Pelas ruas de pedra da charmosa e histórica Tiradentes

Fundada em 1718 como parte de São José del Rey, teve seu nome trocado para Tiradentes em 1889 como homenagem a Joaquim José da Silva Xavier, um alferes considerado herói dos interesses da recém-criada República, nascido na região e que durante o movimento da Inconfidência Mineira se reunia secretamente na cidade.

Com uma população de pouco mais de 7 mil habitantes, Tiradentes é uma pequena e charmosa cidade do interior de Minas Gerais, famosa pela importância na História brasileira com suas igrejas barrocas e casarões coloniais coloridos, mas que vem ganhando cada vez maior destaque pela excelente gastronomia. Atualmente é parte do Patrimônio Histórico Nacional.

Qual a melhor época para visitar Tiradentes?
A cidade pode ser visitada durante o ano todo, mas recomendamos o período de maior seca, entre abril e setembro, quando as chances de chuvas são mais escassas e a temperatura mais amena durante o dia (máxima média de 25ºC), com possibilidade até de um frio mais intenso à noite (próximo de 10ºC), sobretudo entre junho e agosto. Vale ressaltar que o charme da cidade é andar pelas ruas totalmente sem cobertura e, portanto, a chuva pode prejudicar o passeio.

Além disso, é importante ter em mente que nos finais de semana e, sobretudo nos feriados, a cidade fica muito mais cheia e os preços sobem substancialmente. No entanto, durante a semana existe o risco de encontrar alguns estabelecimentos fechados, principalmente de segunda a quarta-feira. Se preferir um “meio-termo”, recomendamos ir no final de semana que antecede ou sucede algum feriado.

Quanto tempo ficar em Tiradentes?
O centro histórico é compacto e facilmente percorrido a pé em um dia. No entanto, a cidade não é muito próxima a nenhum grande centro, e para visitar o entorno como o artesanato de Bichinho ou as igrejas de São João del Rey será necessário mais de um dia. Além disso, mesmo para aqueles que desejam ficar apenas em Tiradentes, a cidade é tão charmosa com restaurantes deliciosos para todos os bolsos que um dia seria pouco. Portanto, recomendamos dois dias inteiros (ou um final de semana) para aproveitar os atrativos com calma.

Como chegar em Tiradentes?
O aeroporto mais próximo é o de Belo Horizonte (a 200 km da cidade), de onde é possível alugar um carro ou ir até a rodoviária para embarcar em um ônibus até São João del Rey, parada obrigatória para o ônibus até Tiradentes.

  • Carro (alugue aqui): nossa principal sugestão, sobretudo se desejar conhecer Bichinho ou São João del Rey com maior flexibilidade.
    • De Belo Horizonte: existem duas alternativas:
      • 190 km: BR-040 até Congonhas e BR-383 até Tiradentes.
      • 220 km: BR-040 até Barbacena e BR-265 até Tiradentes.
    • Do Rio de Janeiro: BR-040 até Barbacena e BR-265 até Tiradentes (330 km).
    • De São Paulo: BR-381, seguida da BR-265 até Tiradentes (483 km).
  • Ônibus: existem ônibus que saem do Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte com destino a São João del Rey, não há ônibus diretos para Tiradentes. No entanto, a cidade fica apenas a 15 km de Tiradentes e com várias saídas diárias de ônibus.

Onde se hospedar em Tiradentes?
Mesmo que esteja de carro, recomendamos se hospedar próximo ao centro histórico, o que permite o deslocamento a pé sem ter que se preocupar com a procura de vagas, muitas vezes escassas. Ficamos na Pousada Ouro de Minas, com quartos confortáveis e limpos, uma localização ótima, um atendimento excelente e um café da manhã simples, mas suficiente.

A cidade possui várias outras opções de hotéis (veja todos aqui). Recomendamos Pousada Solar da Imperatriz, Don Quixote Pousada, Pousada Encanto da Serra, Pousada Villa Real, Pousada Armazém 26, Lis Bleu Pousada, Solar da PontePouso Lar Doce Lar. Mais distantes do centro, sugerimos Oratório Pousada Boutique, A Arte de Bem Viver e Pousada Pequena Tiradentes.

