Bruxelas, uma parada obrigatória no trajeto França-Holanda

Conforme explicamos no post sobre a Bélgica, Bruxelas é sua capital, possui pouco mais de 1,1 milhão de habitantes e, embora os idiomas mais falados sejam o francês e flamengo, a comunicação em inglês não costuma ser um problema. A chuva é comum na região, portanto, não esqueça o guarda-chuva.

Quanto tempo ficar?
A maior parte dos turistas brasileiros chega de trem para passar um a dois dias antes de seguir viagem para o destino seguinte, geralmente Bruges ou alguma cidade da França ou Holanda. Esse foi o meu caso nas duas ocasiões em que visitei a cidade. Na primeira, em 2003, cheguei cedo de Paris, desci do trem, conheci a cidade e segui rumo a Amsterdam no último trem (foi corrido e não recomendo!). Na segunda, em 2011, dormimos na cidade e, por isso, tivemos um dia inteiro para visitá-la. Diante dessas duas experiências, o tempo mínimo para conhecer Bruxelas é um dia inteiro, podendo ampliar para até dois dias se preferir um passeio com mais tranquilidade.

Como chegar ao centro?
Caso chegue de avião (veja passagens aqui), prefira o Brussels Zaventen Airport, que fica pertinho do centro (menos de 20 minutos!) e possui como alternativas de translado o táxi, ônibus, trem ou shuttle. Independentemente de sua escolha (sugerimos o trem!), siga para a Brussel Centraal.

Se chegar de trem, pode ser que o destino não seja a Brussel Centraal, mas todas são interligadas. Assim, basta comprar a passagem na própria estação (alguns passes de trem incluem esse transfer para a Estação Central de Bruxelas).

Onde se hospedar?
O ideal é ficar no centro para que possa fazer absolutamente tudo a pé. Nos hospedamos no simples, mas ótimo Hotel Esperance. Outras sugestões são os bem conceituados Rocco Forte Hotel Amigo e The Dominican, o clássico Hilton Brussels Grand Place, os mais econômicos, mas excelentes 9Hotel Central e Motel One Brussels. Veja todas as opções aqui.

Iniciamos o nosso roteiro, considerando a Estação Central de Bruxelas como ponto de partida – os principais hotéis ficam próximos ou será seu ponto de desembarque se for apenas passar o dia. Saia da estação em direção à Catedral dos Santos Michel e Gudule (a 300m), uma belíssima igreja católica que lembra a Notre Dame de Paris. Sua história se inicia no século IX como uma pequena capela dedicada a São Michel que foi expandida, no século XI, para devoção à mártir Santa Gudule, com muitas de suas relíquias acrescidas ao acervo da igreja. No século seguinte, a construção da catedral teve início, sendo concluída apenas 300 anos depois.

Catedral Saint Michel e Gudule - Bruxelas - Belgica

Catedral Saint Michel e Gudule - Bruxelas - Belgica

Catedral Saint Michel e Gudule - Bruxelas - Belgica

Catedral Saint Michel e Gudule - Bruxelas - Belgica

Catedral Saint Michel e Gudule - Bruxelas - BelgicaPraça em frente à catedral

Optamos por acrescentar 3km (ida e volta) à nossa caminhada pela Rue Royale, para passarmos na Coluna do Congresso, um monumento em frente ao congresso belga construído para celebrar a criação da Constituição em 1830, no belo Jardim Botânico e na distante Igreja Real Santa Maria, de 1885. As construções são lindas, sobretudo a igreja, mas vale ponderar o tempo e cansaço para o deslocamento. Como essas atrações estão distribuídas ao longo desses 1,5km de cada trecho, não vale o transporte público na ida, mas a volta pode ser feita com o tramway, descendo na estação Parc.

