhecer o Museu de História Natural. Como explicamos, fomos no terceiro dia (que choveu!) para aproveitar o belíssimo dia e terminar as atrações do parque.

Vista do Belvedere Castle para o Turtle Pond e Great Lawn

Great Lawn - Central Park - Nova York - Estados UnidosVista do Great Lawn para o Belvedere Castle

Passamos por outro arco – Grewacke Arch, de 1862 – em direção ao Obelisco, um histórico monumento construído em 1450 a.C. pelos egípcios e transportado no final do século XIX para Nova York, como presente pela ajuda norte-americana ao país. O MET – Metropolian Museu of Art – está localizado ao lado e pode ser uma boa opção de visita. Pelo mesmo motivo acima, fizemos no terceiro dia.

Grewacke Lawn - Central Park - Nova York - Estados UnidosGrewacke Arch

Obelisco - Central Park - Nova York - Estados UnidosObelisco

Antes de retornar, continuamos para o norte até o Reservoir, próximo do Museu Guggenheim. Esse imenso reservatório de água ocupa 12% de todo o parque e foi construído em 1862 para fornecer água limpa para os nova-iorquinos. Atualmente é mais uma bela paisagem muito usada para caminhadas e corridas ao redor.

Reservoir - Central Park - Nova York - Estados Unidos

Seguimos, então, para o sul em direção ao Conservatory Water, lago onde muitos se divertem com a navegação de barcos de controle remoto. Na sua entrada encontra-se a Alice in Wonderland, uma estátua de bronze construída em 1959 que convida as crianças à brincadeira!

Alice in Wonderland - Central Park - Nova York - Estados UnidosAlice in Wonderland

Conservatory Water - Central Park - Nova York - Estados UnidosConservatory Water

Já era o final da tarde, pegamos a linha 6 do metrô na 68th St Hunter College, baldeamos para a linha E na estação 51st e, em seguida, para a linha A (pode ser C) na estação Canal St. e seguimos para a estação High Street (linhas A ou C). Recomendamos o passeio pela Brooklyn Bridge no final da tarde de um dia claro para um lindo pôr do sol e no sentido Brooklyn-Manhattan.

Vale lembrar que a entrada é na Tillary St com a Brooklyn Bridge Boulevard, ou seja, saia da estação, cruze os parques Cadman Plaza e Whitman e continue à direita pela Broolyn Bridge Boulevard até chegar a entrada na Tillary (cerca de 500 metros da estação). Alguns optam por uma visita ao Brooklyn ou um almoço em um dos restaurantes italianos da região. Decidimos apenas por um passeio breve pelas imediações e caminhamos os 2,5km de extensão do cruzamento da ponte. O entardecer realmente proporciona uma bela vista do Downtown de Manhattan, da Manhattan Bridge e do Brooklyn.

Broklyn Bridge - Nova York - Estados UnidosSubindo a Brooklyn Bridge

Broklyn Bridge - Nova York - Estados UnidosBrooklyn Bridge

Broklyn Bridge - Nova York - Estados UnidosFinancial District no Downtown de Manhattan

Manhattan Bridge - Nova York - Estados UnidosManhattan Bridge vista da Brooklyn Bridge

Broklyn Bridge - Nova York - Estados UnidosBrooklyn

Quando chegamos no City Hall estava escurecendo. À noite jantamos no francês Balthazar conforme contamos no post “Nova York: Onde comer?“. No dia seguinte fomos à Washington (veja aqui).

Para saber mais sobre Nova York e nossos passeios e dicas na cidade, clique aqui.

Silvia Carvalho

Carioca, casada, 32 anos, médica, sempre com uma máquina fotográfica na bolsa, apaixonada por viajar e degustar as comidas típicas locais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Alerta: Copia nao autorizada!