O Roteiro
Montamos um roteiro com os pontos históricos distribuídos ao longo de um passeio pela cidade. No entanto, como já destacado, são facilmente percorridos em pouco tempo. Logo, aproveite para passear com calma e no seu tempo, parando em lojas de artesanato, de souvernirs ou de doces. Vale ressaltar que o horário de abertura pode variar e, portanto, deve ser consultado próximo a sua viagem.

Inicie pelo Largo das Mercês, onde estará o primeiro exemplo dos casarões coloniais e a Igreja Nossa Senhora das Mercês, com data de construção desconhecida, mas certamente antes do século XIX. Possui um interior que mistura traços do barroco e rococó. Abertura apenas aos domingos.

Igreja Nossa Senhora das Merces - Tiradentes - Minas GeraisIgreja Nossa Senhora das Mercês

Igreja Nossa Senhora das Merces - Tiradentes - Minas GeraisIgreja Nossa Senhora das Mercês – Interior

Casaroes - Tiradentes - Minas GeraisCasarões coloniais no largo, típicos da cidade e muito bem preservados

Cruze a Ponte das Forras para conhecer a principal praça da cidade, o Largo das Forras, cujo nome tem origem nas escravas alforriadas que ali permaneciam.

Ponte - Tiradentes - Minas GeraisPonte das Forras

Largo das Forras - Tiradentes - Minas GeraisLargo das Forras

No entorno, está a Prefeitura Municipal, em um sobrado de três andares, e a graciosa Capela do Bom Jesus da Pobreza, concluída em 1786 como cumprimento de uma promessa pelo capitão Gonçalo Joaquim de Barros. Aberta de sexta à quarta-feira no período da tarde.

Prefeitura - Tiradentes - Minas GeraisPrefeitura Municipal

Capela Bom Jesus da Pobreza - Tiradentes - Minas GeraisCapela Bom Jesus da Pobreza

Nossa primeira dica gastronômica está situada justamente no largo, um movimentado bar com mesas na própria calçada chamado Barouk, perfeito para um happy hour ou uma parada para descansar e observar o movimento. Sentamos na sexta-feira à noite, antes do jantar e pedimos uma cerveja local (Backer) e uma porção de bolinho de abóbora com carne seca e queijo. Gostamos bastante do ambiente e do tira gosto.

Barouk - Tiradentes - Minas Gerais

Continue pela rua do Barouk (Ministro Gabriel Passos) e antes de virar na próxima direita observe dois estabelecimentos para levar um pedacinho de Minas Gerais para casa, de lembrança ou para saborear durante algum passeio – a Doceria Flor de Lótus com diversas compotas e doces a granel e o Rocambole e cia, cuja especialidade – o rocambole – é muito famosa na região. Particularmente gostamos bastante do que compramos na Flor de Lótus, mas achamos o rocambole muito caro para o sabor e qualidade.

Doceria Flor de Lotus - Tiradentes - Minas GeraisDoceria Flor de Lótus

Rocambole e Cia - Tiradentes - Minas GeraisRocambole e Cia

Outro local de doces bem caseiros como cocadas e canudinhos de doce de leite (o ponto alto!) é o Chico Doceiro, a 400 metros do Largo das Forras no sentido contrário, na rua Francisco Pereira Morais, 74. Durante mais de 40 anos o Sr. Chico, falecido em 2017, foi o responsável pela elaboração diária das guloseimas.

Chico Doceiro - Tiradentes - Minas Gerais

De volta ao passeio, vire na próxima direita onde estará o Terminal Rodoviário e, no alto da pequena colina, a Igreja de São Francisco de Paula, com uma belíssima vista da cidade. Aberta apenas nos domingos pela manhã.

Igreja Sao Francisco de Paula - Tiradentes - Minas Gerais

Retorne para a rua Gabriel Passos, virando novamente na próxima direita, onde está, a poucos metros, o Chafariz de São José, construído em 1749 para oferecer água potável a partir de uma nascente próxima. Os traços barrocos são marcantes!