Cologne du Congres - Bruxelas - BelgicaColuna do Congresso

Igreja Real Santa Maria - Bruxelas - BelgicaÉglise Royale Sainte-Marie

Jardim Botanico - Bruxelas - BelgicaJardim Botânico

Seja a pé, de tramway ou após a catedral, na própria Rue Royale, você chegará ao imenso e verde Parque de Bruxelas, criado no século XVIII. No extremo oposto está localizado o Palácio Real de Bruxelas, palácio oficial da monarquia belga. A residência oficial é Palácio Real de Laeken, nos arredores da capital. A construção sofreu inúmeras modificações desde seus primórdios, no final do século XI.

Parque de Bruxelas - Bruxelas - BelgicaParque de Bruxelas

Palacio Real - Bruxelas - BelgicaPalais Royal de Bruxelles

Na Place Royale, visite a Igreja Saint Jacques-sur-Coudenberg. Do final do século XVIII, tem estilo neoclássico. Não deixe de conferir as pinturas no interior! Do outro lado da praça estão o Museu Magritte, com obras do surrealista homônimo, e o Museu de Arte Moderna, dentro do complexo dos Museus Reais de Belas Artes, que engloba também o Museu Fim do Século e o Museu dos Mestres Antigos, com entrada na Rue de la Régence, alguns metros à frente.

Igreja Saint Jacques - Bruxelas - BelgicaÉglise Saint Jacques-sur-Coudenberg

Igreja Saint Jacques - Bruxelas - BelgicaÉglise Saint Jacques-sur-Coudenberg

Bruxelas - BelgicaPraça na transversal da Royale

 

Museu de Belas Artes - Bruxelas - BelgicaEntrada do Musée Fin-de-Siècle

Poucos passos adiante, você chegará na Igreja Notre-Dame du Sablon, em estilo gótico do final do século XV. Na calçada oposta, não deixe de entrar no Petit Sablon, uma pequena e agradável praça com estátuas de mais de 40 profissões. Contornando a igreja, encontramos o Grand Sablon, uma praça que, atualmente, reúne as principais e mais sofisticadas lojas de chocolate belgas, como Godiva e Neuhaus.

Petit Sablon - Bruxelas - BelgicaPetit Sablon

Igreja Nossa Senhora Sablon - Bruxelas - BelgicaÉglise Notre-Dame du Sablon

Igreja Nossa Senhora Sablon - Bruxelas - BelgicaÉglise Notre-Dame du Sablon

Igreja Nossa Senhora Sablon - Bruxelas - BelgicaÉglise Notre-Dame du SablonGrand Sablon - Bruxelas - BelgicaGrand Sablon

Após deliciar-se em uma (ou várias!) lojas, retorne à Rue de la Régence e continue até o Palácio de Justiça. Construído no século XIX e tido como uma das maiores construções desse século, é onde funciona a principal corte belga e, talvez, um dos maiores tribunais do mundo! Não deixe de contemplar, na praça a sua direita, o Monumento à Infantaria Belga (com menção às duas grandes guerras!). A vista da cidade também pode ser admirada!

Palacio de Justica - Bruxelas - BelgicaPalais de Justice

Bruxelas - BelgicaVista da cidade – Basílica à esquerda

Monumento Mortos Guerras - Bruxelas - BelgicaMonumento à Infantaria Belga

Retorne em direção à Igreja Notre-Dame de la Chapelle, fundada no século XII (sua estrutura atual data do século XIII). No percurso, que tal uma parada para a panqueca belga, mais conhecida como waffle?

Waffle - Bruxelas - BelgicaWaffle no caminho

Igreja Notre-Dame de la Chapelle - Bruxelas - BelgicaÉglise Notre-Dame de la Chapelle

Igreja Notre-Dame de la Chapelle - Bruxelas - BelgicaÉglise Notre-Dame de la Chapelle

Menos de 500 metros adiante, na Booulevard de L’Empereur, você chegará ao Mont des Arts, com um belíssimo jardim.

Jardim Mont des Arts - Bruxelas - Belgica

Você estará de volta à Estação Central de Bruxelas. Se for ficar mais de um dia ou estiver com tempo sobrando – pelo menos 2h -, sugerimos entrar na estação, pegar o trem (15 minutos) e saltar na estação Simonis para conhecer a suntuosa Basílica Nacional do Sagrado Coração (ou Koekelberg), construída durante o século XX e uma das mais imponentes igrejas da Bélgica, e o maravilhoso Parque Elisabeth. O caminho de volta é o mesmo.