Chafariz de Sao Jose - Tiradentes - Minas Gerais

No final dessa rua está mais uma excelente dica gastronômica, o restaurante Viradas do Largo. Com uma comida caseira e farta, é uma excelente opção para degustar os pratos mais típicos da culinária mineira. Pedimos o tutu com torresmo, costela, linguiça, couve e ovo e de sobremesa o tradicional sorvete de queijo com goiabada. Excelentes! O único arrependimento é que como comemos muito bem, não conseguimos ir no Pacco e Bacco (veja adiante) à noite.

Viradas do Largo - Tiradentes - Minas GeraisTutu com costela, linguiça, couve, torresmo e ovo

Viradas do Largo - Tiradentes - Minas GeraisSorvete de queijo com goiabada

Retorne, cruze a rua Gabriel Passos e siga pela rua da Câmara, passando pela Casa da Câmara (um dos poucos prédios históricos com conservação precária) e pelo busto de Tiradentes até a Igreja Matriz de Santo Antônio. Construída no início do século XVIII, é a mais antiga e famosa da cidade com estilo barroco e rococó no interior e a moldura da porta principal feita por Aleijadinho. Está aberta todos os dias, com entrada paga, não sendo permitido fotografar o interior.

Rua da Camara - Tiradentes - Minas GeraisRua da Câmara com a Matriz ao fundo

Camara Municipal - Tiradentes - Minas GeraisCasa da Câmara

Matriz - Tiradentes - Minas GeraisMatriz de Santo Antônio

A vista da Matriz de Santo Antônio é belíssima, sendo possível observar a esplêndida cadeia montanhosa – a Serra de São José – que circunda a cidade de Tiradentes.

Rua da Camara - Tiradentes - Minas GeraisRua da Câmara com cadeia montanhosa atrás

Siga por trás da igreja até o Santuário da Santíssima Trindade, construído em 1810. Infelizmente estava em reforma e não foi possível visitar seu interior. A breve caminhada incluiu a passagem por mais um belo exemplo de casarões coloniais bem preservados, mesmo fora do circuito turístico habitual, e que parece nos levar de volta ao passado pela tranquilidade do local!

Santuario Santissima Trindade - Tiradentes - Minas GeraisSantuário da Santíssima Trindade

Vila Bela - Tiradentes - Minas GeraisTiradentes

De volta à Matriz, desça pela rua Padre Toledo, onde estão a Casa de Cultura de Tiradentes (acervo de documentos históricos), o Museu Casa de Padre Toledo (onde morava o inconfidente Padre Toledo, tendo recebido reuniões dos inconfidentes), a Estátua de Tiradentes e a Capela de São João Evangelista, inaugurada em 1760 com uma fachada simples e um interior com predomínio do estilo rococó. Funciona de quarta à segunda-feira durante o dia.

Estatua - Tiradentes - Minas GeraisEstátua de Tiradentes

Igreja Sao Joao Evangelista - Tiradentes - Minas GeraisIgreja de São João Evangelista

Igreja Sao Joao Evangelista - Tiradentes - Minas GeraisIgreja de São João Evangelista – Interior

Rua Padre Toledo - Tiradentes - Minas GeraisRua Padre Toledo

Desça até a rua Direita, que abriga os principais e mais badalados restaurantes da cidade, que misturam a alta gastronomia com um toque mineiro. Nos finais de semana e feriado é fundamental a reserva. Os mais famosos são o Pacco e Bacco (reservamos, mas não tivemos “espaço” à noite) e o Tragaluz, que tivemos o prazer de degustar.

Rua Direita - Tiradentes - Minas GeraisRua Direita

Tragaluz - Tiradentes - Minas GeraisRestaurante Tragaluz

Pedimos de entrada um prato de queijos regionais com mel e geleia de tomate, seguido de picadinho de filé mignon ao molho rôti com cogumelos, ovo caipira, musseline de baroa, a típica ora-pro-nóbis e banana com melado de rapadura (para mim) e galinha d’Angola confitada com polenta cremosa, cogumelos e taioba crocante (para o Thiago). Para finalizar, é quase obrigatório experimentar a mais famosa sobremesa de Tiradentes: a goiabada cascão prensada na castanha de caju deitada na cama de catupiry acompanhada de sorvete de goiaba. Tudo fabuloso!

Tragaluz - Tiradentes - Minas GeraisQueijos regionais com geleia de tomate e mel

Tragaluz - Tiradentes - Minas GeraisFilé mignon ao molho rôti com cogumelos, ovo caipira, musseline de baroa, ora-pro-nóbis e banana

Tragaluz - Tiradentes - Minas GeraisGalinha d’Angola confitada com polenta cremosa, cogumelos e taioba crocante

Tragaluz - Tiradentes - Minas GeraisGoiabada prensada na castanha de caju com catupiry e sorvete de goiaba

Entre os dois restaurantes está o Museu de Arte Sacra, onde funcionava a antiga cadeia de Tiradentes, erguida em 1730 e reconstruída em 1829.

Cadeia - Tiradentes - Minas Gerais

Em frente está a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, uma das mais antigas da cidade, provavelmente de meados do século XVIII, erguida pela Irmandade dos Homens Pretos em estilo predominantemente barroco. Aberta de quarta à segunda-feira durante o dia, com entrada paga.

Igreja Nossa Senhora do Rosario - Tiradentes - Minas GeraisIgreja Nossa Senhora do Rosário

Igreja Nossa Senhora das Merces - Tiradentes - Minas GeraisIgreja Nossa Senhora do Rosário – Interior

Bem ao lado estão alguns dos seis Oratórios (ou Passos) da cidade, um dos pontos com história mais marcantes em nossa opinião. Distribuídos pelo centro histórico – seis no total -, essas pequenas capelas retratam os passos da Paixão de Cristo erguidos ao longo do século XVIII. Funcionam apenas em procissões durante o período da Quaresma.

Oratorio - Tiradentes - Minas Gerais

Esses são os principais pontos turísticos da cidade. No entanto, existem duas cidades próximas que valem uma rápida visita – Bichinho e São João del Rey. Se estiver sem carro, é possível contratar um translado ou, no caso de São João del Rey, ir pela famosa e histórica Maria Fumaça, pela estrada de ferro que liga os dois municípios. Algumas empresas oferecem a possibilidade de ir de trem, conhecer os pontos turísticos e retornar de ônibus ou van.

Estacao Ferroviaria - Tiradentes - Minas GeraisEstação Ferroviária de Tiradentes

Como estávamos de carro, fizemos ambas com tranquilidade. São João del Rey é uma cidade bem maior do que Tiradentes, fundada no início do século XVIII e com uma população próxima a 100 mil habitantes. Está localizada a pouco mais de 15 km e seu principal atrativo é um minúsculo centro histórico repleto de belíssimas igrejas barrocas e rococós. Se for de carro, nossa sugestão é estacionar próximo à Igreja de São Francisco de Assis e percorrer as demais a pé. Construída entre 1774 e 1809, com contribuição de Aleijadinho no projeto, a igreja possui uma fachada imponente com um interior bem detalhado. Abertura diária durante todo o dia.

Igreja de São Francisco - Sao Joao del Rey - Minas GeraisIgreja de São Francisco de Assis

Igreja de São Francisco - Sao Joao del Rey - Minas GeraisIgreja de São Francisco de Assis – Interior

Siga pela rua Padre José Maria Xavier até seu final, onde está o Memorial Presidente Tancredo Neves, um espaço em memória ao ex-presidente brasileiro, nascido na cidadeMemorial Tancredo Neves - Sao Joao del Rey - Minas Gerais

Do outro lado da ponte está a rua Getúlio Vargas, com calçamento de pedra e casarões coloniais de ambos os lados, além das pequenas capelas que formam os Passos da Paixão de Cristo, semelhante aos de Tiradentes.