Basilica Sagrado Coracao - Bruxelas - BelgicaBasilique Nationale du Sacré-Cœur

Basilica Sagrado Coracao - Bruxelas - BelgicaBasilique Nationale du Sacré-Cœur

Basilica Sagrado Coracao - Bruxelas - BelgicaBasilique Nationale du Sacré-Cœur

Basilica Sagrado Coracao - Bruxelas - BelgicaBasilique Nationale du Sacré-Cœur

Parque Elisabeth - Bruxelas - BelgicaParc Elisabeth

Parque Elisabeth - Bruxelas - BelgicaParc Elisabeth

Parque Elisabeth - Bruxelas - BelgicaParc Elisabeth

A partir da Estação Central de Bruxelas, vá para a Grand Place, principal praça belga. Tombada pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade, os prédios que cercam a praça são belíssimos, com detalhes em dourado. O destaque fica para a Prefeitura e a Maison du Roi, onde atualmente funciona o Museu da Cidade de Bruxelas.

Grand Place - Bruxelas - BelgicaPrefeitura

Grand Place - Bruxelas - BelgicaMaison du Roi

Grand Place - Bruxelas - BelgicaGrand Place

Grand Place - Bruxelas - BelgicaGrand Place

Grand Place - Bruxelas - BelgicaGrand Place

Caminhe pela perpendicular Rue de l’Etuve para visitar a pequena (60cm), mas mundialmente famosa, estátua de bronze chamada Manneken-Pis – um menino que faz xixi na fonte. Foi concebida no século XVII, mas roubada inúmeras vezes. Existem várias histórias sobre sua origem, sendo as mais contadas a do lord de 2 anos que urinou em seus adversários durante uma batalha em que foi o vencedor e a de uma criança que urinou em um princípio de incêndio e salvou a cidade. Em épocas festivas ou visitas de chefes de estado, é costumeiro vestir a estátua de acordo com a ocasião.

Manneken Pis - Bruxelas - Belgica

Siga na Rue des Grands Carmes e dê uma rápida passada na simples, mas bela Igreja Notre-Dame de Bon Secours, antes de virar à direita na Rue du Midi para chegar à Igreja de Saint Nicolas, uma das primeiras de Bruxelas, construída no século XII. Observe os prédios a sua volta – belíssimos!

Igreja Notre Dame - Bruxelas - BelgicaÈglise Notre-Dame de Bon Secours

Igreja Sao Nicolau - Bruxelas - BelgicaÉglise de Saint Nicolas

Bruxelas - BelgicaCharmosos prédios

Logo atrás, está os fundos do belo palácio da Bolsa de Valores de Bruxelas, de 1873. Não deixe de contemplá-lo, antes de virar na Rue Jules de Van Praet, e chegar a Halles de Saint Géry, um mercado coberto do século XIX, atualmente destinado a exposições culturais.

Bolsa de Valores - Bruxelas - BelgicaPalais de la Bourse

Halles - Bruxelas - BelgicaHalles de Saint Géry

Caminhe para a Place Sainte-Catherine e chegue à igreja homônima, do século XIX.

Igreja Santa Catarina - Bruxelas - Belgica

Retorne pela Rue de l’Evêque, até a Place de La Monnaie, onde fica o Théâtre Royal de la Monnaie, do século XIX, que recebe os principais concertos de música clássica e ballet da cidade. No trajeto, abra o apetite com os belos pescados nos mercados.

Opera - Bruxelas - BelgicaLa Monnaie

Pescados - Bruxelas - BelgicaPescados

Siga até a entrada da luxuosa Galeria Real St. Hubert. Com pouco mais de 200 metros de extensão, foi inaugurada em 1847 com estilo renascentista para comunicar o mercado de vegetais ao de ervas, substituindo alguns becos que a burguesia da época não se atrevia a ingressar. Por décadas, permaneceu um centro literário frequentado por Alexandre Dumas e Victor Hugo. Atualmente abriga lojas, cafés e chocolaterias sofisticadas. É recorrente a história que o bombom surgiu em uma das farmácias da galeria, quando seu dono resolveu cobrir remédios com chocolate para torná-los mais “apetitosos”.