Rua Getulio Vargas - Sao Joao del Rey - Minas GeraisRua Getúlio Vargas

Oratorio - Sao Joao del Rey - Minas GeraisPassos da Paixão de Cristo

A primeira igreja é a de Nossa Senhora do Rosário, concluída em 1732 com aspectos marcantes do estilo rococó. Infelizmente estava fechada. Aberta de terça a domingo, no período da manhã.

Igreja Nossa Senhora do Rosário - Sao Joao del Rey - Minas Gerais

Mais adiante está a Catedral de Nossa Senhora do Pilar, com construção iniciada em 1721 e um interior suntuoso, riquíssimo em detalhes talhados em dourado, uma linda pintura no teto e traços característicos tanto do período barroco como rococó. Uma obra-prima! Também aberta de terça a domingo, durante todo o dia, com uma breve pausa no horário de almoço. É paga.

Catedral Nossa Senhora do Pilar - Sao Joao del Rey - Minas GeraisCatedral de Nossa Senhora do Pilar

Catedral Nossa Senhora do Pilar - Sao Joao del Rey - Minas GeraisCatedral de Nossa Senhora do Pilar – Interior

Atrás está a pequena Igreja de Nossa Senhora das Mercês, ao lado do preservado hospital homônimo. A igreja do século XIX substitui a pequena capela construída no século anterior. A vista da cidade é bem aprazível do alto das escadas! Abertura diária durante todo o dia de segunda à sexta-feira e pela manhã nos finais de semana, com uma breve pausa no horário de almoço

Igreja Nossa Senhora das Merces - Sao Joao del Rey - Minas GeraisIgreja Nossa Senhora das Mercês

Igreja Nossa Senhora das Merces - Sao Joao del Rey - Minas GeraisIgreja Nossa Senhora das Mercês – Interior

Hospital das Merces - Sao Joao del Rey - Minas GeraisHospital Nossa Senhora das Mercês

Nossa última parada é a Igreja de Nossa Senhora do Carmo, no final da rua Getúlio Vargas, concluída em 1732. Infelizmente estava fechada quando estivemos na cidade. Aberta de terça a domingo, durante todo o dia, com uma breve pausa no horário de almoço.

Igreja Nossa Senhora do Carmo - Sao Joao del Rey - Minas Gerais

O outro passeio nas proximidades de Tiradentes é Bichinho, um distrito de Prados, facilmente acessível, a menos de 15 km do centro histórico. O ponto alto são as lojas de artesanato, com algumas alternativas às encontradas no centro histórico e um preço mais acessível. Pela curta distância e grande acessibilidade, se estiver de carro vale o rápido passeio. Compramos um vaso de cerâmica e um belíssimo quadro em um ateliê e aproveitamos a indicação do artista da simples Casa de Mineiro, onde comemos a autêntica comida mineira à vontade. Foi uma excelente opção de fechar a extravagância calórica do final de semana antes de voltarmos para casa.

Bichinho - Tiradentes - Minas GeraisBichinho e lojas de artesanato

Bichinho - Tiradentes - Minas GeraisIgreja de Bichinho – estava fechada

Casa de Mineiro - Bichinho - Tiradentes - Minas GeraisRestaurante Casa de Mineiro

Gostou do roteiro e das dicas? Faça suas reservas pelas caixas de pesquisa na lateral, nos links ao longo do post ou clique para reservas de hospedagem no Booking ou aluguel de carros no RentalCars. Você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a manter o site. Obrigado!


Precisa de orientação para montar um roteiro inesquecível por Tiradentes (ou Minas Gerais)? Quer ajuda em reservas de hotéis, aluguel de carros, passagens de avião ou ônibus? Quer montar um roteiro 100% personalizado e tornar sua viagem inesquecível? Visite nossa página de Roteiros Personalizados ou deixe sua mensagem abaixo.

Silvia Carvalho

Carioca, casada, 31 anos, médica, sempre com uma máquina fotográfica na bolsa, apaixonada por viajar e degustar as comidas típicas locais.

30 Resultados

  1. Até suspirei de saudade! Estive lá agora em janeiro, tirei um monte de fotos lindas, mas meu celular caiu na água e eu perdi tuuuuuudo. Sofri. Mas amei tanto Tiradentes que vou voltar com ceretza. 🙂

  2. nicole disse:

    Sabe a quanto tempo eu não vou para Tiradentes? Era criança a última a vez que fui, nem lembro mais… depois desse post, preciso providenciar rápido uma ida até lá! adorei!

  3. Thayz disse:

    Eu sempre tive a impressão que Tiradentes era mto parecida com Paraty. Vc acha??? Adorei o post, super completo, deu vontade de repetí-lo todinho hahahaha qdo eu for pra lá, com certeza utilizarei suas dicas 🙂

  4. Anna disse:

    Deve ser uma viagem incrível, um verdadeiro mergulho na história. Essa arquitetura merece um milhão de fotos… E também é uma viagem com ótimas opções gastronômicas pelo que percebi! Adorei o prédio da antiga cadeia, tão pequenininha… Parabéns pelo post e pela riqueza de detalhes!

  5. Tiago Belmont disse:

    Esse post foi super nostálgico pra mim pq amo Tiradentes e acho a melhor cidade histórica de MG… já estive lá algumas vezes e sempre que vejo fotos e relatos de dias por lá me da vontade de voltar rs

  6. Gabriela disse:

    Tiradentes é uma cidade que tenho muita vontade de conhecer, só podia ser mais próximo de Sampa!!! Adorei as dicas do post, vou usá -las quando visitar a cidade.

  7. Renata Telles disse:

    Quanta coisa legal pra fazer em Tiradentes!! Eu sempre ouço falar muito da cidade, mas nunca tinha lido um post tao completo e detalhado!! Se com dois dias da pra conhecer bem o local, pegarei um fim de semana (sei q vcs falaram que é mais cheio, mas so tenho sab e domingo livre)…. obrigada pelas dicas!

  8. Keul Fortes disse:

    Minas Gerais <3 Como adoro essas cidadezinhas históricas de MG!
    Esse ano pretendo planejar minha ida a Ouro Preto e quero incluir Tiradentes. Creio que 2 dias como você disse será suficiente! Achei seu roteiro demais. Super completinho! Já salvei por aqui. =)
    Obrigada pelas dicas!

  9. Sthefania disse:

    Eu ainda não tenho a data, mas estou planejando essa viagem mentalmente. Caiu como uma luva esse post todo explicadinho. Ia fazer a mesma pergunta da Renata aqui em cima, mas já vi sua resposta! Eu só terei um fds e tava na dúvida se valia a pena. Post muito útil!

  10. Sou apaixonada por cidades históricas. Tiradentes lembra um pouco Paraty, Pirenópolis.. ah esses casarões como é lindo.. O destaque em Tiradentes são as igrejinhas, uma delicadeza em detalhes, culinária então deu água na boca humm… Fiquei ainda mais vontade de ir, estava pensando em ir em Agosto, acho que um período bom né? abraços

  11. Raquel disse:

    Tiradentes é um dos lugares que eu mais amo em Minas! Nunca me canso de visitar e toda vez que eu vou a Tiradentes, encontro um lugar novo para conhecer ?

  12. Livia Melo disse:

    Tiradentes parece ser um charminho, tudo que falam e mais um pouco, mas tenho que dizer que parei no bolinho de carne de sol e fiquei, kkkk. Acha que 3 dias tá bom para conhecer o lugar?

  13. Minas Gerais é de uma riqueza histórica encantadora né? Mas como sou mineira, sou suspeita pra falar rs. Amei o post sobre Tiradentes, cheio de detalhes e informações importantes.

  14. Maria Aparecida disse:

    Muito bom o roteiro. anotei tudo para fazê-lo.

  15. Olá, adorei o post, muito completo e bem explicado, anotei várias dicas. Minha dúvida é mais quanto ao clima, vamos no feriado de outubro, como vocês foram em dezembro devia estar bem quente, a noite fica mais fresco?
    E vocês ficaram em pousada com ar-condicionado? Se não, acha que fez falta? Obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Reprodução ou cópia não autorizada!