Galeria St. Hubert - Bruxelas - Belgica

Entre os pavilhões que formam a galeria, acesse a Rue de Bouchers, que anteriormente abrigava os açougueiros. Hoje é um das mais famosas ruas de pedestre, repleta de cafés e restaurantes. Um destaque na rua é o Delirium Café, com seus mais de 2400 rótulos de cervejas – belgas ou estrangeiras.

Rue de Bouchers - Bruxelas - Belgica

Após o chocolate e o waffle, não podíamos terminar sem uma cerveja belga. Entramos em um dos restaurantes da rua para uma típica cerveja trapista – Chimay – acompanhada de um prato famoso em algumas regiões da França e também na Bélgica, as moules-frites (ou mexilhões com batatas frias). Não teria como terminar melhor!

Rue de Bouchers - Bruxelas - BelgicaMoules-frites

Rue de Bouchers - Bruxelas - BelgicaApós o jantar

Uma atração que muitos fazem, mas optamos por não ir foi visitar o Atomium, construído em 1958 para a Feira Mundial de Bruxelas. Além de contemplar a construção futurística, pode-se entrar nas esferas que a compõe, visitar as exposições e ter uma bela vista de Bruxelas. Para chegar, pegue a linha 5 do metrô até a estação Beekkant e, em seguida, a linha 6 até Heysel.

Atomium - Bruxelas - BelgicaFonte: Pixabay

Após esse maravilhoso dia, seguimos na manhã seguinte para Bruges (veja aqui) de trem, partindo da Estação Central de Bruxelas. Como explicamos melhor no post de Bruges, é possível fazer um bate e volta!

Gostou do roteiro e das dicas? Faça suas reservas pelas caixas de pesquisa na lateral, nos links ao longo do post ou clique para reservas de hospedagem no Booking ou aluguel de carros no RentalCars. Você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a manter o site. Obrigado!


Precisa de orientação para montar um roteiro inesquecível pela Bélgica (ou Europa)? Quer ajuda em reservas de hotéis, aluguel de carros, passagens de avião ou trem? Quer montar um roteiro 100% personalizado e tornar sua viagem inesquecível? Visite nossa página de Roteiros Personalizados ou deixe sua mensagem abaixo.

Gostou do post? Compartilhe!

Thiago Carvalho

Carioca, casado, 30 anos, médico, amante da natureza e apaixonado por viagem, de Itaipava no fim de semana ao Bungee Jumping na Nova Zelândia. Volta de uma viagem com o roteiro pronto para a próxima.

Você pode gostar...

14 Resultados

  1. Eu tenho muita vontade de conhecer Bruxelas, e fiquei com mais vontade depois de ler este relato!
    E adorei a história do surgimento do bombom…hehe.
    Beijos! Adorei!!!

  2. Que legal!!
    E quanta igreja linda!! belas arquiteturas..
    Um dia irei, pode apostar… e este post aguçou a vontade
    Abraço

  3. tikdeviagem disse:

    Sou louca para conhecer Bruxelas, desde quando fiz um roteiro para lá, viajei de novo lendo o post de vocês e as fotos só me deixaram com mais vontade!

  4. Dhebora disse:

    Interessante a história do bombom, mas me recuso a acreditar que algo tão bom foi pra disfarçar algo ruim! hahahahaha… adorei o post!

  5. Que riqueza de detalhes esse post e grandeza desse lugar.
    Parabéns pelo post, adoreii.
    Abraços

  6. Zelinda disse:

    Thiago, parabéns! Como sempre mandando muito bem nas dicas. Eu sou louca para conhecer a cidade e acho que um dia é sempre pouco. Fiz isso em Amsterdam e me arrependi.
    Adorei as dicas e as fotos
    Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Reprodução ou cópia não autorizada!